Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Fazer o bem sem ostentação

Fazer o bem sem ostentação

Será que “caridade” e “caridade do bem” são as mesmas coisas? Acredito que não.

Muitos podem até discordar, mas entendo que caridade qualquer pessoa possa fazer, mas e o bem de coração (a verdadeira caridade) quem faz? Ficando feliz em ajudar o próximo?

Pensar nos outros, nas suas dificuldades. Ajudar… sem atrapalhar?

O trecho a seguir é dos Livros dos Espiritos… (E que eu consiga sempre praticar o bem no meu dia a dia e é como gostaria que todos agissem!!

“…O benefício sem ostentação tem duplo mérito: além da caridade material, constitui caridade moral, pois contorna a suscetibilidade do beneficiado, fazendo-o aceitar o obséquio sem lhe ferir o amor próprio e salvaguardando a sua dignidade humana, pois há quem aceite um serviço mas recuse a esmola. Converter um serviço em esmola, pela maneira por que é prestado, é humilhar o que o recebe, e há sempre orgulho e maldade em humilhar a alguém. A verdadeira caridade, ao contrário, é delicada e habilidosa para dissimular o benefício e evitar até as menores possibilidades de melindre, porque todo choque moral aumenta o sofrimento provocado pela necessidade. Ela sabe encontrar palavras doces e afáveis, que põe o beneficiado à vontade diante do benfeitor, enquanto a caridade orgulhosa o humilha. O sublime da verdadeira generosidade está em saber o benfeitor inverter os papéis, encontrando um meio de parecer ele mesmo agradecido àquele a quem presta o serviço. Eis o que querem dizer estas palavras: Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita.”

E quando convivemos com exemplos, é mais fácil seguir a linha desse “bem de coração”… Obrigada Dra Jakeline por me ajudar a trilhar o caminho do BEM!!! E pelo que conheço da TdB, tenho certeza que os “membros dessa turma” são do BEM de CORAÇÃO!!!



Elizane Oliveira de Oliveira
Secretária do Bem de Pelotas/RS