Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

domingo, 10 de julho de 2016

Jesus e a mulher adúltera


" Os escribas e fariseus trouxeram à sua presença uma mulher surpreendida em adultério,  fazendo-a ficar de pé  no meio de todos e disseram a Jesus: "Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério. E na lei nos mandou Moisés que tais mulheres sejam apedrejadas; tu, pois, que dizes? Mas Jesus, inclinando-se escrevia na terra com o dedo. Como insistissem na pergunta, Jesus se levantou e lhes disse:" Aquele dentre vós que estiver sem pecado seja o primeira que lhe atire pedra". E tornando  a inclinar-se, continuou a escrever no chão. Mas, ouvindo eles esta resposta e acusados pela própria consciência, foram se retirando um por um , a começar pelos mais velhos até os últimos, ficando só Jesus e a mulher no meio onde onde estava. Erguendo-se Jesus e não vendo ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: "Mulher, onde estão teus acusadores? Ninguém te condenou?" "Ninguém, Senhor" Respondeu ela. "Então eu tampouco te  condeno; vá e não peques mais" Disse Jesus.
          João 8 - 3,11

     Eu não canso de admirar esta passagem da bíblia como uma das mais belas lições de moral que o Mestre Nazareno nos deixou. Quantos de nós em nossa caminhada terrena já julgamos os atos de alguém, seja em nossa família, do nosso vizinho ou em nosso ambiente de trabalho ou mesmo de algo que viu na mídia? Alguém pode dizer com sinceridade e de consciência tranquila nunca ter feito isso? Eu tenho certeza que não. E sabem por que? Não é por maldade não. É porque é mais fácil apontar os erros dos outros do que reconhecer sinceramente os nossos próprios erros e procurar corrigi-los e nos vigiarmos para não cair neles novamente. É mais fácil eu julgar um ato que eu considere errado ou que talvez eu mesmo sem saber do futuro pense que nunca vou cometer. Eu costumo dizer que meu sábio avô sempre me dizia palavras de sabedoria, inclusive, quando eu chegar na espiritualidade e tiver a honra de conhecê-lo já que não o conheci aqui nesta encarnação ele vai dar-me alguns puxões de orelha por sempre citá-lo em frases famosas. Bom, mas como meu sábio avô sempre me dizia? "Quando você aponta um dedo para alguém, ou algo, observe que tem três voltados para você." Portanto, devemos pensar e refletir muito antes de apontar ou condenar as pessoas por qualquer coisa que elas possam ter feito a não ser que você possa além de apontar o erro apontar também uma solução, um caminho para que a pessoa tenha a oportunidade de se corrigir. Porque apontar pelo simples prazer de expor o erro é mera fofoca ou pura crueldade.

     Veja o exemplo de Jesus, os escribas e fariseus levaram a mulher que foi flagrada em adultério perante a ele para tentar pegá-lo em contradição as coisas que pregava mas acabaram saindo de lá com uma maiores lições de moral, amor e caridade já ensinadas na história. Jesus estava lá, na dele, cuidando de sua vida e aí o pessoal veio trazendo a mulher porque é costume daquele povo apedrejar as pessoas flagradas em adultério. Ora, temos de concordar que quando alguém pratica o adultério é preciso que exista outra parte envolvida. Mas vamos supor que não fizeram nenhuma referência ao homem que estava com a mulher por causa da cultura machista que relegava sempre a mulher a não mais do que uma propriedade do que um ser humano. Vamos supor também que o apóstolo não fez nenhuma referência ao homem porque queria dar ênfase ao ensinamento de Cristo. Temos também a hipótese de que talvez essa passagem tenha sido apenas mais uma parábola de Jesus como forma de ensinamento. Estão vendo?


    São variadas as possibilidades pelas quais não se fez referência ao homem. A única coisa que importava para eles era o fato de a mulher ter sido pega em flagrante de adultério. Não estou aqui defendendo de forma alguma o ato em si. Não se trata disso. Mas acredito que muitos de nós já ouvimos por diversas vezes essa passagem da bíblia em momento algum paramos para pensar no que levou aquela mulher, nascida em uma cultura, em um país, num período em que as mulheres eram tidas quase como um simples objeto de decoração para os homens(não que isso tenha mudado muito hoje em dia) a cometer o adultério sob pena de de ser morta de uma forma tão violenta e humilhante com é essa do apedrejamento. Será que foi pelo simples prazer do ato sexual? Será que ela foi constrangida a isso?  Será que acima das convenções culturais e legais não haveria entre o casal envolvido um verdadeiro sentimento de amor que os fizeram passar por cima dos seus compromissos com seus conjugues e mesmo por cima da lei para vivê-lo? Percebem? Existem algumas possibilidades que podem ter concorrido para o acontecimento. Mas não estou aqui para descobrir quais foram.
    O que estou dizendo é que independentemente do motivo, não foi usado para com a mulher de qualquer tipo de condescendência. seja de amor ao próximo ou de caridade. O que eles queria mesmo era pegar Jesus em contradição. Mas Jesus como espírito superior que é e sabedor das intenções deles o que fez? Inverteu as posições com a célebre frase "quem dentre vós estiver sem pecado que atire a primeira pedra". Isso mesmo, inverteu a situação, porque se ele diz qualquer outra coisa os seus perseguidores iriam acusá-lo de blasfêmia, de injúria e mais um monte de outras coisas e teriam os motivos que procuravam para prendê-lo e dessa forma ele fez com que eles ficassem numa posição delicada porque aquele que atirasse um grão de areia que fosse iria estar dizendo ser uma pessoa totalmente pura, um santo sem qualquer mácula em sua alma. E quando todos se foram e só ficou ele a mulher ele a mandou ir e não pecar mais para que coisa pior não lhe acontecesse. Ele Jesus, só disse estas palavras. Se fosse eu teria dito: "Vê se não faz mais besteira porque você pode dar o azar de eu não estar mais aqui para limpar sua barra". Ou seja, já estaria julgando seu ato.

     Irmãos já expressei aqui que eu considero esta como uma das mais belas passagens da bíblia porque encerra ensinamentos valiosíssimos. Primeiro: Temos a obrigação de não julgarmos ninguém pelo que quer que seja. Isso deve ser feito apenas pelos homens de leis. Segundo: mesmo que se prove a culpa da pessoa devemos agir com compaixão, pois, foi uma má escolha, um passo errado que a pessoa deu e que todos nós estamos sujeitos a dar também. Temos que ter em mente que está em erro e não que a pessoa é errada e ponto. Mas você pode se perguntar: "Como assim estar em erro?" E simples. Quando você está encarnado você é sempre este corpo que seu espírito está usando? Não. Você é e um espírito imortal que está apenas revestindo temporariamente este corpo de carne. Assim também funciona para todas as demais coisas. Quando você se forma em uma determinada profissão você está como o profissional daquela profissão. Você não é a profissão. E quando você comete um erro quer dizer que você caiu em erro ou seguiu um caminho errado e não que você vai ser errado para sempre. Precisamos ter sempre em nossos corações e realmente vivermos a palavra de Cristo que diz: Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. Pode parecer simples, mas infelizmente eu tenho duas noticias para lhes dar. Uma boa e outra ruim. Qual você quer primeiro? Vou dar a ruim primeiro: é mais fácil falar do que fazer isso tudo. É isso mesmo. É fácil para qualquer um chegar aqui e pregar essa coisas. Conclamar a todos para se voltarem para Deus e somente Deus e desejar o bem para todo mundo quando na verdade vivemos em um mundo onde a ganância, o egoísmo, o orgulho e as vaidades predominam e são até estimuladas. Onde é mais fácil eu chegar em um templo religioso qualquer, fazer uma oferta em dinheiro, pagar um dízimo, entregar meus problemas nas mãos de Deus,  dar as costas e ir embora viver minha minha vidinha, Ou então ir a um centro de Umbanda ou Camdomblé e me consultar com os espíritos que vão me dar uma lista enorme de materiais que tenho comprar para fazer um determinado trabalho e pronto,  o resto é com eles, minha parte já fiz. Está tudo resolvido. Se você for uma pessoa de muita fé mesmo, pode até ser que Deus escute suas preces e quando você entregar os seus problemas a Ele e der as costas Ele vai olhar para seus problemas, vai olhar para você indo embora e vão pensar: "Tá bom, eu te ajudo. Mas o problema é seu. Por que você me entrega e vai embora me deixando com esta furada?"

     Ou seja, Deus pode e te ajuda sim, mas você tem que fazer a sua parte que não é pouca coisa não. Você tem de dar sua cota de sacrifício, suar mesmo a camisa para que Ele veja e sinta que você quer realmente resolver seus problemas. Aí vai acontecer uma coisa que poucos entendem. Eles. os seus problemas, não vão sumir de uma hora para outra como um passe de mágica. O que Ele vai fazer é lhe dar capacidade de resolvê-los a medida que eles forem aparecendo. Ele vai lhe dar serenidade nos momentos de tensão, vai lhe dar paciência nos momentos de crise, vai lhe dar entendimento de o porquê das coisas acontecerem da forma que acontecem e vai lhe dar resignação para aceitar as coisas de maneira que você não se prejudique nem prejudique ninguém.

     Enfim, Ele vai lhe proporcionar todas as ferramentas necessárias para que você consiga superar qualquer dificuldade. Isso tudo o que eu disse até agora se enquadra na categoria de más noticias hein pessoal. Agora eu vou dar a boa noticia: Tudo isso é possível. Isso mesmo. em um primeiro momento podemos olhar para isso tudo e pensar: "Lascou-se, eu nunca que vou conseguir fazer isso tudo". E eu te falo com a maior certeza de que vai conseguir sim. Vai conseguir desde que você mesmo determine que é hora de mudar, pois, as escolhas que tenho feito até agora só me levaram por caminhos equivocados, só me trouxeram problemas. Estou cansado de tudo e de todos, começo a entrar em depressões, um desânimo de tudo e quando vejo, voilá, desenvolvi um processo obsessivo abrindo caminhos para perturbações diversas. Isso sem contar que seu conheço uma casa espírita e eu conseguir identificar a tempo esse processo eu vou buscar ajuda. Mas e quando não tenho nenhum conhecimento espírita? Eu fico sujeito aos dogmas religiosos preso por cultos exteriores que não me ajudam em nada ao invés de atitudes sinceras. O que nós precisamos justamente é sermos sinceros com nós mesmos. O que eu quero para minha vida? Como eu quero ser visto por Deus? Respondendo a estas duas questões você já estará dando os primeiros passos de uma real mudança, de uma reforma intima e pessoal que é o que você deve se preocupar sempre e não em mudar as pessoas.

     Você tem que se preocupar em desconstruir essa pessoa velha e construir uma nova. Deixar para trás os vicíos e costumes que tanto gostamos e até mesmo adoramos apontar nas pessoas. Em nós não. Em nós sempre desculpamos ou justificamos de alguma forma. Mas somos implacáveis em apontar nos outros. Nós somos ótimos par apontar soluções para os problemas alheias não é mesmo? Mas não conseguimos resolver nossas próprias dificuldades. Não utilizamos quase nunca aquela máxima de Cristo que diz para não fazermos ao próximo aquilo que não queremos que nos façam. O "problema" entre aspas mesmo da Doutrina Espírita é que ela nos obriga a olharmos par adentro de nós mesmos. Se você se determina a se melhorar como ser humano, como espírito  imortal que é, você tem que encarar seu lado monstro e ver como realmente somos. Sem mascaras, sem desculpas ou justificativas. Ela nos obriga a vermos que não somos tão perfeitos como pensamos e muitas vezes até piores do que somos em um momento de grande indulgência de nossa parte nos achamos. Mas quem gosta de admitir coisas ruins a seu próprio respeito? Quem realmente olha para dentro de si e diz: nossa, eu sou egoísta. Existem algumas que se reconhecem como egoísta e dizem: sou egoísta mesmo e daí? Daí que o egoísmo é uma das maiores chagas da humanidade como respondem os espíritos no Livros dos Espíritos na questão 913. Então, as pessoas que se reconhecem assim não o menor motivo de orgulho para se vangloriar. E na verdade essas pessoas não se orgulham disso, é que elas não sabem como trabalhar esse problema e tem vergonha de admitir isso. Elas preferem admitir com orgulho seu egoísmo a pedir ajuda para se corrigir. Quem tem coragem de olhar para dentro de si mesmo e se reconhecer como uma pessoa invejosa? Ou falsa? Ou mentirosa? Ou superficial? Quem faz? Por isso eu afirmo que a Doutrina nos obriga se quisermos realmente seguir ao Cristo a nos despir, nos despojar de toda e qualquer vaidade, orgulho, egoísmo e desculpas. Nos faz arregaçarmos as mangas e cairmos dentro de nossa reforma íntima. Nós não podemos mais culpar alguém pelas nossas falhas, transferir para outros a responsabilidade pelas nossas escolhas. Porque se você não percebe é isso que passamos a maior parte de nossas vidas fazendo. Se algo deu errado foi culpa de algo ou de alguém, nunca por erro seu. Nós nos esquecemos sempre que temos o tão falado livre arbítrio que nos dá total e plena responsabilidade pelos nossos atos e pelas nossas escolhas boas ou más. E não adianta usar aquele velho chavão de, "ah! Mas eu só fiz isso por causa daquilo". Ou seja, você está dizendo com todas as letras que simplesmente reagiu a uma determinada coisa. Você não pensou, ponderou, mediu as consequências de seus atos. Em qualquer situação a pessoa tem o dever de pensar que a ação ou reação que teria seria aceitável por ela se fosse o contrário. E não tem que se preocupar se as outras pessoas teriam o mesmo cuidado que você. O ponto importante não é o que as outras pessoas fariam e sim o que você faz. Você.

     Você é quem tem de se policiar para não ferir, magoar, apontar defeitos ou erros alheios. Você é quem tem de ao estar em uma condução lotada e alguém pisar em seu pé pedir desculpas. Se levantar se estiver sentado e oferecer seu lugar. Você é quem tem de se oferecer para ajudar sem esperar que lhe peçam. Você tem que em um dia procurar sempre fazer o melhor que puder. Entendam, fazer o melhor e não procurar ser sempre o melhor. Há uma pequena diferença nisso está bem? Se você faz algo com amor e carinho. atenção e zelo você vai sempre fazer o melhor. Ao passo que quando você procura ser sempre o melhor em tudo o que faz só te anima o espírito de competição porque eu quero ser o melhor, só eu sei fazer tal coisa direito, só eu cuido de tal coisa bem. Entenderam?

     Por isso, devemos parar de olhar com olhos julgadores o que dizem ou fazem o nosso próximo. Tenhamos sempre uma palavra edificadora, uma palavra de carinho, um elogio ou indicar um outro caminho caso você perceba que o caminho escolhido pelo irmão irá levá-lo ao erro. Mas sem nunca esquecer que ele tem seu livre arbítrio e que não podemos nunca impor essa ou aquela vontade. As escolhas ficam a cargo de cada um. Só deixe claro que você estará ali para quando ele precisar e que nunca irá lhe virar as costas porque nós mesmos fazemos tantas coisas erradas e o nosso Pai Maior nunca nos vira as costas. Tanto, que Ele nos enviou Jesus para nos mostrar o caminho certo a seguir e Ele sempre está ali, esperando que reconheçamos nossos erros para nos ajudar, nos amparar e nos recolocar em nossos caminhos correto. Ele nunca nos relega a nossa própria sorte. Nós é que tal qual crianças teimosas sempre seguimos o caminho errado para contrariar. E quando sentimos as pressões de nossa más escolhas nos voltamos para Deus suplicando sua ajuda e misericórdia. E Ele por nos amar tanto, sempre está lá para nos amparar.

     Guardando as devidas proporções, devemos seguir esse exemplo de Jesus em não apontar defeitos ou julgar erros alheios tendo em vista que nós mesmo poderemos já ter cometidos erros ou termos defeitos piores do que apontamos, senão nesta vida com certeza em outra já o fizemos. Ou faremos.

     Devido a isso tudo é extremamente importante que oremos e vigiemos nossos atos, pensamentos e palavras quando se trata principalmente em julgar os outros, porque como disse Jesus: "Com a mesma medida que julgar serás julgado". Que não sejamos também como o sepulcro caiado, todo arrumado e limpo por fora, mas por dentro é uma podridão só. Que enquanto ainda não alcançamos a nossa perfeição para a qual somos destinados, ajudemos nossos irmãos de jornada que estão no caminho conosco.

Graças a Deus.