Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

CARIDADE E AMOR AO PRÓXIMO ESMOLA

CARIDADE E AMOR AO PRÓXIMO - ESMOLA ( O LIVRO DOS ESPÍRITOS )

(ALLAN KARDEC, Perg. 888, O LIVRO DOS ESPÍRITOS )

" O homem reduzido a pedir esmola se degrada moral e fisicamente:  ele se embrutece.

Numa sociedade baseada sobre a lei de Deus e a justiça, deve-se prover a vida do fraco sem humilhação para ele.

Ela deve assegurar a existência daqueles que não podem trabalhar, sem deixar sua vida à mercê do acaso e da boa vontade.

Reprovais a esmola?

Não, não é a esmola que é reprovável, frequentemente é a maneira pela qual é feita.

O homem de bem, que compreende a caridade segundo Jesus, se antecipa ao infeliz sem esperar que ele lhe estenda a mão.

A verdadeira caridade é sempre boa e benevolente; ela está mais no gesto que no fato.

O homem de bem, que compreende a caridade segundo Jesus, se antecipa ao infeliz sem esperar que ele lhe estenda a mão.

Lembrai-vos que a ostentação, aos olhos de Deus, tira o mérito do favor.

Disse Jesus:  Que a vossa mão esquerda ignore o que dá vossa mão direita; ele vos ensina com isso a não deslustrar a caridade pelo orgulho.

É preciso distinguir a esmola propriamente dita da beneficência.

 O mais necessitado não é sempre aquele que pede; o receio de uma humilhação retém o verdadeiro pobre e, frequentemente, ele sofre sem se lamentar. É a este que o homem, verdadeiramente humano, sabe ir procurar sem ostentação.

Amai-vos uns aos outros, é toda a lei, a lei divina pela qual Deus governa os mundos.

O amor é a lei de atração para os seres vivos e organizados; a atração é a lei de amor para a matéria orgânica.

Não olvideis jamais que o Espírito, qualquer que seja seu grau de adiantamento, sua situação como reencarnação ou erraticidade está sempre colocado entre um superior que o guia e o aperfeiçoa, e um inferior diante do qual tem os mesmos deveres a cumprir.

Portanto, sede caridosos, não somente dessa caridade que vos leva a tirar de vossa bolsa o óbulo que dais friamente àquele que ousa vo-lo pedir, mas ide ao encontro das misérias ocultas.

Sede indulgente para com os defeitos dos vossos semelhantes; em lugar de menosprezar a ignorância e o vício, instruí-os e moralizai-os.

Sede dóceis e benevolentes para com todos os que vos são inferiores, assim como em relação aos seres mais ínfimos da criação, e tereis obedecido à lei de Deus ".

SÃO VICENTE DE PAULO.