Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sábado, 30 de agosto de 2014

COMO PROMOVER HARMONIA ENTRE SENTIR, PENSAR E AGIR

Sei que é inerente ao ser humano a busca pela verdade, a compreensão das leis da vida e da evolução. Só que também percebo que há uma grande dificuldade de as pessoas atentarem para a sua real parcela de responsabilidade por si mesmas e, na maioria das vezes, buscam a salvação em fatores externos.

Em muitas ocasiões, ouvi pessoas dizerem que a igreja tal faz o milagre, ou aquela novena, tal santo, um determinado centro, ou tal entidade resolve tudo; ou ainda que um dado procedimento de uma terapia alternativa é o máximo em termos de cura.

Concluo que, realmente tudo funciona em termos relativos. Somos seres integrais e tudo se soma e interdepende, não somos somente um corpo, pelo contrário, temos corpo, mente, energia, espírito, mesmo que alguém não acredite nisso, mas é assim que é.

Acho também que temos de nos cuidar em todos estes aspectos e acredito que tudo pode ajudar, desde que a pessoa assuma o que é sua parcela de responsabilidade. Estudei muito sobre inúmeras técnicas e terapias com cristais, óleos essenciais, pirâmides, xamanismo, vidas passadas, magia e muitas outras técnicas alternativas e, sinceramente, acredito que tudo é funcional, uma vez que todas elas ajudam a eliminar algumas camadas que impedem a maior conscientização.

Realmente, tudo ajuda, porém, não acredito que o milagre e a cura aconteçam por conta de uma única técnica de terapia ou atuação de um terapeuta. Porque tudo obedece ao nosso próprio processo de afinidade, prontidão e livre-arbítrio; se não houver abertura, o externo não faz o milagre; se não houver querer, prontidão e consciência, a cura não acontece; seria como forçar um bebê a andar direito e ele não conseguiria, é claro, pois ainda não estaria pronto e a natureza naquele momento não corresponderia ao que queremos.

Através de estudos metafísicos, da física quântica, doutrina espírita, ciências ocultas, percebe-se que todas elas afirmam que tudo é regido por leis, que atuam tanto no plano material como no sutil. Tudo que vale para o macro vale para o micro. Se atuarmos pela observância destas leis, estaremos caminhando para um processo de equilíbrio mais natural. Além disso, precisamos compreender o nosso propósito de vida aqui, afinal não nascemos para passar férias no planeta, pelo contrário. temos uma missão com relação ao nosso próprio desenvolvimento, e assim, os nossos ideais de como a vida deveria ser são somente ideais porque a realidade pode ser bem diferente e, afinal, é o que precisa ser, já que nada acontece por acaso.

Tanto na Gestalt-Terapia, como na metafísica, para atingir o ponto de equilíbrio e a consequente maturidade emocional, as premissas básicas são assumir a responsabilidade pelo que estamos sentindo e fazendo e o conceito de aqui-e-agora, que significa exatamente o momento em que realmente estamos em contato com o que podemos ver, ouvir, perceber e, portanto, sentir.

Assim, podemos afirmar que responsabilidade e equilíbrio emocional estão diretamente relacionados, à medida que ninguém pode promover o seu autoconhecimento, a não ser você mesmo. O fato é que ao longo do tempo o homem se afastou por demais de sua verdadeira natureza. E tivemos fortes aliados para que isto acontecesse, tais como:

- A formação que recebemos, forçando-nos a nos preocupar com a imagem que transmitimos, visando atender à expectativa dos outros.  Com isso, diminuímos o contato com nossa espontaneidade e o nosso jeito natural de ser foi podado, já que poderia não ser aceito e assim nos tornamos meio que robôs, com modelinhos de adequado e inadequado, certo e errado, que passamos a seguir, em detrimento do que sentimos.

- A própria religião, através de informações e conceitos egoicos de seus dirigentes e seguidores, o que acabou afastando o homem de sua natureza Divina, encarando-a como uma coisa distante do organismo humano, quando a verdade é exatamente o contrário.

- A solicitação da sociedade em que vivemos com sua competitividade e urgência em tudo, criando com isso uma grande turbulência em nossa mente, o que por si só faz com se pense muito, aja-se pouco, fantasia-se demasiado e não se estabeleça um bom contato com o aqui-e-agora; ou seja, o contato com o sentir, com os órgãos dos sentidos, que o tempo todo estão transmitindo informações sobre o que está acontecendo ao nosso redor, bem como nossa interação com essas coisas e eventos.

Assumir a responsabilidade pelo seu autoconhecimento e equilíbrio emocional é justamente criar um espaço de reflexão para que sua percepção seja utilizada no que se refere ao seu jeito de ser e agir em todos os aspectos de sua vida. Equilíbrio emocional é aprender a lidar com as emoções, sentindo-as, respeitando-as, elaborando-as, exercendo ações de encaminhamento, tomando como ponto de apoio o sentir verdadeiro e não a cabeça egoica pensante.

O fato é que tudo tem um preço. E até para melhorar a saúde, autoestima ou trabalhar o processo de autoconhecimento, isto também tem um preço, que é certo trabalho, um gasto de energia para compreender e modificar atitudes habituais, normalmente, interpretadas como seguras porque são conhecidas, só que totalmente insatisfatórias. O preço a pagar é a re-aprendizagem das atitudes a partir da direção de sua verdadeira natureza e não a partir das crenças introjetadas e impostas pela sua formação familiar e social ou informações tradicionais e religiosas.

Entenda que todos nós temos uma história da vida atual e conteúdos que trazemos de outras vidas. A vida atual é uma espécie de síntese que impõe uma determinada aprendizagem, logo você vem com um propósito específico, porém não rígido. A família e o local onde você nasce são necessários para que cumpra o seu propósito. Logo você está na família certa e tem algo aí para ser trabalhado, resgatado e aprendido. Nada é por acaso.

Perceba e esteja aberto para absorver o seguinte: Você é, cem por cento, responsável por si mesmo. Penso que, quando o nosso maior Mestre, Jesus, disse: “Tua fé te curou”, ele se referia à atitude de fé, aos conteúdos pessoais que propiciaram a cura; assim, creio que podemos entender que nossas atitudes certas funcionam como a chave certa na fechadura da porta que abre os caminhos.

Abraços a todos e até a próxima!

Dra. Lourdes Possatto