Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

quarta-feira, 5 de março de 2014

Ética e Espiritismo

Aristóteles, filósofo grego (século a. C) afirmava que o objeto da ética; é definir o bem do homem, quer dizer, um bem prático, realizável pelo homem (o que ele pode realizar de bom).

Toda cultura e toda sociedade instituem uma moral, Isto é, uma regra do bom proceder, ou ainda valores concernentes ao bem e ao mal, ao permitido e o proibido, pra todos os membros dessa sociedade.

Mas para que esta moral seja cumprida, um pensamento ético, lhe acompanha (a ética é irmã genes da moral).

Ética é, pois, o estudo do juízo de apreciações referentes à conduta humana, suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal. Portanto, é um conjunto de princípios e valores que guiam e orientam as relações humanas. Devem ser princípios universais e precisam ser válidos para todas as pessoas para sempre.

O primeiro código de ética conhecido pela humanidade são os Dez Mandamentos, divulgado por Moises.

PONDERAÇÕES SOBRE A ÉTICA

O que torna legítima a ética é: a sua racionalidade. É justo perguntar se existe ética nos dias atuais e se a inversão de valores significa o fim da ética?

A ética é a busca da virtude e da sua perpetuidade!

A primeira tarefa da ética é a educação do nosso caráter. No Espiritismo é a reforma íntima, ou seja, a verdadeira revolução moral, na busca da sua racionalidade.

A busca do bem e da felicidade constitui a essência da vida sob a ótica racional da ética.

Na raça humana a presença da ética socializa, moraliza e espiritualiza a vida, fazendo-a mais autêntica, mais séria e feliz!

Os valores éticos, de uma maneira geral, têm sido desrespeitados e esquecidos nos mais diversos campos da atividade humana, como:

·Falta de respeito aos outros e às suas idéias

·Desrespeito aos direitos dos outros

·Cumpre-se muito pouco as leis e os regulamentos

·Não é honesta a distribuição de renda aos homens

·Os benefícios sociais são negados pelas autoridades

·É negada também a justiça social, aos mais pobres.

Além disso:

·A falta da ética fomenta a revolta, a miséria, a fome.

·Prevalece o egoísmo, quando escasseia a ética.

·O fim da ética pressupõe o início do conflito

·A falta de democracia anuncia a carência ética

·O fim da liberdade denota que a ética desfalece

·A inversão dos valores reafirma que não há ética

·O poder e a riqueza nem sempre contém ética

·A falta de ética trata a pessoa como coisas

·Sem ética é quando o bem é dominado pelo mal

·Quando a ética se aniquila, esvaziam-se as virtudes.

·Sem ética vivemos a crise moral.

Não roubar, não mentir, não matar!

Essa era a gênese do povo Inca. Mas continua ser também a gênese de qualquer sociedade humana. O que contrarie esses princípios, fere a ética, a moral. O Evangelho de Jesus, e a Doutrina dos Espíritos de Kardec.

A ÉTICA NO SÉCULO XXI

A falta de ética não será considerada retrocesso para a humanidade?

O Livro dos Espíritos diz:

629 - Que definição se pode dar de Moral?

-A moral é a regra do bem proceder, quer dizer, a distinção entre o bem e o mal.

O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capitulo XVII, item 8, diz:

A virtude no mais alto grau é o conjunto de todas qualidades essenciais que constituem o homem de bem.

O ESPIRITISMO E SEU CÓGIDO MORAL

A ética é o conjunto de regras que constituem os bons costumes. A moral e a ética denotam juntas o respeito ao próximo e a si mesmo.

A ética é uma espécie de cimento na construção da sociedade. Caso exista um sentimento ético profundo, sociedade se mantém bem estruturada e organizada. Prevalece a lei e a ordem. Ao contrário, o que os nossos dias demonstram, vivemos uma crise de identidade. A ética não é a maior preocupação dos que comandam.

O Espiritismo, longe de ser uma doutrina que nos conduza ao falso moralismo, tampouco ligado ao fanatismo, jamais optando pelo radicalismo, analisa a falta da ética nas atividades humanas, como um resultado da ruptura profunda da crise moral, autodestrutiva e nociva aos mais belos e formosos anseios do homem na face da Terra.

Para a doutrina espírita, o maior desafio para a implantação da ética e da moral, como regras de bom procedimento e de aplicabilidade das virtudes conscientes, está na tarefa diária de criar um espírito de cidadania, de respeito aos direitos mínimos da pessoa humana e também da certeza de que somos os idealizadores e construtores do nosso próprio destino.

Cumpre a todos, porém, a certeza de que Jesus agia sempre com ética e moralidade. Sua doutrina espelhava a retidão de princípios. Baseada na fraternidade, na opção pela paz e a concórdia. Exercia a ética sem vacilar, exigia o cumprimento do dever e da racionalidade. Jesus se preocupou com a perfeição íntima, ética e intransferível dos homens, conclamando-os realizarem o reino de Deus interiormente, numa elaboração otimista. (Joanna de Angelis)

Kardec, por sua vez, via na moralidade – a ética espiritualista – o que o bom senso estabeleceu como norma, razão e lógica.

Para o pensamento espírita a Lei de Deus está na consciência, é claro que a ética acompanha esse pensamento.

A ética é, afinal, uma exata noção dos valores, sem pragmatismo exagerado, mas com a ponderação eficiente de que tudo na vida deverá ser pautado com equilíbrio, paz, moderação e ajustado às necessidades do nosso tempo.

Viver a ética é melhor do que ter de buscá-la depois de perdida.


Wilmar Coelho dos Santos
Fonte: Site Espirit Net em 22/12/2005 - www.espiritnet.com.br