Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sábado, 5 de março de 2016

ESTRUTURA DA PSIQUE I

somba
Buscando estabelecer uma visão geral da base científica que dá sustentação ao conhecimento psicanalítico, postamos abaixo os “apontamentos de aula” de Luis Marcelo Ramos: o texto traz o conteúdo de uma aula sobre Teorias da Personalidade com foco nos fundamentos da Psicologia Analítica do psicólogo e psiquiatra suíço Carl Gustav Jung (1875-1961). Na verdade, serão três postagens ao todo… eis a primeira.  
GÊNESE DA PSICOLOGIA ANALÍTICA  
Fundada no início do século XX pelo psicólogo e psiquiatra suíço Carl Gustav Jung(1875-1961), o termo Psicologia Analítica passou a ser utilizado oficialmente por Jung em 1913, porém, suas bases foram geradas em anos anteriores.  
Jung foi um dos mais proeminentes discípulos de Freud, exercendo a Psicanálise de 1909 a 1913, ano em que rompeu com Freud e fundou a Psicologia Analítica. Após a morte de Jung em 1961 a Psicologia Analítica continuou a receber contribuições dos neo-junguianos.

CONCEITO  
Escola de Psicologia fundada pelo psicólogo e psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, detentora de uma teoria sobre a estrutura e o funcionamento do psiquismo humano (psique) e, também, uma categoria de psicoterapia.  
PRINCIPAIS FUNDAMENTOS 
psique (psiquismo humano) é formada por: conscienteinconsciente pessoal einconsciente coletivo. 
O eixo central da Psicologia Analítica é o Processo de Individuação: tendência instintiva e teleológica de o ser humano, através de processos de autoregulação, desenvolver suas potencialidades inatas em direção à realização da totalidade psíquica (autodesenvolvimento, autorealização e autoconhecimento). 
O Processo de Individuação ocorre através do fluxo dialético (permuta e transformação) da energia psíquica (libido) que corre entre o consciente, o inconsciente pessoal e o inconsciente coletivo. 
Esse fluxo de energia, através de processos de autoregulação, sempre visa ahomeostase psíquica (equilíbrio psicológico). 
O conceito junguiano de libido difere do freudiano: para Jung a libido compreende não só a energia sexual, mas, também, energias associadas ao instinto de sobrevivência, à motivação, às relações afetivas, desejos de autorealização, autoconhecimento, vivências espirituais e, enfim, ao Processo de Individuação. 
Apesar de o Processo de Individuação ser o tema principal da obra junguiana, seu estudo mais conhecido trata dos tipos psicológicos – tipos de personalidade. 
ESTRUTURA DA PSIQUE
  
Psique está estruturada em três elementos: conscienteinconsciente pessoal inconsciente coletivo. 
Consciente 
– Sistema do aparelho psíquico que mantém contato com o mundo interior (processos psíquicos, internos) e exterior (meio ambiente e social) do sujeito. 
– Na consciência destaca-se os fenômenos de percepção intrínseca e extrínseca, senso de identidade, atenção, raciocínio e memória, entre outras funções cognitivas e emocionais. 
– As pessoas são conscientes apenas de uma pequena parte de sua vida psíquica. 
– O consciente tem como centro organizador o Eu. Tanto o Eu como oConsciente como um todo surge do Self (localizado no Inconsciente coletivo). 
Inconsciente pessoal  
– É a camada mais superficial do inconsciente, cuja fronteira com o consciente é bastante imprecisa. 
– Nele permanecem os conteúdos inconscientes derivados da vida do indivíduo – sua formação é, portanto, a posteriori ao nascimento.
Esses conteúdos são formados por percepções subliminares e combinações de idéias com energia psíquica insuficiente para irromperem na consciência, experiências de vida “esquecidas” pela memória consciente, recordações dolorosas se serem relembradas, repressões sexuais, desejos reprimidos, qualidades da personalidade – positivas e negativas – desconhecidas pelo Eu e, principalmente, grupos de representações carregados de forte carga emocional e incompatíveis com a atitude consciente (complexos, cujas bases são os arquétipos – localizados no Inconsciente coletivo). 
– Geralmente esses conteúdos não possuem energia psíquica suficiente para permanecerem no campo da consciência, entretanto, podem adquirir a energia necessária para emergir na consciência na forma de lembranças, sonhos, fantasias, devaneios e comportamentos.
Quando irrompem na consciência podem possuir um significativo grau de autonomia, chegando até a tomar sua posse temporária.
Inconsciente coletivo 
– É a camada mais profunda do inconsciente e a base da psique. 
– É constituído pelos arquétipos : núcleos instintivos passados de forma psicobiológica de geração a geração, trazendo padrões de comportamento herdados desde o surgimento da humanidade e mesmo antes dela, no período em que o homem ainda era animal – a gênese doInconsciente coletivo é, portanto, a priori ao nascimento. 
– Os arquétipos constituem a base dos complexos situados noInconsciente pessoal. Os arquétipos são inúmeros, incontáveis, entretanto, Jung identificou alguns que estão em permanente contato com o Eu. São eles a persona, a sombra, a anima, animus e o self. 
– O Self – também denominado de si mesmo – é o centro organizador não só do Inconsciente (pessoal coletivo), mas, também, de toda apsique. É do Self que surge a consciência e o Eu. 
– Jung chamou a camada mais profunda do Inconsciente coletivo dePsicóide : a ela estão associados fenômenos “extra-racionais” tais como sonhos e visões premonitórios, sincronicidades (“coincidências significativas” em torno de pessoas e objetos) e telecinésia. 
Temos abaixo a estrutura da psique em forma de diagrama:
Modelo da Psique Jung
Continua o artigo nas partes II  e III  nos links abaixo:
Veja também a ESTRUTURA DA PSIQUE de Sigmund Freud: