Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Desconfiança - o machado


Refletindo sobre desconfiança, percebi que agindo assim, sem darmos conta, vamos deixando a dúvida e a incerteza tapar nossos olhos, nossos ouvidos e obscurecer nossa mente, a ponto de perdemos o respeito, a compreensão e a caridade pelo próximo. Ao desconfiarmos de algúem passamos a ser egoistas, pois somente levamos em consideração a nossa própria opinião, sem nos atermos que podemos estar cometendo equívocos ou injustiças .
A seguir escolhi um texto do livro “Histórias para pais, filhos e netos” de Paulo Coelho, que ilustra muito bem esse sentimento:

O folclore alemão conta a história de um homem que, ao acordar, reparou que seu machado desaparecera. Furioso, acreditando que seu vizinho o tivesse roubado passou o resto do dia a observá-lo. Viu que o vizinho tinha jeito de ladrão, andava furtivamente como ladrão e sussurrava como um ladrão que deseja esconder seu roubo. Estava tão certo de sua suspeita que resolveu entrar em casa, trocar de roupa e ir até a delegacia dar queixa.
Porém, assim que entrou em casa encontrou o machado, que a mulher havia colocado em outro lugar.
O homem então, tornou a sair, examinou de novo o vizinho, e percebeu que ele andava, falava e se comportava como qualquer outra pessoa.


Que possamos aproveitar a oportunidade que  o Pai generosamente nos concede, para agirmos com fraternidade para com todas as pessoas que cruzam nossos caminhos.   Beijão! ♥♥