Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sábado, 19 de dezembro de 2015

Lei de Reprodução

Lei de Reprodução

Sérgio Machado

Realizada no Centro Espírita Divino Mestre no dia 15 de setembro de 1997, a mesma fez parte do estudo programado pela casa espírita e, portanto, o tema nos foi sugerido segundo a programação já existente lá.
Este tema está presente no livro "O Livro dos Espíritos", capítulo IV, terceira parte.

Introdução

Nós temos algumas coisas em comum e outras não. Um exemplo muito simplóreo de uma coisa geralmente não comum é o nosso nome. Já uma coisa que podemos afirmar categoricamente ser comum para todos é resumida em uma simples palavra - Evolução. Junto à evolução temos algumas leis (conjunto de regras) morais. Um conceito de moral: Luz condutora da consciência, formando um corpo de preceitos eregras, para dirigir as ações dos homens segundo a justiça para consigo mesmo e para com os outros. Uma das leis morais ressaltada no Livro dos Espíritos é a de Reprodução (ao todo são 12).

Desenvolvimento

Todos nós, independente de religião, doutrina ou ceita, estamos envolvidos diretamente com o tema abordado, pois a lei de repdrodução é uma lei natural. Aliás, esta é a resposta obtida para a primeira pergunta do Livro dos Espíritos para o tema em questão.
Em todas as épocas este foi um assunto comentado e hoje não deixaria de sê-lo. Para nos certificarmos disto basta tocarmos num dos assuntos mais discutidos relativos à reprodução que é a quantidade de pessoas que habitam o nosso globo. Deus, na sua infinita sabedoria, providencia para que a 'superlotação' do mesmo não ocorra, é uma providência Divina.

A pouco tempo atrás vimos noticiado que a ciência provou o homem de Neandertal NÃO ter ligações diretas com o homem comtemporâneo. Seria uma raça a parte. A demonstração veio através do famoso exame de DNA. Mas e raça que hoje habita o planeta, é o avanço de raças anteriores ? Sim, temos o avanço do espírito que vem encarnar uma raça mais evoluída, pois ele, o espírito, tendo evoluído mereçe a 'melhoria' do corpo que estará habitando. Mas vejamos bem, para que fique claro, o homem de hoje não é o ser perfeito em comparação ao de ontem, ele é mais evoluído.

Força Bruta e Inteligência - Aí está uma diferença notórea da evolução. Como ? Vejamos:

O homem de ontem precisava para erguer uma pedra muito pesada de força bruta. Com a evolução da ciência, temos esta mesma pedra sendo erguida através do uso de roldanas pelo homem mais fransino existente... Um exemplo muito simples, mas é a ciência ofertando as facilidades da própria evolução humana.

No que tange ao fato dos homens interferirem no aperfeiçoamento da raças vegetais e animais, lembremo-nos que Deus nos deu a inteligência para utilizá-la (para o bem ou para o mal, Ele nos deu o livre arbítrio também...). Se o homem utilizando a terra disponível consegue plantar cinco vezes mais hoje do que ontem e, assim, permite que não falte à população o alimento... que seja. Mas se o homem busca esta mesma evolução se 'fechando em si mesmo', a humanidade mesmo assim não deixa de ganhar com isto; crédito nulo para ele? Nem tanto assim.

" Tudo o que entrava a marcha da natureza é contrário à lei geral", assim é exposta a resposta sobre quando o homem intervém na reprodução. Porém existem os casos que podem afetar ou até mesmo destruir o que está ao redor devido a uma reprodução exagerada. Quando uma praga de gafanhotos ataca uma plantação, se o homem ficar vendo o ataque fazendo com que o milharal seja destruído a subsistência do homem estaria abalada. É-nos apresentada a condição de exceção quando a intervenção tem finalidade útil e objetiva o bem comum.
Em se tratando de se deter a reprodução tendo em vista a sensualidade, o homem estaria assim demonstrando o quanto ainda está materializado.

O casamento, instituição estabelecida pelo homem é um progresso na marcha da Humanidade. O contrário também é verdadeiro, ou seja, a extinção do casamento estaria fazendo com que o homem regredisse perante a evolução.

O Cristo na época em que esteve entre os homens (encarnado) já nos expunha uma situação para, após casados, que homem e mulher se separassem, ou seja, a dissolvição do casamento. Você conhece ? Como o que coloco aqui na internet é um espelho quase que fiel da palestra em si, digo que esta pergunta foi feita e que houve a resposta. Somente como curiosidade, vou deixar, como na palestra deixei, que você responda: Qual foi o motivo que o Cristo apresentou para a dissolvição do casamento ?
Em se tratando do celibato, temos duas direções a seguir. Antes de mais nada, esclareçamos que o celibato é quando o homem ou mulher se abstém de constituir família (de modo bem sintético). Ora, o que quero dizer sobre as duas direções é o seguinte: por egoísmo ou somente para dizer que conseguiu se abster da "carne" como uma vitória interior; quando esta mesma pessoa se abstém e, com a abstenção, dedica-se ao trabalho dos que o rodeiam, aí sim, o celibato é bem visto, quando este sacrifício tem como objetivo a devoção à humanidade. Temos vários exemplos citados pela mídia em geral e mais ainda, do nosso lado, bem ali...

Poligamia X Monogamia - 1º ponto. A igualdade númerica que existe entre os sexos é providencial. 2º ponto. O casamento, segundo os objetivos de Deus, deve ser fundado sobre a afeição dos seres que se unem. Com a poligamia não há afeição real e sim sensualidade; O Livro dos Espíritos - Pergunta 701.

Um aspecto que não foi possível apresentar devido ao tempo que se escasseou no decorrer da palestra é sobre um tema muito discutido no momento, os clones. Faz-se interessante ressaltar que o que a ciência apresentou é, antes de mais nada, deveras interessante, mas ela nos apresentou a manipulação da matéria (DNA) fazendo com que a evolução física seja presenteada, pois a ciência pode nos apresentar um ser humano fisicamente são ao nascer. Mas e o espírito ? O espírito encontrará um corpo saudável e poderá se privilegiar deste fato, mas o homem não manipulou a formação do mesmo...

Conclusão

O que pensamos ou podemos fazer a respeito das leis morais, especificamente neste caso, a lei de reprodução ?
Eu posso apresentar duas coisas: a primeira você já o fez, leu o que este que escreve nesta página te apresentou (conseguiu ler tudo?); a segunda é estudarmos, refletirmos e, após um exame prévio sobre o que nos foi apresentado, caso concordemos com estes conceitos perguntarmos a nós mesmos se estamos inserindo-os no nosso dia a dia, em nossa vida e se não, o porque de não os estarmos aplicando.

Esteja sempre com Deus no teu dia-a-dia, pois Ele certamente sempre está com você.