Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sábado, 28 de maio de 2016

O JUGO LEVE

O JUGO LEVE. Mas o que é jugo?...= Peça de madeira que serve para emparelhar dois animais para o mesmo trabalho.

ESE – Cap. VI

O CRISTO CONSOLADOR

O JUGO LEVE


Vinde a mim, todos vós que andais em sofrimento e vos achais sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. ( Mateus, XI:28-30).

O que significa isso?

O que é jugo?

Como um fardo como o de Jesus pode ser leve...

Como compreender suas palavras se, vemos e experimentamos tantos sofrimentos nesse mundo?

         Jesus nos convida para irmos até Ele que seremos aliviados. Mas, esse ir até Ele, não significa ir ao templo religioso de forma convencional, por que muitas pessoas vão ao templo, a igreja, ou ao centro espírita e estão com o pensamento em outras coisas, estão lá só de corpo presente.

Mas, sim ir a Ele de corpo e alma, ou seja, apresentar-se a Ele e aceitar as leis divinas com humildade e respeito a elas. Prestando atenção à mensagem evangélica que está sendo exposta. Isso pode ser feito sem dogmas e sem rituais, mas antes, um código de renovação moral que deve ser aplicado diariamente na prática da nossa reforma íntima.

Por isso o jugo é suave e o fardo é leve.

Mas o que é jugo?...= Peça de madeira que serve para emparelhar dois animais para o mesmo trabalho.

Na simbologia o jugo representa servidão, é símbolo de opressão, de constrangimento. A passagem dos vencidos sob o jugo romano é bem explicita. Como os romanos mandavam no mundo na época de Jesus, quando acontecia uma vitória dos romanos, os que eram derrotados eram obrigados a passar por baixo de uma lança na frente dos oficiais romanos seminus, tendo de curvarem-se e, eram, insultados e cuspidos, o que provocava nos vencidos muita raiva por parte dos vencidos, originando uma nova batalha que acabava em carnificina.

Assim Jesus se referia ao seu jugo suave porque era escolhido voluntariamente e levava ao domínio de si mesmo na união interior com Deus através da observância das Leis de Deus, na sua prática diária dos  ensinamentos que trouxe e exemplificou.

No velho testamento e no novo testamento podemos perceber que a submissão forçada ou disciplinada, é um elemento constante nas profecias de salvação. Carregar o jugo de Deus significa submeter-se aos Seus preceitos. Na época do Cristo tem o sentido figurado com relação ao poderio romano. Ele diz que o seu jugo é suave porque somente Ele ( Jesus) é capaz de oferecer o lenitivo para as dores e sofrimentos.

Porque Jugo Leve?...

Se atendermos aos desígnios do alto a nosso respeito, não dificultaremos a nossa situação atual. Porque,  conhecedores das leis divinas não faremos aos outros aquilo que não queremos para nós, porque sofremos as consequências dos nossos atos. Porque sabemos que a vida não se resume somente à vida na matéria, e, tão pouco a essa atual como única, e então vemos com outros olhos tudo o que acontece  se, fruto das nossas ações ou não. O conhecimento da vida futura torna o fardo mais leve quando percebemos que temos que aceitar os sofrimentos com resignação, porque estaremos olhando do ponto de vista espiritual que é muito mais amplo. Analogamente falando é o olhar de alguém que está no alto de um monte comparado ao olhar daquele que está no pé da montanha. Aquele que está no alto tem uma visão mais ampla, já, aquele que esta em baixo, tem uma visão bem restrita.



CONSOLADOR PROMETIDO

CONSOLADOR NO LATIM = COSOLATOREM

SIGNIFICA = aliviar ou suavizar a aflição de alguém que esteja em sofrimento ou padecimento

CONSOLADOR NO GREGO = PARACLETUM, é aquele que foi chamado para estar ao lado de alguém que sofra para  consolar exortar.

Em um livro da religião judaica diz que os justos, os sábios e os profetas são paracletos e, que, eles têm a função de interceder pela humanidade junto a Deus.

No livro Nosso Lar, André Luiz, percebe que não poderia ficar na colônia depois da análise do seu passado. Mas, sua mãe que está em um plano superior intercede para que ele fique em Nosso Lar (colônia de tratamento espiritual).

Se me amais, guardai meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o ESPÌRITO DE VERDADE, a quem o mundo não pode receber, porque não vê, nem o conhece. Mas vós o conhecereis, por que ele ficará convosco e estará em vós. – Mas o consolador, que é o ESPÌRITO SANTO, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar,  de tudo o que vos tenho dito. ( João, XIV: 15 a 17;26).

Nesta passagem Jesus nos dá a informação de que o consolador seria o Espírito Santo que iria ficar conosco. Não seria um homem, ou, uma individualidade, o Espírito de Verdade a quem o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece. O Espírito Santo aqui, é designado como a falange de 70 espíritos de luz, diretamente ligados a Jesus responsáveis por esses ensinamentos que se assina como Espírito de Verdade. Que escreve no prefácio do evangelho segundo o espiritismo.

Ler Prefácio

Jesus disse: Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e Ele vos enviará outro consolador para que fique eternamente convosco, o ESPIRITO DE VERDADE.

A doutrina espírita nos diz que a dor tem por objetivo nos fazer entender que se seguimos as Leis Divinas evitaremos maiores sofrimentos. Nos mostra o sofrimento como crises salutares que nos levam a cura de nossos males. São purificações que nos levam a felicidade nas existências futuras nos fazendo aceitar que todo sofrimento é merecido e justo.

E dessa forma podemos assegurar que o espiritismo é o consolador prometido, pois que nos esclarece sobre os nossos sofrimentos e comprometimentos e nos consola porque  nos faz entender e aceitar a justiça e o merecimento de nosso sofrer como consequência de nossas atitudes.

E assim aprendemos com essa doutrina consoladora que a causa de nossos sofrimentos reside exatamente em nossas imperfeições morais e em nossas limitações.

E quando fazemos isso estamos sendo verdadeiros espíritas e verdadeiros cristãos.

Allan Kardec diz: reconhece-se o verdadeiro espírita pelo esforço que faz constantemente para combater as suas más tendências.

Essa é a bandeira da nossa doutrina, porque faz cumprir a promessa de Jesus de nos consolar e fazer lembrar os Seus ensinamentos.

Aqui no Evangelho Segundo o Espiritismo nos temos um código moral universal, sem distinção de culto. Mas atentem bem para “Código Universal”, porque não é só para quem vive neste mundo, mas para todos os mundos habitados do Universo.

Na parte da instrução dos Espíritos, o ESPIRITO DE VERDADE NOS DIZ: “Espíritas, amai-vos, eis o primeiro ensinamento; Instrui-vos, eis o segundo”. Todas as verdades se encontram no cristianismo; são de origem humana os erros que nela se enraizaram.

Jesus deixou-nos muitos exemplos e muitos ensinamentos que foram anotados pelos apóstolos depois de seu desencarne como um legado de evolução moral a iluminar todos aqueles que o seguem, porque edificam e constroem com sua fé a mais pura moral evangélica, que nos resgata das sombras espirituais onde estávamos mergulhados há bem pouco tempo.

O Mestre amado nos disse que ainda não podíamos entender suas mensagens porque não tínhamos maturidade espiritual, e, por isso falava-nos por parábolas. Mas que, pediria ao Pai e Ele enviaria outro consolador que se incumbiria de nos lembrar, o que Ele Jesus havia nos ensinado e que nos revelaria novos conhecimentos. Desta forma vale lembrar que para o nosso aprimoramento espiritual não basta apenas sabermos esse conteúdo, mas, é imprescindível que vivenciemos os ensinamentos de Jesus.