Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

AUTODESCOBRIMENTO

AUTODESCOBRIMENTO – PALESTRA 03

1 – AUTOACEITAÇÃO

- A Autoaceitação é um dos primeiros passos para fazer uma mudança íntima ou trabalho pessoal de transformação

- O que mais nos toca é a dor do dia-a-dia e entender que diminuí-la é algo extremamente importante e necessária par a vida

- Um dos pontos principais para minimizar a dor interna é o autodescobrimento, conhecer a si mesmo, fazer esse mergulho interno, entender como a mente funciona

- Todos nós temos que lidar com dificuldades, porque isso faz parte da vida e, às vezes, não conseguimos perceber o “por que”

- Além do fato que lidamos no dia a dia com várias dificuldades, as quais tem como objetivo na vida,
como escola, nos tocar, nos sensibilizar para que possamos crescer, nós também temos uma dor provocada por nós mesmos

- Usamos o termo “Tirania interior”, “Martírio Interno”, que torna a nossa dor maior, muitas vezes nos martirizando, nos agarrando a ela , negando-a mas deixando que ela atue dentro de nós

2 – ANÁLISE TRANSACIONAL

- Temos três aspectos que nos mostram como funciona o psiquismo : “Pai Interno” (P) – “Adulto” (A) e “Criança Interna”

2.1 – CRIANÇA INTERNA  (C)

- Significa que mesmo sendo adulto, nós temos uma criança dentro da gente, um lado que ainda não amadureceu muitas vezes, e mesmo amadurecido, vai ser constituído quando éramos crianças

2.2 – ADULTO (A)

- É aquela prática que lida com os recursos do dia a dia, com as decisões, com a sobrevivência e os recursos

2.3 – PAI (P)

- É tudo que aprendemos com nossos pais, professores, nosso meio externo e fica registrado dentro de nós como uma voz interna.  É como se, adulto, trouxéssemos dentro de nós os nossos pais falando na nossa mente

- O significado de Pai e Mãe, inclui nossos avós, é a figura da autoridade. Essa parte são todos os ensinamentos, estímulos externos, os valores morais, todas as aprendizagens, é a maneira aprendida de viver

- Todos nós precisamos dessa parte, pois sem ela não conseguiríamos viver de forma civilizada, porque precisamos de algumas regras. Entretanto, sabemos que essa parte se desequilibra

- Temos esses três aspectos , os quais são importantes, mas se não fizermos uma identificação com qualquer um desses aspectos e negarmos os outros, teremos desequilíbrio. Se evidenciarmos um desses, ele vai atuar em áreas que ele não deve atuar.

-Exemplos:

(1)   Estou conversando com alguém e ele me fala de uma dor. Se eu estiver no (P), vou dar uma lição de moral, porque eu estou ali somente com as regras. Se ele vem com o seu lado frágil, a dor, e eu com o lado (P), eu não vou acolhê-lo, porque estou preocupado com o lado das regras, serei mora-
lista, vou dizer o que é certo e errado. Em consequência ele não vai ser visto, sentido, e nem
entendido

(2)   Uma pessoa está com muita dor e procura uma outra que também está identificado com a dor da
primeira. A segunda está no aspecto muito sensível e, por isso, ambos vão chorar juntos. Se ele
está ali para dar o apoio, estando extremamente sensível, vai ficar imobilizado, e se o outro falar
uma coisa torta, diferente, agressiva, ele vai reagir de uma forma agressiva porque está num lado
em que não tem muitos limites e está mais ligado ao lado emocional

- Cada um desses aspectos são necessários, mas se eu uso eles num lugar errado, vai dar confusão. Por exemplo : “Eu estou na frente do meu chefe e ele me dá uma bronca . Se eu estiver na “Criança” (C), vou dar uma birra qualquer ou dar um chilique danado e brigar com ele.

Se eu estiver no “Adulto” (A) vou sentir o impacto, vou decidir o que fazer naquele momento e aí vou me posicionando de forma adequada. Nessa situação em que o chefe me deu uma bronca, eu preciso estar no adulto (A), mas se eu estiver numa situação afetiva, vai complicar. Se eu estiver numa relação afetiva e tiver no “Pai” (P), o tempo todo, vai complicar também, porque o outro nunca vai ser visto, acolhido como indivíduo

- Cada uma dessas partes é importante, pois temos que desenvolver todas

- Em resumo: O “Pai” (P) é o conceito aprendido. O “Adulto” (A) é o conceito pensado e a “Criança” (C) é o conceito sentido

3 – DIVISÃO DESSES ASPECTOS

3.1 – “PAI” (P)

– Essa parte que é de Censura (P), que nos dá diretriz, pode ser dividida em forma saudável (“P” ok ,
Positivo, Saudável) e não saudável ( “P” não Ok, Negativo,Perseguidor ou Salvador))

- A maioria de nós tem uma porção dessa parte que é “saudável” (“P” ok ou positivo), entretanto a maioria é “Não ok” ou “não saudável”. Por exemplo : “Uma pessoa que tem a parte “Saudável”, quando alguém chega  até ela, a mesma vai saber exatamente o que a outra precisa, vai orienta-la, vai dar-lhe conselhos e necessariamente não vai dizer o que a outra necessita fazer, e vai fazer a outra pessoa pensar

- Se uma pessoa tem um”P” Negativo (Perseguidor ou Salvador ou “Não Ok”) e eu vou até ele para pedir conselho, ele vai passar a mão na minha cabeça e passa a ser o “salvador” e vai me ajudar muito. Isso cria a dependência e não deixa o outro crescer

- A melhor forma de ajudar o outro é não dizer o que ele deve fazer, mas fazer com que ela pense e tire a sua própria conclusão. Esse seria o “P” Ok ,positivo ou “saudável”

- Quando eu ensino demais, resolvo demais, faço demais, estou no lugar do “Salvador” e, neste lugar eu vou me prejudicar e prejudicar o outro também

- O outro aspecto negativo desse lado é a parte que critica, é a parte  que censura, que acaba sendo perseguidor. Exemplo : “Eu estou com dor , com um problema e procuro um indivíduo que está no “Pai perseguidor”. Então ele vai passar a mão na cabeça, vai dar um tranco, vai entrar no crivo do certo e errado e vai apontar aonde você errou

3.1.1 – PAI INTERNO (  “P”NÃO OK)

- o Pai Interno (“P” Não Ok) pode também ser chamado de “Tirano Interno”, que é essa parte que nos crucifixa, que nos faz mal, nos tiraniza, nos culpa, nos pune

- Nós vamos falar de nós para conosco mesmo, pois tudo que eu fizer comigo, farei com o outro, poi se eu for tirano comigo, também serei com o outro

- O “Tirano Interno” é aquela parte dura comigo mesmo, que me coloca para baixo

- Características do “Tirano Interno”

(1)   Ele me Auto-Recrimina
(2)   Ele se Auto-Persegue
(3)   Ele se Auto-Critica
(4)   Ele se Auto-Censura
(5)   Ele se Auto-Flagela, até o ponto de se destruir, pois tem pessoas que o Tirano Interno é tão impla
cável, que isso gera qualquer dor na vida dela, no dia-a-dia
(6)   Ele se Auto-Destrói
(7)   É cruel consigo mesmo
(8)   Ele se Auto-Pune
(9)   Ele é opressor
(10)Ele se remõe
(11) Ele boicota
(12) Ele se culpa

- Este é um dos lados mais difíceis de serem dobrados dentro da nossa realidade interna

- Ele é o lado que no meio religioso é o que mais  se fortalece, pois acaba tornando as pessoas mais
rígidas, duras, pois em vez de tomar isso para se libertar, utiliza para se punir e fragelar

- Um outro aspecto do “Pai Não Ok ”, muito presente no meio religioso do lado rígido, é que quanto mais eu sei, mais eu endureço, pois tenho medo de ser deturpado aquilo que eu amo com verdade. Então, eu começo a ficar rígido e perseguidor, perseguindo por cautela, por amor, mas acabo ferindo, machucando e oprimindo

- Características da rigidez :

(1) Inflexibilidade
(2) Dureza
(3) Severidade
(4) Rigor
(5) Absolutismo
(6) Radicalismo
(7) Fundamentalismo
(8) Fanatismo

- Isso é muito mais comum do que imaginamos, pois na maioria das vezes somos rígidos, e quanto mais sede de evolução, mais duro somos  conosco, porque queremos evoluir na “marra”. A maior forma de Evolução é pelo amor e não com o sacrifício do esforço

- Um outro aspecto é do automatismo, do robô. É uma das formas mais seguras de estar na vida, mas não nos deixa crescer, ficamos preso, repetindo sempre

- O automatismo tem o aspecto da alienação, pois quanto mais automático estou, mais alienado fico. Eu viro um fantoche de mim mesmo ou dos outros e fico prisioneiro de mim mesmo

- Um outro aspecto  forte do “P” (pai) é o perfeccionismo. De fato somos diamantes, por sermos filhos de Deus, mas ainda Diamante bruto a ser lapidado

- Uma das maiorias causa de dor da Humanidade é exigir ser aquilo que a pessoa não está pronta para ser - Não existe Reforma Íntima sem o acolhimento do que nós somos aqui e agora. Precisamos de forças, e energia , mas só podemos adquiri-las nos aceitando



3.2 – ADULTO

- O “Adulto Ok (“A” Ok) é aquele que resolve os problemas, mas ele dá chance para o outro, dá apoio pro outro

-O “Adulto” não Ok (“A” não Ok) é competitivo, é ego centrado, pensa só nele, pois aprendeu na vida que quem é mais forte, vence

3.3 – CRIANÇA

- A “Criança não Ok” (Rebelde) é aquele lado que é sensível e emocional, mas não é um lado livro, criativo, intuitivo, que vive o lazer

- O lado “Adaptado (Submisso ou não Ok) não dá conta de nada disso, não consegue usufruir o prazer, não consegue ser criativo, porque está adaptado a agradar a todo mundo para ser aceito

- As  nossas emoções ficam muitas das vezes escravizadas da aceitação dos outros, porisso esse aspecto da criança precisa ser desenvolvida, pois nós precisamos das nossas emoções

- Essa “Criança Interna” tem dois aspectos

(1)   Submisso, que cumpre todas as regras para agradar, e faz tudo para não incomodar ninguém, pois é uma pessoa muito boa, muito correta

(2)   O lado rebelde, que são as pessoas descobriram que a única forma delas terem atenção não é submetendo-se, mas criando caso, não aceitando a autoridade

- Tem gente que aceita a autoridade, pois na realidade ele se soma com a ela e, assim, vai ter vantagem.Esse é o submisso

- O rebelde não aceita regras, não aceita ordens, entretanto está escravo mesmo assim

- O que temos que desenvolver é o que se chama “Criança Livre”

- Esses três aspectos do ego é importante conhecê-los para saber em que parte estamos e,em consequência sairmos da dor. Por exemplo : “Na hora em que estou discutindo com a minha mãe, com a minha esposa. Se estou na parte censora, adulta ou infantil. Se eu não estou aberto para olhar a verdade do outro, isso não é estar no “Adulto”, é o estado reativo, que não pensa e simplesmente reage

Quando eu percebo esses 3 aspectos posso começar a me entender melhor aonde estou em cada momento deste

4 – ASPECTOS DO SER SEGUNDO A ABORDAGEM TRANSPESSOAL

 4.1 – “EU VERDADEIRO” : “LUZ INTERIOR”, “ESSÊNCIA”, “EU DIVINO”

- O mais importante é lembrar que nós somos  “Luz”, e que temos que trabalhar para nos conectar
com essa “Luz”

4.2 – “EU DISTORCIDO”: ASPECTO  SOMBRIO”, “SOMBRA PESSOAL” E “EU
INFERIOR”

- Dentro de nós temos essa Luz, essa essência e o que temos que evoluir é o aspecto do “Eu distorcido”, e do “Eu falso”


4.3 – “EU FALSO” : “EU ILUSÓRIO”, “PERSONA”, “DEFESAS” E “MÁSCARAS”

- Esse “P” distorcido e “não Ok” é o “Eu Falso”, o “Eu Ilusório”, a “Persona”, as “Defesas” e as
“Máscaras”

- O mais importante é lembrar que somos Luz, só que temos que trabalhar para nos conectar com ela


5 – PERGUNTAS :

5.1 – Como acolher a nossa “Criança Interior” ?

- Uma das maneiras é sabermos  que temos essa “Criança Interna”, que necessita de acolhimento, e se não soubermos nunca iremos fazê-lo

- Sempre quando falamos da “Criança Interna” é muito comum ter a idéia de que é uma parte desprezível, pequena e que pode ser deixada de lado, negligenciada. Eu tenho que legitimar as necessidades que tenho como criança internamente, como por exemplo : lazer, carinho, ser acolhida, entrar em contato com as emoções . Essa parte é tão importante quanto qualquer outra

- A sociedade nos ensina a valorizar o “Adulto”, mas sem emoção e assim, em hipótese alguma,  teremos saúde. Ela nos ensina a ter muitas regras, mas não nos ensina a ter intuição, a ter amorosidade, pois não existem escolas que nos ensinam a nos amar e nos acolher

- O segundo passo, é estar atento a essas necessidades e se comprometer a dar as mãos a essa parte fragilizada. Se eu negligencio essa parte, eu não tenho forças e energia e aí entro em depressão, pois a energia vital do corpo está associada à “Criança Interna”

5.2 – Não é necessário esforço para vencer o homem velho ?

- Nós precisamos se esforçar sim, pois é o preço que temos para ficar mais leve, e que faz parte da vida, entretanto, só o esforço não nos traz a superação e o Crescimento Espiritual, e o Cristianismo nos ensina isso com clareza, precisamos do amor , porque sem amorosidade e sem acolhimento não temos união

- Na Doutrina Espírita nós temos um suporte enorme de orientação que nos diz claramente da neccessidade de esforço e também o quanto importante é a abertura do coração, porque sem ele aberto, não temos irmandade, não temos coleguismo, cooperação, não temos ajuda mútua

- Se eu me preocupar só em crescer e fazer esforço, eu vou estar tão preocupado com a minha ascensão que vou esquecer do meu colega de trabalho , porque estou tão preocupado em fazer o que é certo que eu esqueço que a maior e a máxima do Evangelho é “Amar uns aos outros”, e para amar não adianta esforço, pois o amor não se aprende se esforçando, mas se abrindo, se incluindo, se tornando igual, pressupondo Humildade

5.3 – Como evitar que a Autoconsciência gere uma rigidez ou Autotirania

- Nós viemos de muitas reencarnações com essa rigidez e quando vem uma ideia que nos traz uma clareza tendemos a nos cobrar, e grande parte das patologias mentais e físicas, são devidas ao rigor conosco mesmo

- Uma das maneiras de afrouxar essa rigidez é lembrar, mesmo que eu conheça as regras, as Leis Espirituais, que não posso exigir ser um diamante que brilha de uma hora para outra., pois tenho que aceitar que vou ascender passo a passo e que a evolução não se faz de um dia para o outro

- Nós somos “sementes” e já estamos virando “broto”

5.4 – O que fazer para praticar os ensinamentos quando a outra pessoa quer nos manter no estilo antigo ?

- Se eu me mudo e se me transformo, de alguma forma eu também vou mudar o meio e as pessoas que comigo vivem

- Nós precisamos de perseverança e de persistência, a criar uma “sedimentação interna”, porque o outro que está conosco já nos conhece há bastante tempo e ela não vai se convencer de uma hora para outra

- Essas pessoas que estão ao nosso lado desconfiam porque querem ver de fato se realmente nós mudamos, pois muitas vezes mudamos somente da boca prá fora

- Nós só vamos atingir o outro não com palavras, mas com nossa mudança real, verdadeira e com atitude


Grupo de Estudo Espiritual