Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

domingo, 12 de junho de 2016

DEIXAI VIR A MIM OS PEQUENINOS


Sérgio Honório da Silva
Campos do Jordão - SP

 

Toda vez que lemos O Evangelho Segundo o Espiritismo verificamos que Jesus sempre ressaltou a importância e o valor da pureza de coração, da humildade e da simplicidade, dizendo: “todo aquele que se fizer pequeno como uma criança será o maior no Reino de Deus” e “deixai vir a mim os pequeninos, e não os embaraceis, porque o Reino de Deus é daqueles que se lhes assemelham”.

Jesus não disse categoricamente que basta ser criança para ter lugar no Reino de Deus, mas sim os que possuem a pureza de coração e a humildade, que caracterizam todas as crianças.

Porque para Deus não existe espíritos eleitos nem espíritos condenados, todos somos encarados sob o mesmo prisma, o mesmo olhar de amor e paternidade, se aceitamos que Ele salva seus filhos aqui neste plano físico, por que não aceitar que Ele também salva aqueles que estão no mundo espiritual?

A Doutrina Espírita nos ensina que somos seres de muitas épocas, todos nós já vivemos muitas vidas, todos indistintamente fomos criados simples e ignorantes. Que é através da reencarnação que vamos nos depurando, que vamos conquistando a pureza de coração. A reencarnação é o meio para atingirmos a igualdade e a harmonia de pensamento, pois o nosso destino é a angelitude onde gozaremos a verdadeira felicidade.

Por isso Jesus pega a criança como exemplo, pois a infância é um estado de humildade, pois todo recomeço requer essa virtude, o espírito nesta fase está na posse do melhor de si mesmo, de sua capacidade de amar, de seu desejo de aprender, essa fase faz parte da função educativa da reencarnação como nova oportunidade  de reconstruir sua personalidade, daí a importância da educação que devemos dispensar as crianças.

A criança nesse período inicial de sua nova encarnação age realmente como criança, pois toda aquela bagagem que traz consigo estão adormecidas, nisso reside a verdadeira misericórdia Divina, é a benção do recomeço, nova oportunidade de progresso e que não está restrito só as crianças, nós também os adultos podemos recomeçar mudando as atitudes, procurando crescer espiritualmente, mostrando a Deus que Ele não de enganou a nosso respeito. Ele está sempre de braços abertos para nos receber como na parábola do filho pródigo que Jesus nos contou: Certa vez um filho pede a seu pai que lhe dê a parte que lhe cabe na herança, e recebendo-a parte em busca de aventuras, ocorre que quando se dá conta ele estava na miséria, passava fome, havia consumido toda a pequena fortuna que recebera de seu pai. Arrependido e depois de muito sofrer volta para casa e ao ser avistado pelo seu pai lhe pede perdão, dizendo que não era digno dele, porem, seu pai o recebe de braços abertos.

Esta parábola é uma das mais conhecidas e importantes, é rica em ensinamentos. O desfecho de toda a caminhada feita por este filho representa as diversas reencarnações, e o seu retorno ao lar paterno a volta para Deus, não importa o pecado cometido, as provas e expiações pelas quais passamos, ao final, vem o arrependimento, e a conseqüente reabilitação pelo amor do Pai.

Ninguém se perde, não há pecados irremissíveis, não há culpa irreparável. A resolução de emendar-se é espontânea, e não por coação de terceiros, ou seja,  a obra de salvação  é fruto do esforço individual. E como ela se processa no íntimo do indivíduo, ela se realiza pela reforma íntima voluntária dos maus hábitos. Tomada à decisão, tem início à jornada de retorno para Deus Nosso Pai.

A escolha é de cada um de nós, mas não basta ter aparência de pureza, é preciso acima de tudo ter pureza no coração.

Jesus quer que nos entreguemos a ele com a confiança e pureza das crianças, só nos resta rogar a Ele que nos dê forças e coragem para mudar as atitudes.

* * *