Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

domingo, 10 de julho de 2016

A INDULGÊNCIA

A INDULGÊNCIA

Com certeza você já deve ter ouvido muito falarem em indulgência, no meio cristão é uma palavra que é
frequentemente utilizada, como a dizer um dos predicados que devemos ter.
Pois bem e você sabe o que significa a indulgência, ou o ser indulgente?
Vejamos o que nos ensina o dicionário sobre esta palavra: Indulgência - in.dul.gên.cia - sf (lat indulgentia) 1 Qualidade de indulgente. 2 Clemência. 3 Condescendência, tolerância. 4 Remissão total ou parcial das penas relativas aos pecados. 5 Perdão. I. plenária: absolvição plena das penas temporais.
Creio que a melhor definição para esta palavra seria tolerância.
Ser indulgente é ser tolerante com os defeitos de nossos irmãos, é não ver esses defeitos, ou se vê-los não torná-los públicos, até por que temos também os nossos defeitos e não gostamos que sejam tornados  públicos, não é mesmo?
A indulgência nos é descrita pelos espíritos como um sentimento doce e fraternal que todos os homens devem alimentar para com os seus irmãos, mas são muito poucos os que fazem isso.
A pessoa que é indulgente procura ocultar os defeitos do seu próximo, procura antes,  destacar as qualidades deste, principalmente quando pessoas maldosas tentam acusar essas pessoas.
Os indulgentes jamais perdem seu tempo com as más atitudes dos outros, emitindo criticas, desabonando, antes seu desejo é somente interceder por aquela alma através da prece e de todo o bem que lhe possa fazer.
O indulgente ao invés de julgar os outros julga ao seu próprio coração, suas atitudes, ao invés de usar de severidade com o seu semelhante, usa-a com os próprios pensamentos, atos, contra si mesmo, pois sabe muito bem que também é impefeito.
Nos tornando indulgente teremos com certeza subido um degrau a mais em nossa escalada evolutiva, e teremos com certeza um débito a menos para administrarmos perante a Divindade.
Devemos sempre ter em nossa mente que aquele que julga em última instância, que conhece o íntimo de cada um dos nossos corações pode perdoar as faltas que nós apontamos nos outros, e condenar aquelas que desculpamos em nós.
Portanto busamos em nós a indulgência como a quem busca a pedra preciosa, o ouro no garimpo, pois com a indulgência seremos ricos, pois com ela ajuntaremos tesouros no céu, enquanto a indulgência atrai, acalma e ergue, a intolerância e o rigor desanima, afasta e irrita.
Meditemos sobre isso.


PJC

*

Adaptação de texto do Evangelho Segundo o Espiritismo
Capitulo X - item 15