Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Caridade e amor do próximo

Caridade e amor do próximo

"O Livro dos Espíritos" Questões 886 a 889

Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositora: Deise Bianchini
Amambai - MS
5/10/02

Dirigente do Estudo da Noite:

Adrianabcm

Oração Inicial:

<Adrianabcm> Vamos nos sintonizar agora com a ESpiritualidade Maior, buscando o apoio, a abertura de nossas mentes para a melhor compreensão do estudo e o encontro de um momento de paz e tranqüilidade para o estudo Deus Amado, causa de tudo que está ao nosso redor e de nós, ESpíritos ainda pequenos e recalcitrantes nos te pedimos que traga para o nosso ambiente virtual a companhia dos bons espíritos, trabalhadores pelas causas nobres que eles possam inspiram nossa amiga Deise em seu estudo e facilitar a nossa sintonia com a mensagem trazida hoje à noite a fim de que ela finque raiz em nosso espírito Permita que, neste momento, a paz ao nosso redor se faça permitindo o acompanhamento do estudo do Livro dos Espíritos Que assim seja!

Mensagem Introdutória:

ESTAR COM TUDO

Freqüentemente encontramos companheiros de excelente formação moral convictos de que atender à caridade será aceitar tudo e que a paciência deve tudo agüentar. A evolução, no entanto, para crescer, exige muito mais a supressão que a conservação. Em nenhum setor da existência o progresso e a cultura se compadecem com o "estar com tudo". A caridade da vida é aperfeiçoamento.

A paciência da natureza é seleção.

Todas as disciplinas que acrisolam a alma cortam impulsos, hábitos, preferências e atitudes impróprias à dignidade espiritual. Todos os seres existentes na Terra se aprimoram à medida que o tempo lhes subtrai as imperfeições. Na experiência cotidiana, os exemplos são ainda mais flagrantes. Compra-se de tudo para a alimentação no instituto familiar, mas não se aproveita indiscriminadamente o que se adquire. O corpo, a serviço do espírito encarnado, às vezes se nutre com tudo, mas nunca retém tudo. Expulsa mecanicamente o que não serve. No plano da alma, a lógica não é diferente. Podemos ver, ouvir e aprender tudo, mas se é aconselhável destacar a boa parte de cada coisa, não é compreensível concordar com tudo... A Doutrina Espírita está alicerçada na lógica e para sermos espíritas é impossível fugir dela. Há que auxiliar a todos, como nos seja possível auxiliar, mas tudo analisando para que o critério nos favoreça... Paulo de Tarso, escrevendo aos coríntios, afirmou que "a caridade tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta", mas não se esqueceu de recomendar aos tessalonicenses que exa ESTAR COM TUDO

Freqüentemente encontramos companheiros de excelente formação moral convictos de que atender à caridade será aceitar tudo e que a paciência deve tudo agüentar. A evolução, no entanto, para crescer, exige muito mais a supressão que a conservação. Em nenhum setor da existência o progresso e a cultura se compadecem com o "estar com tudo". A caridade da vida é aperfeiçoamento.

A paciência da natureza é seleção.

Todas as disciplinas que acrisolam a alma cortam impulsos, hábitos, preferências e atitudes impróprias à dignidade espiritual. Todos os seres existentes na Terra se aprimoram à medida que o tempo lhes subtrai as imperfeições. Na experiência cotidiana, os exemplos são ainda mais flagrantes. Compra-se de tudo para a alimentação no instituto familiar, mas não se aproveita indiscriminadamente o que se adquire. O corpo, a serviço do espírito encarnado, às vezes se nutre com tudo, mas nunca retém tudo. Expulsa mecanicamente o que não serve. No plano da alma, a lógica não é diferente. Podemos ver, ouvir e aprender tudo, mas se é aconselhável destacar a boa parte de cada coisa, não é compreensível concordar com tudo... A Doutrina Espírita está alicerçada na lógica e para sermos espíritas é impossível fugir dela. Há que auxiliar a todos, como nos seja possível auxiliar, mas tudo analisando para que o critério nos favoreça... Paulo de Tarso, escrevendo aos coríntios, afirmou que "a caridade tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta", mas não se esqueceu de recomendar aos tessalonicenses que examinassem tudo, retendo o bem. Admitamos assim, com o máximo respeito ao texto evangélico que o apóstolo da gentilidade ter-se-ia feito subentender naturalmente, explicando que a caridade tudo sofre de maneira a ser útil, tudo crê para discernir, tudo espera de modo a realizar o melhor e tudo suporta a fim de aprender, mas não para estar em tudo e tudo aprovar.

Emmanuel

Do Livro: Opinião Espírita
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Editora: CEC

Exposição:

Boa noite a todos os amigos.

Jesus entendia o verdadeiro sentido da palavra caridade como: "Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas." Apesar de entendermos que nossa condição atual não é um castigo, que tem justificativas na lei de causa e efeito, devemos também, por compreendermos a necessidade da caridade, procurarmos amparar aos que se encontram na situação de miserabilidade. "O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos." ("Livro dos Espíritos" Questão 886) A esmola não é fácil de ser pedida, o orgulhoso sofre nessa situação, mas o próprio senso de sobrevivência o leva a isso. Há ainda o indolente, o que não quer progredir, que aceita a vida da forma como ela se apresenta. Mas como julgar o merecedor de nossa ação? Não nos cabe essa decisão, agiremos de acordo com nosso livre arbítrio, com o que nossas sensibilidade nos indicar. Não faremos cobranças em nossas doações, ou trocas, pois a decisão do uso, a partir do momento que fizermos o donativo, deixa de ser nossa. Cada um responde por seus atos. Podemos agir em duas iniciativas. A primeira através da doação pura e simples, do assistencialismo, que tirará do risco imediato a quem estamos favorecendo. O segundo passo , o mais importante, será resgatar essa pessoa, esse espírito cumpridor de sua etapa evolutiva, levando-o ao aprendizado. Tanto das leis de Deus, como de uma forma produtiva de viver e ter sua dignidade de ser humano devolvida. Aí, nós como cidadãos e o Centro Espírita como organização, teremos papel fundamental no progresso daqueles que serão colocados sob nossa tutela. O esclarecimento é essencial.Vejamos:
" O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa." ( "Livro dos Espíritos" Questão 886)

O Livro dos Espíritos nos coloca claramente que a caridade não é apenas material, embora ela seja significativa. "A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque de indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer" ("Livro dos Espíritos" Questão 886)

A caridade moral, aquela que vem da doação de nosso tempo livre, é a mais importante caridade que poderemos efetuar. Deus não deixa seus filhos sem amparo. Só a condição de chegarem até nós, os necessitados de alguma forma, material ou moral, já nos mostra nosso compromisso. Vejamos o que nos diz o "Evangelho Segundo o Espiritismo" (Capítulo XXV - Buscai e Achareis - Observai os pássaros do céu: 6 a 8.):

"Eis por que vos digo: Não vos inquieteis por saber onde achareis o que comer para sustento da vossa vida, nem de onde tirareis vestes para cobrir o vosso corpo. Não é a vida mais do que o alimento e o corpo mais do que as vestes? Observai os pássaros do céu: não semeiam, não ceifam, nada guardam em celeiros; mas, vosso Pai celestial os alimenta. Não sois muito mais do que eles? - e qual, dentre vós, o que pode, com todos os seus esforços, aumentar de um côvado a sua estatura? Por que, também, vos inquietais pelo vestuário? Observai como crescem os lírios dos campos: não trabalham, nem fiam; - entretanto, eu vos declaro que nem Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles. - Ora, se Deus tem o cuidado de vestir dessa maneira a erva dos campos, que existe hoje e amanhã será lançada na fornalha, quanto maior cuidado não terá em vos vestir, ó homens de pouca fé! Não vos inquieteis, pois, dizendo: Que comeremos? ou: que beberemos? ou: de que nos vestiremos? - como fazem os pagãos, que andam à procura de todas essas coisas; porque vosso Pai sabe que tendes necessidades delas. Buscai primeiramente o reino de Deus e a sua justiça, que todas essas coisas vos serão dadas de acréscimo. - Assim, pois, não vos ponhais inquietos pelo dia de amanhã, porquanto o amanhã cuidará de si. A cada dia basta o seu mal." Quando Jesus nos fala da caridade, do amor, ele nos lembra que nem sempre esses sentimentos são fáceis. Pois muito fácil é amar e amparar os amigos. Mas e os inimigos? "Jesus também disse: Amai mesmo os vossos inimigos. Ora, o amor aos inimigos não será contrário às nossas tendências naturais e a inimizade não provirá de uma falta de simpatia entre os Espíritos? "Certo ninguém pode votar aos seus inimigos um amor terno e apaixonado. Não foi isso o que Jesus entendeu de dizer. Amar os inimigos é perdoar-lhes e lhes retribuir o mal com o bem. O que assim procede se torna superior aos seus inimigos, ao passo que abaixo deles se coloca, se procura tomar vingança."" ("Livro dos Espíritos" Questão 887).

Na questão 888, Kardec pergunta sobre a esmola e os espíritos respondem (São Vicente de Paulo): 888. Que se deve pensar da esmola? "Condenando-se a pedir esmola, o homem se degrada física e moralmente: embrutece-se. Uma sociedade que se baseie na lei de Deus e na justiça deve prover à vida do fraco, sem que haja para ele humilhação. Deve assegurar a existência dos que não podem trabalhar, sem lhes deixar a vida à mercê do acaso e da boa-vontade de alguns." a) - Dar-se-á reproveis a esmola? "Não; o que merece reprovação não é a esmola, mas a maneira por que habitualmente é dada. O homem de bem, que compreende a caridade de acordo com Jesus, vai ao encontro do desgraçado, sem esperar que este lhe estenda a mão.

"A verdadeira caridade é sempre bondosa e benévola; está tanto no ato, como na maneira por que é praticado. Duplo valor tem um serviço prestado com delicadeza. Se o for com altivez, pode ser que a necessidade obrigue quem o recebe a aceitá-lo, mas o seu coração pouco se comoverá. "Lembrai-vos também de que, aos olhos de Deus, a ostentação tira o mérito ao beneficio. Disse Jesus: "Ignore a vossa mão esquerda o que a direita der." Por essa forma, ele vos ensinou a não tisnardes a caridade com o orgulho. "Deve-se distinguir a esmola, propriamente dita, da beneficência. Nem sempre o mais necessitado é o que pede. O temor de uma humilhação detém o verdadeiro pobre, que muita vez sofre sem se queixar. A esse é que o homem verdadeiramente humano sabe ir procurar, sem ostentação. "Amai-vos uns aos outros, eis toda a lei, lei divina, mediante a qual governa Deus os mundos. O amor é a lei de atração para os seres vivos e organizados. A atração é a lei de amor para a matéria inorgânica. "Não esqueçais nunca que o Espírito, qualquer que sejam o grau de seu adiantamento, sua situação como reencarnado, ou na erraticidade, está sempre colocado entre um superior, que o guia e aperfeiçoa, e um inferior, para com o qual tem que cumprir esses mesmos deveres. Sede, pois, caridosos, praticando, não só a caridade que vos faz dar friamente o óbolo que tirais do bolso ao que vo-lo ousa pedir, mas a que vos leve ao encontro das misérias ocultas. Sede indulgentes com os defeitos dos vossos semelhantes. Em vez de votardes desprezo à ignorância e ao vício, instruí os ignorantes e moralizai os viciados. Sede brandos e benevolentes para com tudo o que vos seja inferior. Sede-o para com os seres mais ínfimos da criação e tereis obedecido à lei de Deus."

Finalizando nosso capítulo em estudo, vemos que nada nos ocorre sem uma causa anterior, sendo que alguns homens se vêem condenados a mendigar por sua própria culpa; se uma boa educação moral os tivesse ensinado a praticar a lei de Deus, não teriam caído nos excessos causadores da sua perdição. E também somos remetidos à nossa responsabilidade, pois através de nosso progresso, nossa educação moral, é que depende a melhoria do planeta.

Perguntas/Respostas:

01. <Adrianabcm> Deise, muitas vezes observamos pessoas desistirem do trabalho junto ao próximo porque não encontram receptividade, ou agradecimento, ou recebem agressões por parte dos que ajudam, etc... O que você poderia nos dizer sobre isso? Como mostrar às pessoas que, mesmo rejeitando, aquele ser necessita de auxílio?

<Deise_Bianchini> Adriana, o trabalho nunca é fácil. Infelizmente, ao menos em nosso íntimo, esperamos gratidão. Quando a pessoa não sente isso acaba desanimando, desistindo. O trabalho deve ser efetuado sem esperarmos retornos outros que o progresso daquele que atendemos. Essa é gratidão que precisamos, o serviço efetuado. A família que, naquela refeição, deixou de ser faminta. A criança que aprendeu pelo menos o básico. Ver àqueles que conseguimos resgatar de uma situação de risco muito grande. Talvez ele, o usuário não perceba, mas nós saberemos. Quando chegarmos à plena evolução moral de nosso planeta nem teremos mais necessidade dessas ações. Isso deve ficar em nossa mente, estamos trabalhando para esse fim. (t)

02. <Valcir> O tema é "Amor e Caridade..." são coisas distintas??????

<Deise_Bianchini> Caridade e amor ao próximo O exercício da caridade só ocorrerá aos necessitados, para isso precisamos do amor. Para que a caridade não seja vazia.
O amor, devemos exercer com todos, mesmo os que não necessitam de nossa caridade. Devemos exercer o amor até mesmo com os inimigos (t)

03.<Valcir> Normalmente, quando se fala em caridade, parece, que sempre relacionamos com auxilio, assistência, no sentido material, social, etc... Tenho lido alguns trechos do ESE que enfatizam que a caridade seria na realidade um sentimento, que pode se expressar ate mesmo num sorriso, ou numa palavra amiga, no ouvir, enfim, ate o mais pobre dos homens (materialmente) também pode ser caridoso, o que você pensa nesse sentido?

<Deise_Bianchini> Nesse ponto você tem toda razão, Valcir Confunde-se caridade com doação material. E como eu falei acima, essa não é a caridade mais importante Jesus entendia o verdadeiro sentido da palavra caridade como: "Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas." Veja como é profunda essa observação.
Ela engloba todos os sentimentos que devemos ter com o próximo. Sendo que o amor e a caridade são o complemento da lei de justiça A caridade sem o sentimento de amor fica vazia, é aquela que será reconhecida pelo homem, ele já terá tido seu mérito aqui na Terra. Mas ao mesmo tempo, ela não pode deixar de existir, a caridade material. Temos que aprender a fazê-la evoluir, para se transformar na caridade moral. Sua colocação foi muito oportuna.(T)

04. <guest138399> quando alguém esta em desequilíbrio a ponto de prejudicar a DE, é valido corrigi-la?

<Deise_Bianchini> Não somos os donos da verdade. Mas temos um norte que nos indica o caminho. Esse norte é a Codificação Espírita.
Essa mesma codificação não nos orienta a passarmos a mão na cabeça das pessoas, mas sim sermos firmes em nossos propósitos. Firmes, mas amorosos, benevolentes, compreendendo que todos temos nossas imperfeições. Baseados nos ensinamentos deixados pelos espíritos, podemos tentar alertar àqueles que se desviarem. Quanto ao resto, fica ao livre arbítrio de cada um (t)

05. <Valcir> Hoje nos CE sempre se enfatiza muito o assistencialismo (o q e importantíssimo) mas, muitas vezes os irmãos que trabalham e muito na caridade, não conseguem praticar a caridade sequer com os confrades no próprio CE, no trabalho e nem em casa. Nós precisamos urgentemente aprender a colocar em prática a Caridade e o Amor ao próximo, em nossas atitudes, e é claro também assistindo aos menos favorecidos (material, emocional, intelectual e espiritual e em ensinar ao jovem o desprendimento e a pratica da caridade... gostaria q você nos falasse mais desse aspecto da caridade (eu preciso tanto!!!)

<Deise_Bianchini> Valcir, eu concordo plenamente com você. É muito mais fácil colocar a mão no bolso do que passar horas ouvindo uma conversa que, a princípio, pode não te interessar. Eu trabalho, na minha vida profissional, com grupos de idosos, e jovens. O que percebemos é que, principalmente os idosos, sentem uma grande necessidade de serem ouvidos, abraçados, tocados. Em suas casas eles deixaram de ter importância. É muito triste sequer pensar nisso, mas é real. O idoso passa a ser um complemento do Lar, não a peça principal, o início da família, aquele que lutou para chegarmos onde estamos. Eles não escolhem a programação da TV, o sofá para sentar, o cardápio, os passeios, e por aí vai. Por vezes nem são lembrados na hora do carinho. Isso quando não são colocados em um asilo, "por que é melhor para eles", mas nunca mais são visitados. Essa a verdade caridade, respeitar nosso próximo. E ainda mais, respeitar nosso próximo mais próximo. Quando você se referiu a educação do jovem, também concordo. Por isso muito importante implantarmos e incentivarmos a freqüência de nossos jovens à evangelização espírita(t)

06.<frade> Obrigado, eu entendo a caridade como um chamado, mas quando esta caridade pode tornar-se em um sentimento natural da nossa alma?

<Deise_Bianchini> Creio que quando procedermos à nossa reforma íntima. Entregarmo-nos de coração ao serviço no bem. É um longo caminho, e não devemos desprezar nossas limitações. Vamos aos poucos, cada dia uma conquista maior, quando formos ver, isso estará incorporado me nós, será nossa prática diária

Oração Final:

<Adrianabcm> Vamos encerrar nosso estudo desta noite, guardando em nossas mentes as elucidações de nossa querida Deise sobre o amor e a caridade ao próximo e buscando meios em nós mesmos de exercermos ambos cada vez mais de forma desprendida e afim com o amor de Deus. Vamos à nossa prece de encerramento, que será feita por Valcir.

<Valcir> Querido mestre Jesus...
somos imensamente agradecidos por esta oportunidade... de estarmos reunidos...
buscando acrescentar ...
aos nossos espíritos, estes ensinamentos ... deixados por Ti,
que nós tenhamos a capacidade de assimilar este sentimento... de Amor, de Caridade, como um prática diária em nossas vidas... Perdoando, entendendo, ouvindo, e auxiliando no que for possível e quando for necessário, minorando as dores e os sofrimentos dos nossos irmãos... sejam dores materiais ou morais...
que este AMOR possa vibrar em nossas almas, e os fazer melhores, para que nos façamos deste mundo, um mundo melhor... agradecemos a assistência dos amigos espirituais que nos ampararam e inspiraram... Graças a DEUS!!!!!!