Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

quarta-feira, 23 de março de 2016

OS NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA

OS NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA

No inicio dos estudos a Psicologia estava ligada apenas ao cérebro fisiológico. Com a Psicologia Transpessoal observou-se estados alterados da consciência, ampliando as possibilidades de expansão da mesma. Vários estudos foram feitos inclusive com o uso do SLD e observou-se a ampliação da consciência.
“Segundo a tradição filosófica da Índia, a totalidade da vida psíquica pode ser entendida como uma estrutura dinâmica formada de vários níveis os quais se manifestam partindo de um único centro de irradiação, o Self. Em cada um desses níveis, são percebidos aspectos da realidade correspondente ao estado de consciência a partir do qual a atenção do individuo se mantém ativa.”   (RAMACHARACA – MÁRCIA TABONA EM A PSICOLOGIA TRANSPESSOAL)
Desde as tradições hindus os níveis de consciência já eram percebidos = percepção variadas de sua existência.
É a partir da nossa atenção que vinculamos a energias que direcionamos para a vida. “Onde está o teu coração ai está a tua vida, tua energia, o teu pensamento.” JESUS
Quais os aspectos da vida te chamam mais atenção? Para onde tua vida é direcionada no dia a dia? Para onde se dirige a energia da vida é que determina o grau da consciência.
“No 1º nível se transita no sono sem sonho – apenas os fenômenos orgânicos automáticos se exteriorizam, assim mesmo sem o conhecimento da consciência, tais: respiração, digestão, reprodução, circulação sanguínea...” (JOANA DE ANGELIS EM O SER CONSCIENTE CAP.8)

No 1º nível estamos na terra estagiando no sono sem sonho, isto é, sem reflexão do significado existencial, limitando-nos a vida fisiológica de alimentação, reprodução e repouso.
Nossa vida é um esforço para despertar do sono. É o estado inicial da evolução, primeiras reencarnações. Vive-se quase que automaticamente sem perceber a realidade do outro. Predomina o ego.

“Embora o intelecto esteja em ação, não existem paradigmas para o comportamento que esteja arquivado no imo, sendo essas as primeiras experiências que se consolidarão, à medida que sejam vitalizadas podendo ressumar em forma de conhecimento que se aprimora quanto mais sejam vivenciadas.”
(JOANA DE ANGELIS EM CNCONTRO COM A PAZ E A SAUDE CAP.9)
Não há participação intelectual mais profunda por não ter arquivado experiências que proporcione maior grau de evolução. A vida oferece desafios em busca de soluções para o despertamento gradual.

“No 2º nível, o sono com sonho, ele libera clichês e lentamente incorpora-os à realidade, passando pelas fases dramáticas, pesadelos e pavores – para os da libido – ação dos estímulos sexuais – e os reveladores – que dizem respeito à parcial libertação do espírito quando o corpo está em repouso...”
(JOANA DE ANGELIS EM ENCONTRO COM A PAZ E A SAUDE CAP. 9)

Ainda não é a criatura desperta. Mas é sono com sonhos. Os sonhos tem a participação do inconsciente mas  há também a manifestação do ego e do espírito num processo que tem por objetivo despertar o ser.
Precisamos observar que tipo de energia temos represada e que se manifesta no sonho. Que forças não foram estruturadas, bem elaboradas na minha existência e que aparecem na vida inconsciente.
A partir do desenvolvimento da consciência temos sonhos reveladores.
Todas as forças da vida estão a serviço do ser. Se “alguma força está em conflito é porque não foram bem canalizadas e aparecem nos sonhos para revelar isso.” No instante em que a consciência se si se instala, o sentimento acompanha a capacidade de compreensão dos acontecimentos, dando lugar ao surgimento da culpa, no momento após a pratica do erro, em forma de remorso e de arrependimento com conseqüente resultado da busca em favor da reparação...”
(Joana de Angelis em ENCONTRO COM APAZ E A SAUDE  CAP.9)
Quando praticamos erro o ser percebe, a consciência acusa na forma da culpa. O objetivo da culpa é levar à responsabilidade. É forma de despertar do sono. Sem ela quanto desmando se praticaria quanto autoritarismo...
Precisamos conhecer o recado da culpa. Que tipo de crença interior foi contrariada para que ela se estabelecesse na consciência?

“A partir do sono com sonhos, a vontade desempenha papel relevante, impulsionando o ser a novas realizações e conquistas completadoras que enriquecem o arsenal psicológico amadurecendo o essencial à vida e selecionando-o do amontoado egóico do supérfluo.”
(Joana de Angelis em O SER CONSCIENTE  cap.8)

A vontade exerce papel preponderante em nossas realizações e na nossa transformação. A partir do exercício da vontade chegaremos ao terceiro nível de consciência.

“O desenvolvimento da consciência atinge o 3º nível, o do sono acordado, no qual a determinação pessoal, aliada à vontade conduz o ser aos ideais de enobrecimento, à descoberta da finalidade de sua existência, às aspirações do que lhe é essencial, ao auto-encontro, à realização total.”
(Joana de Angelis: O SE CONSCIENTE cap. 8)
Nesta fase não responsabilizamos mais os outros pela nossa felicidade ou infelicidade. Tomamos consciência da nossa responsabilidade. Sabemos que a paz, a felicidade é conquista íntima.
Nessa etapa acontecem transformações profundas e o senso de religiosidade nos abraça. Passamos a ver a vida sob nova dimensão. Direcionamos esforços para a família universal. Percebemos que a vida precisa nossa colaboração. O próprio JESUS colocou-se a serviço da vida.
Despertar é descobrir novos recursos que estavam desperdiçados. É descobrir novas possibilidades.

“Despertara significa identificar novos recursos ao alcance, descobrir valores expressivos que estão desperdiçados, propor-se significados novos para a vida e antes não percebidos.”
(Joana de Angelis: O SER CONSCIENTE cap.10)

Despertar é conduzir a vida de outra forma mais enriquecedora na busca de novos valos e possibilidades.

“Essa realização (o despertar) não se dá somente quando tudo parece bem, mas sim, quando sucedem ocorrências que são convencionalmente denominados infortúnios. Diante de tais fatos, ao invés de haver revolta ou desespero, na serenidade do estar desperto, interroga-se: O que me está desejando dizer este fenômeno perturbador?”
(Joana de Angelis: VIDA: DESAFIOS E SOLUÇÕES cap.,8)

Como nos comportamos perante os desafios da vida? Das contrariedades e frustrações que são necessárias, onde o ego deve estar sempre percebendo que ele não é o dono da situação?  Ele busca a condição de ser servido. A vida propõe desafios, novos limites... e desse choque entre a vida e o ego pode acontecer o crescimento, o despertar de nossa atitude. Como nos colocamos: na situação de vítima ou responsável pelo que acontece?
Em tudo há lições a se aprendidas. Precisamos examinar tudo o que ocorre ao nosso redor nos impulsionando para algo mais.

“Mediante a conquista – da autoconfiança – a vontade passa a ser comandada pela mente saudável, que discerne entre o que deve e o que pode fazer, quais são os objetivos da sua existência na terra e como amadurecer emocional e psicologicamente, para enfrentar as vicissitudes, as dificuldades, os problemas  que fazem parte do todo o desenrolar do crescimento interior.”
(Joana de Angelis – VIDA: DESAFIOS E SOLUÇÕES cap.,8)

Conquistando a autoconfiança, a vontade elaboramos uma mente saudável para lidar com todos os fenômenos existenciais. A vida passa não mais ser um mar de lágrimas, só de dificuldades...
A dificuldade existe na intensidade em que lhe damos importância. Precisamos aumentar o grau de consciência. Olhar com olhos do espírito para poder levar uma vida mais serena evitando dores desnecessárias.
Precisamos olhar a vida a partir do divino que somos então ampliaremos ao grau da consciência passando para o quarto nível de consciência. “A partir daí, ascende ao 4º estado, que é a descoberta da transcendência do eu, a identificação consigo mesmo com a conseqüente liberação do Eu profundo, realizando a harmonia intima com os ideais superiores, seu real objetivo psicológico existencial.”
(Joana de Angelis: O SER CONSCIENTE cap.8)

É o ser desperto. A consciência de si mesmo que vai avançando a medida que percebemos que somos muito mais que um corpo, do que as sensações que  esse corpo traz. Somos mais que do que o ego pode perceber. Vamos deixando lacunas no nosso próprio despertar. Paulo de Tarso: “Não sou mais eu que vive, mas o Cristo que vive em mim.”
Além do ego há algo superior. Precisamos colocar nossa aluiria a serviço da vida. Então alcançamos o 5º estágio= consciência cósmica que tem por exemplo máximo JESUS: “eu e o Pai somos um.” Então o divino se manifesta em nós.