Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

“O PERDÃO”

PALESTRA ESPÍRITA: “O PERDÃO” – F E C – BATUÍRA – 22/02/2013

Boa noite! Sejam todos bem-vindos à nossa Casa Espírita.
Hoje vamos falar um pouco sobre o Capítulo X, do Evangelho Segundo o Espiritismo: “Bem Aventurados os Misericordiosos”, onde resumi alguns itens sobre “O Perdão”.
QUEM DE NÓS É CAPAZ DE PERDOAR? ESQUECER, APAGAR TUDO...
PERDOAR NÃO É UMA TAREFA FÁCIL, MAS É POSSÍVEL.
PERDOAR É FECHAR UMA FERIDA E SAIR FORTALECIDO.
PERDOAR É SERE MISERICORDIOSO.
PERDOAR FAZ BEM PARA A SAÚDE, A MENTE E A ALMA.

MISERICÓRDIA QUER DIZER: PIEDADE, COMPAIXÃO.
PESSOA MISERICORDIOSA: É UMA PESSOA BONDOSA, SEMPRE PRONTA A AJUDAR O PRÓXIMO, A PERDOAR-LHE AS FALTAS.
MISERICÓRDIA DIVINA: É QUANDO DEUS PERDOA NOSSAS FALTAS.

“A MISERICÓRDIA É O COMPLEMENTO DA BRANDURA, POIS, AQUELE QUE NÃO FOR MISERICORDIOSO NÃO PODERÁ SER BRANDO E PACÍFICO.
A MISERICÓRDIA CONSISTE NO ESQUECIMENTO E NO PERDÃO DAS OFENSAS”.





JESUS NOS ENSINA QUE A MISERICÓRDIA NÃO DEVE TER LIMITES, QUANDO NOS DIZ QUE SE DEVE PERDOAR...
Está no Evangelho de Mateus, cap. 18 – v. 22, quando
Pedro perguntou a Jesus: “Mestre, quantas vezes devo perdoar meu irmão?”
E Jesus lhe respondeu: “Perdoa – o não SETE VEZES, MAS SETENTA VEZES SETE VEZES”. Ou seja: temos que perdoar quantas vezes for necessário. Perdoar sempre.
Praticar o Perdão é praticar o Bem e há, nesta prática, além do efeito moral, também um efeito espiritual.
“O perdoado é alguém em débito; o que perdoou é espírito em lucro”.
Sempre que alguém te ofender, te ultrajar; nunca desça ao nível dele. A não ser que seja para ajudá-lo. Se você revidar, torna-se- à igual a ele.
Perdoa o que for e a quem for. O Perdão beneficia aquele que perdoa, trazendo paz espiritual, equilíbrio emocional e lucidez mental.
Se perdoas, estás em melhor situação, mas, se perdoas e AMAS quem te ofendeu, aí sim!, avanças em marcha sublime pela rota do Bem.
(palavras de Joana De Angelis)
ADMITAMOS QUE AINDA ESTEJAMOS LONGE DESTA REALIDADE;
“perdoar e amar”.
MAS, CALMA! Um passo de cada vez. A evolução é feita passo a passo.
O importante é darmos o primeiro passo; aprendermos a perdoar.


Perdoar e Amar... Que eu chamo de perdão incondicional, ainda é pouco praticado entre parentes e amigos. Por aí, imaginem a dificuldade para perdoarmos e amarmos nossos desafetos, nossos inimigos.
O apóstolo Paulo (Espírito), em 1861, ditou-nos que:
Perdoar aos inimigos é pedir perdão para si mesmo;
Perdoar aos amigos é dar prova de amizade;
Perdoar as ofensas é mostrar que se melhora.

O Perdão foi uma das virtudes que Jesus mais pregou.
Quando seus Discípulos o viram orando, um deles pediu:
“Senhor, ensina-nos a orar”. E Jesus lhes ensinou a “Oração Dominical”,
a qual conhecemos por “Pai Nosso”.
E O EVANGELHO A CONSIDERA A MAIS IMPORTANTE, JUSTAMENTE POR TER SIDO A PRIMEIRA ORAÇÃO QUE JESUS PROFERIU.
Quando Jesus proferiu esta simples e resumida oração, naquele momento, Ele nos deixava a mais bela e grandiosa lição sobre o perdão.
Nos últimos versos do “Pai Nosso” está registrada a importância do perdão:
Nós rogamos:
“...Perdoai as nossas dívidas...”
E prometemos:
“...Assim como nós perdoamos os nossos devedores...”
Outros rogam:
“...Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido...”
NÓS PEDIMOS... NÓS PROMETEMOS...
Será que estamos sendo sinceros com Deus?
Ou estamos enganando a quem?
Quantas vezes já perdoamos?
E quantas vezes ELE já nos perdoou?
Já fizemos esta conta?
Somos devedores, com toda certeza. Estamos no “vermelho”!
Como podemos receber as bênçãos que tanto pedimos a Deus, se cometemos graves ofensas contra aqueles com quem convivemos?
Cada vez que ofendemos alguém, estamos atrasando nossa caminhada evolutiva, nosso progresso espiritual.
Vamos reparar nossos erros o quanto antes...
Alegremos o coração de Deus com este gesto nobre.
Deus conhece nossos pensamentos, nossos corações...
E quais foram as últimas palavras de Jesus, no seu derradeiro suspiro?
“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem...”
Analisem o quão forte são estas palavras...

Quem de nós está preparado para perdoar nosso algoz,
Perdoar aquele que está nos tirando a Vida.
PENSAMENTO, CORAÇÃO E PERDÃO CAMINHAM JUNTOS.
Pensou em perdoar alguém, o coração produz energias vitais.
Perdoou alguém, estas energias te fortalecerão.
Perdoe, e peça perdão também, mesmo que você não seja o culpado.
Deixe o orgulho de lado e sinta a força do perdão no seu coração.
Não guarde mágoa, ódio, rancor, ressentimento...
Talvez no próximo check-up médico, o que parecia uma dúvida, torna-se uma certeza, algo mais grave: uma pedra no rim, uma doença degenerativa, ou coisa pior...
Sabemos que há situações que são difíceis de perdoar.
Há casos graves entre amigos, irmãos, casais, pais e filhos...
Nestes momentos falamos/aconselhamos:
“PERDOE, ESQUEÇA. VIVA SUA VIDA”.
E sempre ouvimos:
“Você fala isto porque não foi com você.
Queria ver se você estivesse no meu lugar”.
Conto-lhes uma pequena e bela história para ilustrar nossa exposição:
Esta história aconteceu na Palestina, no oriente médio, onde também ficam Jerusalém, Nazareth e Belém, terra natal de Jesus.
Lá vivem os Beduínos em tendas espalhadas pelo deserto.
Conta-se que um Beduíno estava dentro de sua tenda, ao sol da Palestina, quando entrou correndo um rapaz e se escondeu atrás dele, chorando e soluçando. Logo em seguida entraram alguns homens empunhando suas facas e ordenaram ao beduíno:
“Dá-nos este rapaz, pois ele é um assassino”. No que o Beduíno respondeu:
“Ninguém põe a mão nele!”
“Há uma lei entre nós que diz que quando um assassino se refugia numa tenda e o dono da tenda lhe der abrigo, ele estará salvo e absolvido. Compadeci-me deste garoto e quero perdoar-lhe”. E os homens lhe disseram: “Você quer perdoá-lo porque não sabe o que ele fez e nem a quem matou”. O Beduíno completou: “Não me importo, eu quero perdoá-lo”.
Então, os homens lhe revelaram: “Ele matou seu filho. Vá ver o corpo dele sangrando lá fora”.
O Beduíno caiu num profundo silêncio e enxugando as lágrimas disse:
“Então, eu vou criá-lo como se fosse o meu filho que ele matou”.
(O nome desta história é a “Força do Perdão”.
Fica-nos a lição: O verdadeiro sentido do perdão).
Pedir para um pai ou uma mãe, perdoar o assassino de um filho, é muito duro, doloroso, mas sabemos que só teremos paz espiritual se praticarmos o perdão.
Não percam a oportunidade de reconciliação ainda nesta vida, caso contrário, perderão passos preciosos na evolução. E o pior...
As desavenças não morrem conosco. As levaremos para o Plano Espiritual.
Nossas Casas Espíritas estão repletas de casos não resolvidos em Vidas passadas e que voltam agora. Na sua maioria, como pesadas vinganças.
E ninguém de nós – ninguém – escapa. O único remédio é: PERDÃO, precedido de Preces.
O Papa João Paulo II sofreu um atentado e quase morreu. Depois de algum tempo, já restabelecido, foi visitar seu malfeitor na cadeia e o perdoou.
Alguém também disse:
“Quer ser feliz por um instante? Vingue-se!
Quer ser feliz para sempre? Perdoe!”
APESAR DE TUDO, NUNCA É TARDE PARA PERDOAR!
HOJE ESTAMOS APRENDENDO O QUANTO O PERDÃO PODE NOS AJUDAR.
PORTANTO, A PALAVRA DE ORDEM É PERDOAR!
”PERDOAI PARA QUE DEUS VOS PERDOE”.
SE QUISERMOS SUPERAR O NOSSO ATRASO EVOLUTIVO, PRECISAMOS
COMEÇAR, O QUANTO ANTES, A EXERCITAR O PERDÃO.


Termino minha exposição na esperança de que tenha passado minha mensagem, à luz do espiritismo.
Agradeço a atenção de todos e que a paz do Mestre Jesus esteja sempre presente em nossas Vidas.





Vadô Cabrera