Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

domingo, 26 de junho de 2016

A LEI DE EVOLUÇÃO ( PROGRESSÃO DOS MUNDOS)

A LEI DE EVOLUÇÃO ( PROGRESSÃO DOS MUNDOS)


Tudo evolui no Universo, exceto Deus, que é e sempre foi perfeito e imutável. Do átomo ao arcanjo tudo obedece à lei inexorável do progresso. O instinto nos conduz às sensações, das sensações avançamos para as emoções, as emoções amadurecem rumo aos sentimentos, dos sentimentos o amor sublimado é a forma mais perfeita.
Mas se as individualidades espirituais evoluem, também as coletividades espirituais progridem, e com elas suas casas planetárias.
Allan Kardec classificou os mundos habitados em cinco categorias: mundos primitivos, de expiações e provas, regeneradores, felizes, celestes ou divinos.
Segundo estamos informados pela espiritualidade superior, desde o advento do Espiritismo, a Terra vivencia um importante momento de transição evolutiva no conserto dos mundos. Deixará, no presente milênio, a condição de mundo de provas e expiações, transformando-se em mundo de regeneração. Não estaria também aí mais uma possível interpretação, mais profunda, para as seguintes palavras de Jesus?: `` E disse-lhes: Assim está escrito que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressurgisse dentre os mortos´´. Não seria o terceiro milênio (terceiro dia) o período planetário em que o Cristo ressuscitaria nos corações humanos, promovendo a grande regeneração? Não esteve o Filho do Homem morto no seio da terra, durante os dois milênios em que corrompemos e deixamos de viver a sua verdadeira mensagem?
Nesse contexto, inúmeros eventos se processam promovendo mudanças, quebrando paradigmas, reconstruindo conceitos, renovando consciências. O planeta Terra, à semelhança de um ser vivo, dá sinais de grande perturbação através de maremotos, terremotos, enchentes e mudanças climáticas radicais, demonstrando vivenciar um quadro doloroso ante a indiferença, o descuido e a ambição da espécie humana.
Do plano espiritual, chegam-nos importantes notícias sobre o que se processa nos ambientes extrafísicos do planeta: esvaziamento das zonas umbralinas através da reencarnação de grandes coletividades de espíritos bárbaros e primitivos, a fim de vivenciarem sua última oportunidade de progresso no orbe terrestre; exílio para planetas primitivos de muitos espíritos renitentes no mal; encarnação na Terra de espíritos mais esclarecidos, vindos de outros mundos ou dimensões, que promoverão grande progresso nos campos científicos, tecnológico, artístico e principalmente moral da vida terrestre.
Alguns espíritos já afirmaram que a partir da segunda metade do século 21, somente espíritos propensos ao bem poderão renascer na Terra, consolidando o início do período de grande regeneração da coletividade humana.
``São chegados os tempos, dizem-nos de todas as partes, marcados por Deus, em que grandes acontecimentos se vão dar para regeneração da Humanidade (A Gênese,  cap. 18 - item 1). Em que sentido se devem entender essas palavras proféticas? Para os incrédulos, nenhuma importância tem; aos seus olhos, nada mais exprimem que uma crença pueril, sem fundamento. Para a maioria dos crentes, elas apresentam qualquer coisa de místico e de sobrenatural, parecendo-lhes prenunciadoras da subversão das leis da Natureza. São igualmente errôneas ambas essas interpretações; a primeira porque envolve uma negação da Providência; a segunda porque tais palavras não anunciam a perturbação das leis da Natureza, mas o cumprimento dessas leis´´.
``Isto posto, diremos que o nosso globo, como tudo o que existe, está submetido à lei do progresso. Ele progride fisicamente, pela transformação dos elementos que o compõem e, moralmente, pela depuração dos Espíritos encarnados e desencarnados que o povoam. Ambos esses progressos se realizam paralelamente, porquanto o melhoramento da habitação guarda relação com o do habitante´´. (Cap. 2)
Após tais informações, a Humanidade já vivenciou duas grandes guerras mundiais, inúmeras crises e conflitos, e na atualidade ainda sofre com a presença da violência pulverizada em toda a sociedade, com a injustiça social, a prostituição, a fome, epidemias e pandemias, terremotos e maremotos avassaladores, e outros tantos problemas característicos de um mundo de expiações e provas. Para muitos, estamos no ``fim do mundo´´, mas à luz da Doutrina Espírita, sabemos que estamos no ``fim de um mundo´´, de um ciclo evolutivo.
``O velho mundo estará morto e apenas viverá na História, como estão hoje os tempos da Idade Média, com seus costumes bárbaros e suas crenças supersticiosas´´.
Como se não bastassem tantos eventos dolorosos que tem convidado a espécie humana a rever os próprios passos, tivemos no início do terceiro milênio o atentado terrorista que promoveu a desencarnação traumática de inúmeros pessoas, destruindo as Torres Gêmeas. Mais que um convite à reflexão,  um chamado à revisão de valores... Quais seriam os valores da real soberania humana? Seriam o dinheiro e as armas? Ou aqueles apresentados há dois mil nos por Jesus, o Cristo: os valores do amor, da paz, da solidariedade - os valores do espírito?
Meditemos sobre esses últimos acontecimentos de nossa sociedade, e verificaremos que, conforme nos esclarece O Livro dos Espíritos, ``Deus, em sua infinita sabedoria, consegue retirar de todo mal o bem``, posto que ``muitas vezes se faz necessário que o mal chegue ao excesso para que verifiquemos a necessidade do bem e das reformas´´. Reflitamos também sobre a Lei da Destruição, sem nos esquecermos do alerta superior de Jesus de que ``os escândalos são necessários, mas ai de quem os promova´´.
A destruição, que parece aos homens o termo das coisas, não é senão um meio de atingir, pela transformação, um estado mais perfeito, porque tudo morre pra renascer, e coisa alguma se torna em nada. A lição é inconteste, a semente morre para germinar, a tempestade sacode a atmosfera para purificá-la, e nós, os humanos, passamos pela morte do corpo, para alcançarmos maior liberdade no mundo espiritual, após cada encarnação bem aproveitada.
Ainda vivenciamos a dor na Terra como mecanismo de revisão e despertamento consciencial, mas  era nova de regeneração ampliará paulatinamente os horizontes humanos, oportunizando à Humanidade novos caminhos pra a evolução pelo amor.


Do Livro: Evolução Pelo Amor (Rossano Sobrinho)