Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

A igualdade com singularidade

A igualdade com singularidade

Todos os Espíritos são essencialmente iguais — seres livres, com origem divina, destinação transcendente e potencialmente bons, mas todos os Espíritos são únicos — seres singulares, com potencialidades diversas, múltiplas experiências vividas, com histórias e memórias pessoais… Entenda-se que a perfeição a ser atingida pelo espírito é igualitária, mas não uniformizadora. Todos os Espíritos, alcançando a virtude e a sabedoria, serão ainda mais singulares individualidades.

Todos os seres humanos são iguais detentores dos mesmos direitos e deveres, com natureza idêntica, espiritual, biológica e social, mas todos os seres humanos são diferentes, pela sua singularidade e pelo estágio evolutivo, em que cada qual se encontra, pelas experiências nesta vida e pelos contextos socioculturais de agora.

Assim, a Pedagogia Espírita é igualitária no sentido de tratar todos os seres humanos no mesmo diapasão de respeito, fraternidade e compreensão. Mas deve reconhecer e descobrir as riquezas de cada ser singular e incentivá-las, socializá-las, observando da mesma forma as imperfeições de cada um para trabalhá-las. Propõe o igualitarismo como abolição das hierarquias e competições entre os indivíduos, justamente para que cada ser possa cooperar voluntariamente com a coletividade, usando suas singulares capacidades.

Não cabe a ninguém medir a desigualdade relativa ao estágio evolutivo de cada um e estabelecer poderes e autoridades, por isso a Pedagogia Espírita não aceita as figuras de gurus e mestres a serem reverenciados. Os mestres se destacam naturalmente e se forem verdadeiramente mestres não aceitam reverência e adoração. Os Espíritos que estão à frente na escalada evolutiva não exercem poderes
hierárquicos, dentro do autoritarismo e da idolatria que se costuma observar no mundo. Quanto mais elevado o Espírito, mais igualitariamente ele vê e trata o outro, abstendo-se de toda hierarquia
humilhante, de toda autoridade imposta. Reconhecendo a igualdade essencial de todas as criaturas, quem se adiantou em virtude e conhecimento oculta o próprio brilho e estimula o que há de melhor no outro. O exemplo máximo desta atitude mostrou-nos Jesus.

Dora Alice Colombo (Dora Incontri) - Pedagogia Espírita: um Projeto Brasileiro e suas Raízes Histórico-Filosóficas