Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

RECONCILIA-TE SEM DEMORA

RECONCILIA-TE SEM DEMORA




 “RECONCILIA-TE SEM DEMORA COM O TEU ADVERSÁRIO” (Mateus, 5:23-26)


Jesus disse:

- “Se estiveres fazendo tua oferta diante do altar e te lembrares de que teu irmão tem contra ti alguma coisa, deixa ali tua oferta e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, depois, então, volta a faze-la”

Nós que adoramos a Deus verdadeiramente, temos como altar a nossa consciência. E a oferta que fazemos ao Pai, são as nossas preces sinceras. Se quando estivermos orando a Deus, nossa consciência nos acusar de termos prejudicado alguém, quer por palavras, quer por atos, devemos em primeiro lugar ir procurar o irmão e perdoarmo-nos reciprocamente. E livres de rancores um do outro, teremos a consciência tranqüila e o amor fraterno voltará a se instalar em nosso coração. Isso feito, podemos continuar nossa oferta (a oração) ao Pai; caso contrário Ele não a aceitará

Quando Jesus disse que devemos reconciliar-nos sem demora com nosso adversário, pretendia ensinar a evitar as discórdias na vida presente, mas também nas existências futuras, neste mundo, porque dele não sairemos enquanto não pagarmos nossas dívidas até o último cetil (moeda antiga de pouco valor) ou seja até que a justiça esteja completamente satisfeita.

Por isso, enquanto estivermos na Terra, sem sabermos do nosso passado, devemos buscar não fazer novos adversários e, na valorização do tempo presente esforcemo-nos para tornar os relacionamentos difíceis em relacionamentos agradáveis, os adversários em amigos, na prática do perdão, sempre que houver qualquer desentendimento, para assim extinguirmos antes da morte, todos os motivos de desavença, toda causa profunda de animosidade.

O caminho em que estamos juntos com nosso adversário, é a vida presente, durante a qual houve o atrito entre nós e ele. Enquanto estamos juntos, isto é, todos encarnados, e que convém desfazer os agravos e transformar as inimizades, por menores que sejam, em estima. Convém também, corrigir todo o mal que tivermos praticado; porque senão aproveitarmos a oportunidade que o Senhor nos dá e desencarnarmos odiando alguém e com ações malévolas pesando em nossa consciência, seremos colhidos pelo ciclo das reencarnações dolorosas; então o sofrimento nos ensinará a mudar todo o ódio em amor e a corrigir até a mais pequenina falta que tivermos cometido contra o nosso próximo. Então devemos refletir bastante sobre a natureza do nosso relacionamento no convívio social e lembrar que faz parte dos caminhos que levam a Deus.

Há, evidentemente ressentimentos gratuitos, nascidos do ciúme, da inveja ou da frustração, marcados pela imaturidade que caracteriza as pessoas despreparadas para um relacionamento sadio com o semelhante.

Quem poderá, entretanto, afirmar com absoluta segurança que está isento de culpa diante das mágoas alheias? Teremos sido absolutamente justos em nossas atitudes?

Exercitamo-nos com elas na tolerância e no respeito, na compreensão e na fraternidade?

Não será mais importante reparar os prejuízos causados à criatura do que ficar reverenciando o Criador?

Devemos nos lembrar sempre que Oração é ligação com Deus, é comunhão com os benfeitores espirituais. Para esse tipo de contato, é indispensável manter puro o coração, o que não ocorre quando asilamos a mágoa, o ressentimento, o rancor,... Por isso é preciso perdoar, mas perdoar mesmo. Perdoar é esquecer todo mal, sem lembranças amargas, sem sanções, sem dependências de condicionamentos, sem menosprezos, sem desdens velados ou ostensivas.

Se isso nos parece difícil é bom lembrar o Evangelho quando nos ensina que se agirmos de outra forma, nunca nos livraremos do mal!

Hoje mesmo vamos fazer as pazes com todos!


Bibliografia sugerida:-Texto baseado nos livros:
O Sermão da Montanha – pág.73 a 75 ( Rodolfo Calligaris)
A Voz do Monte - “Para não Complicar” – pág. 77 a 81 ( Richard Simonetti)
O Evangelho dos Humildes – cap. V –itens 25 e 26 ( Eliseu Rigonatti)
Apostila Iniciação Espírita – EAE – pág. 51; item 2 Entra em acordo sem demora com teu adversário” ( Editora Aliança )