Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Os políticos da nova era

Os políticos da nova era



O advento da Nova Era passará, inevitavelmente, pela renovação da mentalidade política. Nada muda se a visão e o comportamento dos políticos não mudarem.
"(...) São chegados os tempos em que as idéias morais devem desenvolver-se, para que se realizem os progressos que estão nos desígnios de Deus. Elas devem seguir o mesmo roteiro que as idéias de liberdade seguiram, como suas precursoras. Mas não se pense que esse desenvolvimento se fará sem lutas. Não, porque elas necessitam, para chegar ao amadurecimento, de agitação e discussões, a fim de atraírem a atenção das massas. Uma vez despertada a atenção, a beleza e a santidade da moral tocarão os espíritos, e eles se dedicarão a uma ciência que lhes traz a chave futura e lhes abre a porta da felicidade eterna. Foi Moisés quem abriu o caminho; Jesus continuou a obra; O Espiritismo a concluirá". (O Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo I – Item 9 - A Nova Era).
Para o aprimoramento da sociedade deve-se trabalhar a fim de aumentar o número de pessoas esclarecidas, justas e amorosas de maneira que suas ações preponderem sobre a dos maus. "Por que, no mundo, tão amiúde, a influência dos maus sobrepuja a dos bons? Por fraqueza destes. Os maus são intrigantes e audaciosos., os bons são tímidos. Quando estes quiserem preponderarão". (Questão nº 932 de O Livro dos Espíritos).
Nesse sentido, deve-se fazer uma análise das chagas da sociedade, ou seja, de órgãos, de instituições, organizações, sistemas econômicos e políticos que entretecem e excitam o egoísmo de forma individual e coletiva.
Se nas próximas eleições municipais do ano 2000 você quiser medir o grau de sintonia do seu candidato com a Energia da Nova Era, pensamos que é possível chegar a uma conclusão adequada aplicando um teste com sete pontos:

Veja se ele pessoalmente é honesto. A Nova Era é a Era da Ética. Agora é o tempo de colocar em prática, finalmente, a fraternidade pregada pelo cristianismo durante os últimos 2 mil anos. Os políticos desonestos não estão afinados com os novos tempos;

Compare o discurso com a prática. Mesmo que não roube, um político pode dizer uma coisa e fazer outra, ou ter um discurso desvinculado das possibilidades práticas. A Nova Era não vive de sonhos vagos, mas sonha sobre aquilo que pode colocar em prática e coloca em prática aquilo que sonha;

Examine se fala a verdade. Seu candidato deve ter um discurso. Ele deve dizer algo sobre a realidade. Deve ir além do sorriso e do tapinha nas costas. Assegure-se de que ele pensa por si próprio, e depois veja se o que ele fala é verdadeiro: se ele diz o que pensa e pensa o que diz. A Energia da Nova Era passa pelo coração das pessoas, e quem não fala com sinceridade ainda está por descobrir a enorme diferença entre astúcia e inteligência. O lobo faminto é astuto; o homem é inteligente;

Examine se o pensamento é positivo. Veja se o candidato é moderado nas críticas aos adversários e concentra sua energia na descrição do que pretende fazer de bom. Político que pretende destacar-se atacando seus adversários funciona como um sanguessuga da energia vital alheia. Se um candidato dedica seu tempo a falar mal dos outros, mesmo que seja honesto, terá dificuldades para fazer um bom trabalho depois de eleito devido ao mau carma inevitável do pensamento negativo. Criticar é fácil, e grande parte de políticos honestos fracassa quando tem uma oportunidade de governar porque aprendeu a criticar, mas não aprendeu a construir. Isto nos leva ao ponto seguinte;

Examine se há uma postura criativa diante da realidade. Não basta ter slogans simpáticos e chavões atraentes. A Energia da Nova Era exige criatividade para que se possa construir o novo. Um político que se guia pelo passado não consegue sintonizar-se com os tempos atuais. Na etapa em que nos encontramos, o processo de transmissão da energia da nova era tem tido um excesso de energia negativa, destrutiva, e precisamos de gente que saiba focar o aspecto positivo da nova energia, construindo novas formas de relacionamento e convivência;

Verifique se a política proposta é transparente e participativa. A democracia da Nova Era não consiste em escolher livremente quem se comportará como ditador durante os próximos quatro anos. A Energia da Nova Era, para ser construtiva, necessita que o povo seja ouvido em todas as instâncias e a todo momento, e não apenas no dia das eleições. A transparência e a participação do cidadão nas decisões eliminam a corrupção da política;

Veja se a política proposta prioriza a justiça social, a educação e o meio ambiente, no discurso como na prática. Não pode haver harmonia social se não houver harmonia com o meio ambiente. Nem pode haver paz social se não houver justiça. Mas não basta falar a esse respeito.

Estes sete itens estão intimamente conectados entre si e apontam para o que nós chamaríamos de "elevação do foco da consciência coletiva do País". É a esta conscientização moral que Allan Kardec se refere no Capítulo XVIII de A GÊNESE – Os Tempos são Chegados: "O Espiritismo não cria a renovação social; a madureza da humanidade é que fará dessa renovação uma necessidade. Pelo seu poder moralizados, por suas tendências progressistas, pela amplitude de suas vistas, pelas generalidades das questões que abrange, o Espiritismo é mais apto do que qualquer outra doutrina a secundar o movimento de regeneração; por isso, é ele contemporâneo desse movimento. Surgiu na hora em que podia ser de utilidade, visto que também para ele, os tempos são chegados". É indispensável que, embasados nos princípios espíritas, o cidadão espírita trabalhe para remover as causas geradoras da miséria, da ignorância e dos vícios, convicto de que A AÇÃO POLÍTICA DOS BONS É UM IMPERATIVO PARA SE CONSTRUIR A NOVA ERA.

- Osman Neves de Albuquerque (PE)