Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

"Se Alguém voz Bate na Face Direita..."

  Para a mentalidade oriental, assim como para os budistas e cristãos, a paciência e a tolerância são consideradas grandes virtudes.
Mas, ainda existem pessoas que acham se alguém é atormentado e agredido por outrem, seja físico ou moralmente, reagir com paciência e tolerância seria demonstrar fraqueza e passividade.
    Dalai Lama, ganhador do Nobel da Paz e líder budista-tibetano, disse que “reagir a uma situação penosa com paciência e tolerância, em vez de reagir com raiva e ódio, envolve uma moderação atuante, que provém de uma mente forte, provida de autodisciplina”.
Ou seja, fraco é aquele que não consegue controlar os seus impulsos e atos de agressividade. Quem instiga práticas de violência e da maledicência dá demonstração de ignorância e limitação espiritual!
Com paciência e tolerância conseguimos nos manter firmes e inabaláveis, não aceitando qualquer tipo de provocação.
    Existe um ensinamento de Jesus que diz o seguinte: “se alguém vos bate na face direita, apresentai-lhe também a outra”.
As pessoas orgulhosas devem achar que é puro masoquismo. Afinal, a paixão mundana pede para dar o troco logo em seguida: “olho por olho, dente por dente”, “bateu, levou”, e assim por diante.
O que Jesus quis dizer neste precioso ensinamento? Será que as pessoas malévolas podem fazer o que quiserem que ficariam impunes? Deste jeito o mal dominaria o mundo.
    Jesus condenou a vingança! Mas devemos nos defender, não retribuindo o mal com o mal.
Nosso planeta já é muito violento. Precisamos reverter esta situação dando o exemplo da paciência, tolerância e até do perdão!
Para começar a mudar o mundo, é necessário mudar as nossas atitudes.
Com mais amor e boa vontade as mudanças serão concretizadas.
    Mas, tudo deve começar dentro de nós!
Fonte:
Compilação: "Mudança de Comportamento para a Transição Espiritual do Planeta Terra", por Rubens Santini.