Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sábado, 16 de julho de 2016

AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO

AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO

PALESTRA DO DIA 27 de janeiro  de 2011


O MAIOR MANDAMENTO


O amor resume inteiramente a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência.

È o mais puro e delicado dos sentimentos.

A lei do amor substitui a personalidade pela fusão dos seres e aniquila as misérias sociais.

É muito difícil dar-se uma definição do que é o amor.

O amor transcende, ultrapassa qualquer definição.

“DEUS É AMOR”.
“O AMOR É DEUS”

Tentando-se uma aproximação na definição de amor, pode-se dizer que DEUS é amor e por isso ultrapassa nosso próprio entendimento, pois por mais que se queira, por mais que se tente chegar ao entendimento de Deus ELE continua sendo para nós um grande e insondável mistério; cada um de nós tem interiorizada uma imagem de Deus e isso é individual, particular a cada um.

Na mensagem mais importante que Cristo nos deixou está dito: “AMAI-VOS UNS AOS OUTROS COMO EU VOS AMEI”.

Se no amor Cristo colocou a importância maior do que veio fazer na terra, ou seja, ensinar os homens a amar e essa mensagem sobrevive até nossos dias, ela, então é a mensagem DIVINA; é o que Cristo quer de nós, é o que de maior importância se reveste em toda dádiva do cristianismo.

O amor é a força primitiva do espírito, avaliadora e criadora de valores, capaz de atingir os graus mais variados, é a energia mais pura e agregadora do universo que engloba a totalidade dos sentimentos e desejos que estruturam o pensamento para a liberação de energia e de forças que nos guiam na produção do bem e possibilitam a aquisição de qualidades para o crescimento e evolução do espírito.

O amor é uma força que une e aproxima as pessoas, seja de forma particular ou entre dois ou mais seres.

O amor humano é fundido no amor divino; é o contrário da violência. Daí não haver nenhum pretexto aceitável para que atos de violência , como guerras , sejam cometidos em nome do amor, coisa que sempre existiu na história da humanidade, como por exemplo “A guerra santa”. Onde há santidade, que supõe alto grau de amor, não pode haver violência.

Convivemos de forma natural, para a maioria, com a denominação de AMOR para designar relações baseadas no instinto sexual.

Chega-se ao cúmulo de usar-se a expressão: “FAZER AMOR” para designar a atividade sexual, pura e simples..

Seria como dizer que o amor não está feito, que se pode fazê-lo, como se fosse algo fabricado. Neste caso estamos confundindo um sentimento, o mais puro de todos, centelha divina, que até os seres humanos mais embrutecidos trazem em si, com o sexo que é meramente instinto procriativo.

È claro que pode haver amor no ato sexual, entre casais que realmente se amam, mas chamar um relacionamento baseado só e unicamente no sexo de amor é equivocado. È confundir amor e paixão. O amor reside no espírito e é de assência divina; a paixão é produzida no instinto.

Quanto maior for nossa energia amorosa, maior será nossa capacidade de praticar o bem e aprimorar nosso espírito, promovendo a reforma íntima. E, consequentemente mais próximos estaremos de Deus.


O amor verdadeiro é incondicional.

O amor verdadeiro não acaba.

Não existe “DESAMAR”, pois uma vez amor é amor para sempre.  Se alguém confessar que “não ama mais a outra pessoa “ é porque nunca amou.

O AMOR É DOAÇÂO

Jesus é o modelo do AMOR.
Jesus veio da esfera crística para nos dar o exemplo e as diretrizes de amar corretamente.

MENSAGEM FINAL:

Ama e faze o que queres diz Santo Agostinho.
Se calas, cala por amor.
Se falas, fala por amor.
Se corriges, corrige por amor.
Se perdoas, perdoa por amor.

O QUE ISSO QUER DIZER?

Que quando nos relacionamos com o nosso próximo devemos fazê-lo dentro de um clima de respeito e de auxílio mútuos, cooperando com tudo que nos rodeia.

O Evangelho Segundo o Espiritismo, ensina-nos que o amor resume inteiramente a doutrina de Jesus. Diz-nos que, no início o homem não tem senão instintos, se corrompido têm sensações, mais instruído e purificado têm sentimentos e o ponto delicado dos sentimentos é o amor, não no sentido vulgar que muitas vezes é usado, mas como sendo esse sol interior que condensa e reúne em seu foco ardente todas as aspirações e todas as revelações sobre o ser-humano

(Alan Kardec)

CONCLUSÃO

Saibamos exercitar o amor, patrimônio inalienável do nosso espírito imortal.
É através do sentimento  mais puro que o ser humano pode galgar horizontes cada vez mais vastos na senda de nossa evolução espiritual



O poema sobre o amor
É no capítulo 13 da epístola que Paulo fala grandiosamente sobre o amor (em grego ágape) que, em algumas traduções, aparece com o vocábulo caridade:
Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse Amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tivesse Amor, nada disso me aproveitaria. O Amor é paciente, é benigno; o Amor não é invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. O Amor nunca falha. Havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o Amor.


VOCÊ SABE AMAR?

Eu estou aprendendo
Estou aprendendo a aceitaras pessoas, mesmo quando elas me desapontam, quando me ferem com palavras ou ações impensadas.

É difícil aceitar as pessoas como elas são, não como eu desejo que elas sejam.
É difícil, muito difícil, mas estou aprendendo.

Estou aprendendo a amar
Estou aprendendo a escutar
Escutar com os olhos e ouvidos, escutar com a alma e com os sentidos.

Escutar o que diz o coração, o que dizem os ombros caídos, os olhos, as mãos inquietas
Escutar as mensagens que se escondem entre as palavras corriqueiras, superficiais.
Estou aprendendo a descobrir a angústia disfarçada, a insegurança mascarada, a solidão encoberta
Descobrir a dor de cada coração.

Aos poucos estou aprendendo a amar, aprendendo a perdoar, lançar fora as mágoas e apagar as cicatrizes que a incompreensão e a insensibilidade gravaram no coração ferido.
O amor não alimenta mágoas com pensamentos dolorosos, não cultiva ofensa com lástima e autocomiseração
O amor perdoa, esquece, extingue todos os traços de dor no coração.

Passo a passo estou aprendendo a amar
A descobrir o valor que se encontra dentro de cada vida de todas as vidas.

Como é difícil amar
Amar como Cristo amou
Todavia, tropeçando, errando estou aprendendo

Aprendendo a pôr de lado as minhas próprias dores,
Meus interesses, minha ambição, meu orgulho, quando estes impedem o bem-estar e felicidade de alguém.


 (Autor desconhecido)