Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 2 de maio de 2017

O JOGO QUE INCENTIVA O SUICÍDIO (BALEIA AZUL) CHEGA AO BRASIL

Veja melhor no site:

http://estudantespirita.com.br/o-jogo-que-incentiva-o-suicidio-baleia-azul-chega-ao-brasil/

Chega ao Brasil mais um fruto da mente desvairada humana. Trata-se de um jogo mortal/suicida, chamado Baleia Azul ou Desafio da Baleia Azul. A revista Mundo Estranho, da Editora Abril, publicou uma matéria, explicando origem e como esse absurdo funciona:

Esse tal “joguinho” surgiu na Rússia, em 2016 e está associado a mais de 100 casos de suicídio no mundo. E, aparentemente, chegou ao Brasil. O jogo consiste em 50 desafios, distribuídos diariamente por um “curador” em grupos fechados de redes sociais. Todos os dias, em horário marcado, uma mensagem com a nova missão é publicada. O grau de seriedade é variável. No começo, as tarefas são mais simples, como assistir a um filme de terror sozinho ou desenhar uma baleia numa folha. Aos poucos, elas vão ficando cada vez mais perigosas: os participantes devem tatuar uma baleia no braço com uma faca. A 50ª e última tarefa, o indivíduo deve cometer suicídio.

Mas daí você deve pensar: o que tem a ver o nome desse jogo com os objetivos praticados nele? O nome se refere à uma crença popular que diz que a baleia-azul seria capaz de se suicidar, ao encalhar voluntariamente em praias.

Segundo o portal G1, que mostra alguns casos ocorridos na Rússia, em 2015, uma jovem de 15 anos se jogou do alto Resultado de imagem para jogo Blue Whale",de um edifício; dias depois, uma adolescente de 14 anos se atirou na frente de um trem. Depois de investigar a causa destes e outros suicídios cometidos por jovens, a polícia ligou os fatos a um grupo que participava de um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida. Mas foi no ano passado (2016), que começou a aparecer muito mais casos, o tal “joguinho” estava começando a tornar-se viral, quando fontes diversas chegaram a divulgar, sem confirmação, 130 suicídios supostamente vinculados a comunidades online identificadas como “grupos da morte”.

Em alguns países, como Inglaterra, França e Romênia, as escolas têm feito alertas às famílias, depois que adolescentes apareceram com cortes nos braços, queimaduras e outros sinais de mutilação.

Na última terça-feira (11/4/2017), dois casos em cidades diferentes foram registrados no Brasil e podem estar relacionados ao jogo. Ambas as vítimas teriam falado para seus familiares que estavam participando de algo do tipo e que recebiam constantes ameaças caso tentassem sair do grupo.

Mas se você acha que o jogo da Baleia Azul é o único nessa lista de joguinhos mortais, você está enganado. Jogos com apelos de riscos letais têm virado moda entre os adolescentes. Um exemplo é o jogo da asfixia, que gerou vítimas no Brasil. Outro é o “desafio do sal e gelo”, no qual, para serem aceitos no grupo, os adolescentes devem queimar a pele e compartilhar as imagens nas redes sociais. Embora exista há anos, o desafio voltou com força recentemente. Sem falar no “Jogo da Fada”, que incita crianças o gás do fogão de madrugada, enquanto os pais dormem.



Vamos obter mais alguns detalhes sobre algumas vítimas e este jogo maldito:

Na região do Mato Grosso, uma jovem de 16 anos é encontrada numa lagoa, na cidade de Vila Rica. A principal suspeita da polícia é de que a jovem participava de um jogo online que incitava desafios. o delegado André Rigonato, que conduz as investigações, afirmou que a mãe da adolescente relatou informalmente à polícia que a filha teria apresentado cortes nos braços há cerca de dois meses. A ação, segundo o relato, teria sido uma das “tarefas” impostas aos membros do suposto jogo online do qual a jovem participava. “A família tomou conhecimento desses cortes, mas não sabia da gravidade da situação”, disse.

Outro casso ocorreu em Minas Gerais. Gabriel Antônio dos Santos, de 19 anos, morava em Pará de Minas, cidade que fica na região central do estado, segundo a mãe do jovem, ele estava desesperado para sair do grupo da #Baleia Azul do qual ele participava pelo whatsapp, mas ele não conseguiu se livrar da última e derradeira tarefa o suicídio.

Segundo o Jornal Estado de Minas, o jovem tinha esposa e uma filha de apenas 40 dias de vida. Ele cometeu o suicídio na quarta-feira (12), o corpo dele foi encontrado por sua mulher em cima da cama do casal. A família está chocada, segundo parentes e amigos ele sempre foi um rapaz trabalhador, que pagava suas contas, mantinha sua casa e estava feliz com a chegada da filha. Mas depois que começou a participar do grupo secreto Baleia Azul, começou a agir de maneira estranha.

Segundo a mãe da vítima, o filho vinha tentando deixar o grupo mas estava recebendo ameaças e sendo muito pressionado. Segundo Maria, nos últimos dias o filho estava agindo estranhamente e parecia desesperado. Até que nesta quarta-feira ele cometeu suicídio. A esposa de Gabriel tinha passado a noite na casa de sua mãe e ao chegar em casa encontrou o marido desacordado, ele tomou dezenas de comprimidos, cinco cartelas de um antidepressivo foram encontradas ao lado do corpo, a polícia e os bombeiros foram acionados, mas infelizmente não tinha mais nada a ser feito.

As recomendações para as famílias são: monitorar o uso da internet, frequentar as redes sociais dos filhos, observar comportamentos estranhos e, sobretudo, conversar e conscientizar os adolescentes a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira. Atenção redobrada com os jovens que apresentem tendência a depressão, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul. Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias.