Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

”Injúrias e Violências” - IRC

Estudo Espírita

Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Tema : ”Injúrias e Violências” 

“ O Evangelho Segundo o Espiritismo -  Capítulo IX , itens 1 a 5 ”

Expositora: Adriana Barreiros

 Rio de Janeiro
 27/02/2002


Dirigente do Estudo:

 

Márcio


 

Mensagem Introdutória:




PACIÊNCIA E NATUREZA


Quem se proponha a entesourar paciência, observe o livro da natureza.
As nossas anotações podem parecer sinônimos do óbvio, no entanto, o óbvio, por ser simples, é aquilo que se faz, habitualmente, mais difícil de ser pesquisado e revisto.
Ao Sol, por exemplo, dentro da noite, em determinado hemisfério, por mais se lhe peça luz plena e imediata, há que se lhe aguardar o reaparecimento, depois de algumas horas.
Inútil rogar o fruto de certa árvore até o momento em que lhe será lícito surgir.
Uma estrada, entre duas cidades razoavelmente distanciadas uma da outra não se constrói a toques de mágica.
Sabe-se que o carbono puro suporta séculos e séculos de transformações lentas, no subsolo, antes de converter-se em brilhante.
Considerando que o espírito de seqüência assinala todas as criações da vida, a impaciência, muitas vezes suscitando irritação e inquietude, cólera e delinqüência, decorre de nossa própria incapacidade de entendimento, acerca de situações e pessoas.
Não solicitarás atitudes de elevação daqueles que ainda não assimilaram os ingredientes espirituais indispensáveis para constituí-las e nem pedirás alto comportamento nesse ou naquele companheiro que ainda não se habilitou para isso.
Onde estiveres e com quem estiveres, não permitas que as tuas esperanças se façam exigências.
Ama e trabalha, serve e auxilia sempre sem reclamar e acabarás compreendendo que a paciência construtiva, fonte de serenidade e tolerância, em qualquer tempo e lugar, para cada um de nós é simples obrigação.
Emmanuel
Livro: Linha 200
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Editora: CEU

 

 

 

Prece Inicial:



<Kadinhu> Vamos elevar os nosso pensamentos a fim de sermos beneficiados com a harmonização do ambiente .
Em nome Deus nosso Pai de divina bondade e misericórdia em nome de Jesus nosso amado e divino mestre pedimos permissão para iniciarmos os trabalhos de estudos da doutrina espirita. Que possamos, com a ajuda dos espíritos de luz e mentores espirituais, aprender e praticar seus ensinamentos. Que assim seja! Graças a Deus!  

Exposição:

<Adrianabcm>Boa noite, amigos!
O tema desta noite - Injúrias e Violências - está contido no capítulo IX do Evangelho Segundo o Espiritismo "Bem aventurados os que são brandos e pacíficos".
Esta bem-aventurança está contida no belíssimo Sermão da Montanha, lição de Jesus que constitui um dos mais belos ensinamentos que foram dados à Humanidade.
Vou colar agora o pequeno trecho do evangelho de Mateus sobre esta bem-aventurança.
 Bem-aventurados os que são brandos, porque possuirão a Terra. (S.MATEUS, cap. V, v. 4.)
 Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus.(Id., v.9. )
Sabeis que foi dito aos antigos: Não matareis e quem quer que mate merecerá condenação pelo juízo. - Eu, porém, vos digo que quem quer que se puser em cólera contra seu irmão merecerá condenado no juízo; que aquele que disser a seu irmão: Raca, merecerá condenado pelo conselho; e que aquele que lhe disser: És louco, merecerá condenado ao fogo do inferno. (Id., vv. 21 e 22.)
O Evangelho Segundo o Espiritismo nos diz que por essas palavras, Jesus faz da brandura, da moderação, da mansuetude, da afabilidade e da paciência, uma lei. Condena, por conseguinte, a violência, a cólera e até toda expressão descortês de que alguém possa usar. Entretanto, antes de nos atermos a isso, convido-os a investigarmos o porquê de algumas expressões aqui usadas. O que Jesus quis dizer com a expressão "possuirão a Terra"? O que significa, de fato, ser brando e pacífico?
Tudo isso constitui material de profunda reflexão para todos nós uma vez que as palavras de Jesus não são vãs e, apesar das muitas distorções nos textos dos evangelhos canônicos, a força e a sabedoria das máximas de Jesus permanecem na essência de muitos textos.
Observemos que o texto de Mateus é um convite ao exercício pleno da lei de amor. Jesus reprova toda palavra que possa ferir, adverte, com isso, que a fraternidade deve presidir as relações entre as criaturas e que a doçura e a afabilidade devem estar presentes no trato recíproco.
Raca é expressão ofensiva entre os judeus. É palavra que revela desprezo. Jesus a usou para exemplificar que jamais, em nenhuma circunstância, devemos usar o verbo para ferir, destruir, humilhar. Ao contrário, as palavras devem servir essencialmente para a construção da paz, da fraternidade e do entendimento entre as criaturas.
 E volto a perguntar: o que vem a ser brando e pacífico, de fato? Seria simplesmente não reagir? Ficar impassível diante de provocações? é ter mansidão desde o lado mais interno nosso, com as outras pessoas, consequentemente é ter fé na Providência Divina, o que nos dá tranqüilidade íntima de que não precisamos agredir, nem em pensamento, quem quer que seja para que as coisas fiquem bem; que não precisamos forçar as coisas. É respirar fundo e refletir antes de reagir, e evitar que a reação venha contaminada das emoções desequilibradas.
Vou colar um trecho de Emmanuel que me parece uma bela definição da brandura: "... a paz começa em nós e por nós. Os pacificadores são aqueles aceitam em si o fogo das dissensões, de modo a extingui-lo com os recursos da própria alma, doando tranqüilidade a todos que lhes compartilham a marcha". [Do livro: Caminhos de Volta]. Creio que é uma bela definição de estado de espírito que podemos definir como brandura. Ser brando é mais do que ficar impassível na hora da provocação, mas remoendo internamente um ódio que talvez se exteriorizasse se houvesse a certeza de que a vítima não reagiria. Ser brando e pacífico é reconhecer a necessidade de disseminar a paz entre os homens. Estes, seguindo o exemplo de Jesus, disseminam a tranqüilidade nos corações conturbados, revoltados, violentos, balsamizando-os, fazendo-os retornar ao equilíbrio. Como vêem, tarefa das mais árduas e que requer tremendo esforço pessoal.
Dentro do tema desta noite, um ponto que é necessário esclarecer refere-se à expressão "os brandos possuirão a Terra". O que exatamente significa isso, uma vez que Jesus nos prometia constantemente o "Reino dos Céus" e esta máxima parece apontar exatamente o oposto?
A Terra, um dia, será um planeta feliz, um planeta regenerado, e aqueles que tiverem sido brandos e pacíficos poderão viver aqui. Possuir a Terra, certamente não significa  possuir os bens materiais. As palavras de Jesus referem-se ao futuro estágio por que passará a Terra. No futuro, quando o planeta estiver mais depurado, aqueles que houverem sido brandos e pacíficos, artífices da paz coletiva, terão o privilégio de continuar reencarnando aqui.
É importante observar que não serão somente os brandos e pacíficos, mas todos os de boa vontade. Se algum de nós sem essas características de suavidade estivermos aqui, em massa, como na Terra de hoje, ela não seria mais feliz. Hoje, o egoísmo e o orgulho ainda falam muito alto. Ainda sentimos desejo de vingança ou, no mínimo, temos muita dificuldade para perdoar. E dentre todos os nossos muitos defeitos, um dos mais difíceis de combater é certamente a agressividade.
Nem sempre essa agressividade se manifesta em atos, mas também em palavras ou gestos. Não raro ferimos demais ao falar. Usamos a língua como chicote capaz de provocar profundas cicatrizes.
Citando, ainda esta vez, o espírito Emmanuel quando nos diz que a cólera é como uma tempestade magnética no mundo da alma, e qualquer palavra que arremessamos, no momento de cólera, é semelhante ao raio fulminatório que ninguém sabe onde vai cair. Muitos de nós se perguntam como é possível sobreviver, brando e pacífico, em um mundo atormentado onde campeia a violência. E a resposta é simples (mas não fácil): reunindo em nós, diariamente, as sementes de paz que vivem ocultas no jardim da alma, regando-as com a chuva benéfica do amor, fortificando-as com nosso esforço individual para que um dia floresçam plenas e enfeitem nossa vida e a dos que convivem conosco, perfumando nossos dias e colorindo este mundo tão belo que o Eterno nos deu como provisória morada. Muita paz a todos!


Perguntas/Respostas:

[01]<Gandalf>  Vemos, hoje em dia, muitas coisas no mundo que nos despertam a ira, como crimes hediondos, crianças morrendo de fome. Como se manter pacífico, diante de tanta loucura? Jesus nunca se irritou, nem de leve?

<Adrianabcm> Gandalf_O_Cinzento_ , em seu livro, Parábolas e ensinamentos de Jesus, Cairbar Schutel no fala sobre isso Jesus era um homem enérgico, quando as circunstâncias exigiam tal, sabia fazer prevalecer a sua palavra pelo poder da verdade que a embalsamava. Sem ódio e sem fel ele combatia os vícios, os embustes que deprimiam as almas. Ele mesmo nos disse: "Não vos encolerizeis para que não sejais condenados!" Jesus não nos ameaçava aí. Apenas mostrou que quando encolerizamos, ferimos a nós próprios nos condenamos ao sofrimento como resultado do veneno que produzimos em nossos espíritos. A Doutrina Espírita no ensina que tudo tem um porquê. Talvez, se pudéssemos olhar para trás e conhecer a história toda, conseguiríamos ver o algoz na posição de vítima, e a vítima na posição de algoz.
Realmente, nos chocamos quando vemos crimes bárbaros, mas lembre-se de que há homens que ainda engatinham nas fileiras evolutivas, eles ainda são rudes em suas emoções. Deus, nosso pai a tudo vê e ouve ele não permitiria uma injustiça! Ele nos ama! Pensemos nisso e o consolo virá!  


Oração Final:


<HELENA> Depois das palavras amigas e esclarecedoras,  vamos mais uma vez voltar nossos pensamentos ao Pai.
 Deus, Jesus, amigos de todas as horas, abraço reconfortante diante das nossas horas mais atribuladas. Médico dos nossos espíritos, agradecemos pela noite de hoje,  pela presença dos nossos mentores e amigos que nos orientaram o estudo.
Que possamos sair deste ambiente virtual, com um pouco mais de conhecimento do que quando aqui chegamos. Que sejamos capazes de absorve-los e acima de tudo pô-los em prática. Fica conosco Pai Amado agora e sempre. Que assim seja!