Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sábado, 11 de junho de 2016

Prevenção na Escola

Prevenção na Escola

A escola na prevenção ao uso de drogas

Alguns fatores colocam a escola em situação privilegiada para a promoção da saúde e a prevenção do uso de drogas. Destaca-se que:

A maioria dos casos de experimentação de drogas ocorre na adolescência, período em que a maior parte das pessoas frequenta a escola;
Os jovens passam tempo significativo de suas vidas dentro do ambiente escolar;
A escola é um espaço privilegiado para reflexão e formação de valores.
Quando o assunto são as drogas, o principal papel da escola deve ser a prevenção primária, ou seja, evitar a experimentação por meio da redução de fatores de risco e do reforço de fatores de proteção. Esse papel não deve ser traduzido como mais uma tarefa cotidiana do educador, abordado simplesmente de forma pontual. Pelo contrário, precisa ocorrer dentro do contexto pedagógico, como um trabalho de reflexão e de estímulo ao desenvolvimento do pensamento crítico. Deve-se enfatizar que os estudantes sejam responsáveis por suas ações, façam escolhas saudáveis e desenvolvam o protagonismo e a autonomia. Além disso, a escola deve ser um ponto de convergência de programas e projetos que visem a promoção de saúde em toda a comunidade onde está inserida.

O efeito das drogas é o mesmo para todas as situações?

Não. Os efeitos dependem de alguns fatores como:

Cada tipo de droga causa um efeito diferente no organismo;
A mesma droga também pode ter diferentes efeitos, dependendo
Da quantidade e da forma como é consumida (inalada, injetada ou ingerida);
As drogas ilícitas podem ter graus de pureza diferentes, já que a sua fabricação não é controlada. Assim, a mesma quantidade de droga pode ter efeitos variados e imprevisíveis;
O efeito também varia de uma pessoa para outra, devido às diferenças biológicas e psicológicas entre os indivíduos;
O local e a situação onde a droga é consumida também podem influenciar no seu efeito. Em um local público, com grande quantidade de pessoas, há maior chance de se manifestarem sensações de perseguição, por exemplo.
É importante ter consciência de que os efeitos das drogas não são os mesmos para todas as pessoas ou em todas as ocasiões. Muitas vezes, a mesma experiência que foi agradável, e que não causou maiores problemas para uma pessoa, pode trazer riscos e danos para outra. Os efeitos das drogas não podem ser totalmente previstos e controlados.

Por que não usar drogas?

A droga provoca um prazer enganoso. Com o passar do tempo, o organismo passa a querer usá-la cada vez com mais frequência e em quantidades maiores.

O jovem acredita que pode interromper o uso a qualquer hora e que as consequências negativas nunca irão ocorrer com ele. Muito se engana, pois qualquer droga vicia – cada uma no seu tempo, dependendo da quantidade. O fato é que o indivíduo é sempre afetado de forma prejudicial. O usuário e sua família acabam arcando com as consequências, com desgastes de relacionamentos entre pais e filhos, amigos, parentes e namorados. Além disso, a droga contribui com o aumento de violência urbana e doméstica, brigas e mortes no trânsito, roubos, assassinatos, vandalismo, entre
outros destinos bastante prejudiciais para o futuro do jovem.

O papel do Educador

O educador é fonte de inspiração e modelo para os alunos. Todo movimento exercido por ele pode ser imitado, avaliado ou reprimido. Suas atitudes pessoais de cuidado com a saúde, o meio ambiente e a sociedade podem ser observadas e seguidas.

O tema prevenção ao uso de drogas é normalmente desconfortável à sociedade.

O professor é essencial para o enfrentamento desta questão em razão de sua proximidade com os alunos. A construção coletiva do conhecimento, mediada pelo
professor, pode proporcionar informações claras sobre os efeitos das drogas para o jovem, sua família e a sociedade.

O tema drogas pode ser abordado por meio de diferentes disciplinas. É importante exercitar a reflexão sobre seus contextos e determinantes sociais, políticos, econômicos, históricos, biológicos, culturais e éticos. O professor deve buscar constantemente conhecimentos científicos e novas práticas de prevenção às drogas, com vistas à conscientização dos alunos. Além disso, é seu papel contribuir com a formação de sujeitos transformadores da realidade.

Fonte:

Caderno Sesi e você na Prevenção das Drogas, p. 27 / 29. Confira na íntegra o caderno para Educadores >>

http://www.sesipr.org.br/cuide-se-mais/alcool-e-outras-drogas/uploadAddress/caderno_educadores_online[42937].pdf

Caderno Sesi e você na Prevenção das Drogas, p. 34 / 37. Confira na íntegra o caderno para Adolescentes >>

http://www.sesipr.org.br/cuide-se-mais/alcool-e-outras-drogas/uploadAddress/caderno_adolescentes_online[42936].pdf