Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Chico Xavier foi Allan Kardec

Confirmada a pesquisa de 2005

Chico Xavier foi Allan Kardec, Platão, Francisco de Assis, João Evangelista,Jan Huss entre outros.


PLATÃO, JOÃO EVANGELISTA, FRANCISCO DE ASSIS, JAN HUSS, ALLAN KARDEC & CHICO XAVIER

- O mesmo Espírito Apóstolo do Cristo Jesus: "Para quem acredita, nenhuma palavra é necessária; para quem não acredita, nenhuma palavra é possível."

Dom Inácio de Loyola no dia 25 de Janeiro (fundação de S. Paulo) lemos este artigo do jornalista Assis de Lima Ribeiro, que não conhecíamos. Chico Xavier e Francisco de Assis são o mesmo Espírito.



CHICO XAVIER E SÃO FRANCISCO DE ASSIS SÃO O MESMO ESPÍRITO



Eu sempre tive uma imensa curiosidade: Allan Kardec/Chico Xavier se encontrava na Terra na época de Jesus?
Seria ele um dos 12 apóstolos do Cristo?
Levando-se em conta que o Espiritismo é o outro Consolador prometido, que é a Terceira Revelação de Deus, esse espírito tinha que necessariamente ser um dos 12.
E agora, finalmente chegou a revelação que eu e muitos estudiosos do Espiritismo aguardávamos com certa ansiedade.
Sim, Kardec/Chico era a reencarnação de São João Evangelista, que por sua vez era São Francisco de Assis.
Isso mesmo, caríssimo leitor: Chico Xavier era São Francisco de Assis.
Quer dizer: ele foi Chico duas vezes!
Essa revelação faz parte do livro “Emmanuel, Médium de Jesus”, do espírito Inácio Ferreira e psicografado por Carlos Baccelli.
Trata-se de uma informação novíssima, que naturalmente precisa ser analisada e refletida com muito carinho por todos que admiram e respeitam esse mensageiro do Cristo, merecidamente eleito, dia 03 de outubro, “O Maior Brasileiro de Todos os Tempos”.
Sim, caríssimo leitor, São João Evangelista, São Francisco de Assis, Allan Kardec e Chico Xavier são o mesmo espírito.
Quatro encarnações missionárias, todas diretamente ligadas ao Nosso Senhor Jesus Cristo.
Eu nem imagino como os católicos receberão essa revelação, já que São Francisco de Assis é um dos santos mais queridos dos nossos irmãos, valendo lembrar que nós espíritas também temos, não é à toa, imenso carinho e respeito por esse missionário.
Existem inclusive centros espíritas com o nome do “poverello” de Assis.
Agora, portanto, fica claro para nós de onde vem tanta empatia.
Nesse aspecto vale acrescentar, que esse mesmo espírito está igualmente ligado aos nossos irmãos protestantes.
Explico melhor: é que Chico Xavier também foi a reencarnação de Jan Huss (pronuncia-se Ian Rûs), que viveu em Praga, na Boêmia (atual República Tcheca), no ano de 1402, e foi pensador e reformador religioso, sendo o precursor do Protestantismo.
Portanto, nosso querido Chico está diretamente ligado ao Cristianismo do tempo de Jesus, quando vergava a personalidade de São João Evangelista.
Na Idade Média, reencarnou como São Francisco de Assis e se tornou um dos principais santos do catolicismo, foi o precursor do protestantismo, de onde se originam todas as igrejas evangélicas da atualidade e, claro, diretamente ligado ao Outro Consolador Prometido por Jesus, que é o Espiritismo, no papel de codificador (Allan Kardec) e daquele que deu seqüência a esse trabalho monumental como Chico Xavier, ligando a Doutrina ao Evangelho de Jesus de forma definitiva.
Platão - Uma outra reencarnação igualmente missionária de Chico foi como Platão, aquele que registrou para a humanidade a filosofia do grego Sócrates.
Esta revelação está no livro “Fundação Emmanuel”, também da dupla Inácio Ferreira e Carlos Bacceli.
Valendo comentar ainda que Sócrates e Platão podem ser considerados os precursores da Doutrina Cristã e do Espiritismo.
E é interessante notar que em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Kardec inicia a obra mostrando exatamente os pontos em comum entre a filosofia de Sócrates e a Doutrina de Jesus Cristo.
Ainda de acordo com o livro “Fundação Emmanuel”, antes de reencarnar como Chico Xavier, o espírito Allan Kardec teve dois maravilhosos encontros com Jesus Cristo.

Após ter cumprido a sua tarefa na França, deixando a Doutrina consolidada, Kardec foi chamado aos Planos Reluzentes.
O encontro foi presenciado por poucos espíritos, dentre os quais se destaca o venerável Dr. Bezerra de Menezes, um dos baluartes do Cristianismo nascente.
Ao se reconhecer na presença do Cristo, Allan Kardec caiu de joelhos, em pranto convulsivo, e assim permaneceu, sem ousar erguer a fronte...
Não se sabe o que ambos conversaram, ou melhor, o que o Codificador teria, então, ouvido do Divino Mestre.
Sabe-se apenas que o seu espírito pairou nas Regiões Superiores, dilatando as suas possibilidades espirituais e se refazendo, com o propósito de retomar o labor, no início do século passado”.

Ainda de acordo com o novo livro de Inácio Ferreira, os espíritos que presenciaram, nos Planos Superiores, o segundo encontro de Jesus com Allan Kardec, às vésperas de sua reencarnação, contam que o Mestre sentou-se junto a ele na relva esmeraldina e o aconchegou de encontro ao peito, pousando-lhe a destra sobre a cabeça.
O Cristo parecia introduzir a mão diretamente em seu cérebro.
Adormecendo nos braços do Senhor, a figura imponente do Codificador começou a se transfigurar.
Postado por às 10:02



Não conhecemos os livros por ele referidos, psicografados por Carlos Baccelli, o que demonstra a independência e diversidade de fontes que consultámos para chegarmos às mesmas conclusões.

Nosso artigo de Junho de 2012, apesar de nunca ter sido publicado, foi já censurado e “queimado” diversas vezes por artigos online e impressos.

Faz parte do processo natural da resistência humana…

De forma resumida, partilhamos as fontes que nos inspiraram a escrever o artigo na data da desencarnação de Chico Xavier.

Ouvimos a palestra de Julieta Marques sobre “As vidas de Allan Kardec” na Associação Espírita de Lagos (2010).

No seu final (27m30) ela fala de 2 novas informações sobre reencarnações de Kardec

Assista a Palestra sobre Chico Xavier X Kardec clicando no link abaixo...


“Estávamos fazendo um trabalho sobre Chico Xavier num grande envolvimento espiritual.

De repente uma grande emoção tomou conta de mim. Diante de mim apresentou-se a situação.

Repudiei e rejeitei….

De imediato entrei em contacto com amigos mais íntimos de Chico Xavier pela internet (…).

Que Allan Kardec foi Chico Xavier nós aceitamos.

Mas há 2 vidas do nosso Chico, do nosso Kardec… e essas 2 vidas estão sendo já pesquisadas também.

Terá ele sido João Evangelista e Francisco de Assis!...

E a resposta que recebi (lê a carta):

“Sim, querida Julieta.

Quanta emoção ao receber as tuas palavras.

Quem toca a verdade por caminhos próprios ela tem sabor diferente.

Não foi a carne quem to revelou, mas a bondade infinita de Deus, que está nos céus e em toda a parte.

Nunca ninguém te falou sobre o Poverello de Assis e no entanto tocaste a verdade dos fatos.

Quando psicografei o romance medíunico da autoria do espírito de Theophorus cujo título é Inácio de Antioquia, chorei copiosamente todas as vezes que aparecia o personagem João Evangelista, porque identificava nele a figura do nosso Amado Chico Xavier.

Todos sabem que João Evangelista voltou depois como Francisco de Assis.

É nosso Chico, sim Julieta!

E foi Deus quem to revelou esta verdade sublime por acréscimo de misericórdia e como justo prémio do teu livrinho de luz (referência ao livro “Chiquito”/Vinha de Luz).

Não comentarei mais nada hoje, deixando-te a co-autoria desta revelação…

”Carta de Geraldo Lemos Neto - Geraldinho confirmou-nos todo o relato e acrescentou:

“Desde o centenário de Chico Xavier tenho falado disso em público, a começar do 37º MIEP - Movimento de Integração do Espírita Paraibano (2010) onde me encontrei com Celestino Severino, que na ocasião, de público contou um sonho que teve com Chico Xavier lhe mostrando que tinha sido Francisco de Assis. ”

A partir daí surgiram-me várias dúvidas e novos questionamentos, aos quais Geraldinho, muito gentilmente, sempre atendeu.

Em 2011, esclareceu-nos da possibilidade doutrinária de:

1º comunicações medianímicas de Platão e João Evangelista na presença do codificador Allan Kardec;

2º duas comunicações do espírito de Allan Kardec já depois de Chico Xavier ter reencarnado;

3º as três mensagens do espírito de Francisco de Assis pelo médium Chico Xavier para Pietro Ubaldi e Divaldo Franco e desse espírito por Pietro Ubaldi a Divaldo Franco (quando da visita do médium italiano acompanhada por Chico Xavier).

Em “O Livro dos Médiuns”, no cap. XIX sobre “O papel do médium nas comunicações”, Kardec pergunta:

“As comunicações escritas ou verbais podem ser também do próprio espírito do médium?”

Ao que os Espíritos da Codificação respondem:

“A alma do médium pode comunicar-se como qualquer outra. Se ela goza de um certo grau de liberdade, recobra então as suas qualidades de espírito.

Tens a prova na visita das almas de pessoas vivas que se comunicam contigo, muitas vezes sem serem chamadas. Porque é bom saberes que entre os espíritos que evocas há os que estão encarnados na Terra.

Nesses casos eles te falam como espíritos e não como homens.

Porque o médium não poderia fazer o mesmo?”

Geraldo diz-nos que “o fato de um espírito encarnado se comunicar com outro espírito encarnado não tem nada demais nem de extraordinário, embora possamos classificá-lo como um fato mais raro dentro da mediunidade.

O pesquisador Ernesto Bozzano escreveu um livro sobre este tema: Comunicação Mediúnica Entre Vivos.” (com lista dos pesquisadores espíritas da época de Kardec que estudaram o tema e prefácio de José Herculano Pires).

Outro livro de Bozzano “Animismo ou Espiritismo” e a mais importante obra de Alexandre Aksakof “Animismo e Espiritismo”, abordam este tema pouco estudado na doutrina.

Julieta Marques relembra o livro “Allan Kardec vol. III” de pesquisa biobliográfica de Zêus Wantuil e Francisco Thiesen, onde se encontra uma comunicação mediúnica do espírito de Kardec.

Geraldo esclarece:

O fato de “Allan Kardec ter dado mensagens em 1912 (Chico estava com apenas 2 anos de idade) através de Zilda Gama e mesmo em 1922 na França para Leon Denis, não anula e muito menos desconsidera o fato de Chico ser Kardec reencarnado.”

Geraldo sublinha que “André Luiz, na obra Nosso Lar, trata do tema da comunicação de um espírito encarnado, o Sr. Ricardo, marido de Dona Laura, que já havia encarnado na Terra e na ocasião era ainda um bebê de poucos meses, e que não obstante isso saiu do corpo auxiliado por benfeitores espirituais de Nosso Lar e foi levado em perispírito até o lar de Dona Laura em Nosso Lar para se comunicar perfeitamente como o Sr. Ricardo com a própria família e os amigos de Nosso Lar.

Obviamente, conforme escreve o próprio André Luiz que presenciou a comunicação, ela vai se dar em condições especialíssimas, não sendo portanto uma atividade corriqueira.”

Chico Xavier disse a vários amigos, que Allan Kardec, entre outros vultos históricos, fora a personalidade de Platão, discípulo de Sócrates.

Platão, no entanto, é um dos nomes que assinou os Prolegômenos de “O Livro dos Espíritos”, tal como João Evangelista, que lidera a lista dos Espíritos da Falange do Verdade.

Kardec explica a quem quer estudar de forma séria e isenta, que isso é perfeitamente possível!

Segundo depoimento de Chico (inquestionável para nós), Camille Flammarion, um dos principais médiuns de “A Gênese”, era a reencarnação de Galileu Galilei.

Durante as comunicações de Galileu, Flammarion entrava em transe e acessava o seu inconsciente de onde emergia a personalidade de Galileu.

Assim Flammarion “psicografava” (a si mesmo), trabalhando ao lado do seu amigoKardec, na Sociedade Espírita de Paris.

Geraldinho complementa:

“Quanto a Chico ser também Platão esta é uma realidade.

São diversos testemunhos a respeito do assunto, não somente de Carlos Baccelli, mas também de Marlene Nobre, de Eurípedes Higino e outros mais.

Quando eu psicografava o livro "Ignácio de Antioquia" e Theophorus escrevia os capítulos e algumas vezes mostrava-me as cenas para que eu as compreendesse e tivesse mais condições mediúnicas de retratá-las com fidelidade, muitas e muitas vezes, me espantava chorando ao verificar na personagem João Evangelista o nosso amado Chico.

Então quando João Evangelista vai pregar o Evangelho de Jesus pela primeira vez aos curiosos helenos da cidade de Ephesus, os gregos ilustres que lá estavam para ouvi-lo se surpreenderam com a fluência que ele possuía do grego, sem suspeitar que o médium João Evangelista estava na realidade recebendo pela psicofonia, nada mais nada menos, do que o espírito liberto do filósofo grego Sócrates.

A sintonia entre eles fora absoluta.

Então eu fiquei pensando neste assunto e me convenci de que João Evangelista teria sido mesmo Platão e estava a receber o seu mestre Sócrates que pela primeira vez falava em língua pátria aos seus semelhantes sobre a mensagem do Cristo!”

De fato, a Dra. Marlene Nobre em Entrevista à Folha Espírita (reproduzida em “A Volta de Allan Kardec” de Weimar Muniz de Oliveira, 2008) revela: 28. g)

Folha Espírita: E a questão de Platão e Kardec?!

Dra. Marlene Nobre: Esse caso foi muito interessante.

Dr. Canuto Abreu mostrou a mim e a Freitas Nobre um documento do próprio punho deKardec, no qual ele escreve mais ou menos o seguinte:

depois que Zéfiro me contou que eu fui Platão é que pude compreender melhor a minha missão.

Conversando com o Chico, em uma noite de autógrafos no Clube Tietê, em S. Paulo, falei-lhe desse documento e da revelação nele contida.

O médium não se espantou, muito pelo contrário, parecia conhecê-la de longa data.

Recomendou-me ler O Banquete, de Platão, para compreender melhor a veracidade da informação.

Nessa ocasião, o médium confessou-me que gostaria de ir à casa do Dr. Canuto para ver tais documentos.

De fato, fomos: Nena e Francisco Galves, Freitas e eu e, naturalmente, o médium.

Foi sobretudo com base nos testemunhos de Geraldo Lemos Neto, amigo íntimo de Chico Xavier, que decidimos fazer o texto numa singela homenagem a este Espírito Apóstolo do Cristo.

Na investigação sobre as reencarnações desta Alma, Geraldo humildemente disse-nos:

“Esta é minha modesta opinião baseada em observações e fatos de nossa convivência mais íntima.”

Perante a credibilidade de diversas pessoas, com provas dadas pela sua vida e obras no movimento espírita, cruzando informações e fontes de forma independente, pedimos autorização para que fossem divulgados os seus testemunhos e decidimos avançar para a publicação por e-mail do artigo.

Durante a nossa pesquisa, além destas vivências encontramos outras referências bibliográficas sobre os arquivos espirituais deste Apóstolo da mediunidade, que foi profeta noutras vidas.

O espirito Áureo fala de outra vida do profeta Daniel, como, Isaac, filho de Abraão (que quase foi sacrificado a Jeová).

O espírito Miramez em “Francisco de Assis” (por João Nunes Maia) fala de Isaac, Daniel, João Evangelista e Francisco Assis como o mesmo espírito.

Emmanuel em “A Caminho da Luz” no capítulo sobre Francisco de Assis revela-nos:

“Todavia, se a Inquisição preocupou longamente as autoridades da Igreja, antes da sua fundação, o negro projeto preocupava igualmente o Espaço, onde se aprestaram providências e medidas de renovação educativa.

Por isso, um dos maiores apóstolos de Jesus desceu à carne com o nome de Francisco de Assis.

Seu grande e luminoso espírito resplandeceu próximo de Roma, nas regiões da Úmbria desolada.

Sua atividade reformista verificou-se sem os atritos próprios da palavra, porque o seu sacerdócio foi o exemplo na pobreza e na mais absoluta humildade.

A Igreja, todavia, não entendeu que a lição lhe dizia respeito e, ainda uma vez, não aceitou as dádivas de Jesus.”

Podemos encontrar várias analogias no percurso do Chico Xavier no Movimento Espírita, pois continuamos a repetir sucessivamente os mesmos erros, mesmo que mudemos a nossa roupagem religiosa.

Antigos e atuais companheiros reconhecerão um dia, em plenitude, a Alma com que tiveram a oportunidade de conviver, e se a aproveitaram na reforma íntima que nos é exigida.

Se tiverem um objetivo sério e feito por pessoas credíveis, os estudos sobre as reencarnações de um Espírito são importantes e avalizados pela Espiritualidade Superior.

Se assim não fosse, Emmanuel não teria testemunhado algumas das suas vivências anteriores nas suas obras, que foram brilhantemente compiladas em “Deus Conosco” (Vinha de Luz).

Yvonne Amaral Pereira, que Chico Xavier mui sabiamente designou como “Uma Heroína Silenciosa”, não se teria exposto através do relato de várias das suas existências (endividentes) em seus livros, se estes testemunhos não tivesse um objetivo útil para todos nós.

Não são curiosidades fúteis.

Quando aprendemos Doutrina Espírita as peças do puzzle vão se encaixando por raciocínio lógico.

Cada vida é uma peça, uma biografia para estudarmos e aprendermos com ela.

Juntando as peças, vamos evoluindo.

É o jogo da nossa Vida.

Analisando as vivências de Francisco Cândido Xavier e as suas convivências com ele,Geraldinho conclui:

“a característica mais marcante do espírito de Chico Xavier é a Fé em Deus e em Nosso Senhor Jesus Cristo!”

Nuno Emanuel, São Paulo – 25 Janeiro 2013 (aniversário de fundação de S. Paulo por Manuel da Nóbrega/Emmanuel)

PS. Dedicado aos queridos Amigos Julieta e Geraldinho
Postado por Rio às 05:54



Geraldo Lemos Neto reuniu diversos arquivos históricos de revelações de Chico Xavier e seus testemunhos a várias pessoas como Adelino Silveira, Marlene Nobre, Martins Peralva, Carlos Baccelli, Weimar Muniz e Severino Celestino, Eurípedes Higino.

Chico teve várias encarnações entre nós, mas as mais expressivas terão sido de acordo com a investigação destas fontes principais:


PROFETA ISAAC (1900 a.C.)

A FARAÓ DO EGITO HATSHEPSUT (1470 a.C.)

A FARAÓ DO EGITO CHAMS - Livro SEMÍRAMIS (800 a.C.)

PROFETA DANIEL (622 - 550 a.C.)

PLATÃO (428 - 348 a.C.)

ALLAN KARDEC - O sacerdote druida (Júlio César na Gália - 58 – 44 a.C.)

JOÃO EVANGELISTA (10 – 103 d.C.)

SANTO ANTÃO (251-356)

UM SACERDOTE à época de SÃO REMÍGIO no primeiro Império Franco (440 - 530)

FRANCISCO DE BERNARDONE - SÃO FRANCISCO DE ASSIS (1182 – 1226)

JAN HUSS (1369 – 1415)

O SACERDOTE MANUEL DE PAIVA (1508 – 1584) – ao tempo de MANUEL DA NÓBREGA

PROF. HIPPOLYTE LÉON DENIZARD RIVAIL - O codificador Allan Kardec (1804-1869)

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER (1910-2002)


ASSISTA AO VÍDEO

Outro lado de Chico Xavier por Geraldo Lemos Neto médium, escritor e amigo de Chico

Abaixo, quadro com encarnações de Francisco Cândido Xavier e Emmanuel.

REENCARNAÇÕES DE EMMANUEL E CHICO XAVIER – missionários do Cristo
Notas: As 2 colunas da esquerda são de Emmanuel e as 2 da direita de Chico Xavier
Na tabela está assinalada com a mesma cor quando os 2 espíritos se encontraram nessa encarnação ou quando um como desencarnado esta(va) em contato regular com o outro como encarnado.
a) Marlene Nobre conheceu o menino em Ribeirão Preto em 2004

b) Relato de Nena Galves sobre conversa de Chico Xavier com Jesus

No mínimo conheceram-se há 30 séculos (3000 mil anos).

Na Igreja Católica estiveram reunidos pelo menos do séc. V ao XVI

No espiritismo o seu compromisso é de 3 séculos: XIX, XX e XXI

Fontes: Vidas sucessivas de Emmanuel - "Deus conosco" - Vinha De Luz Editora

Vivências de Chico Xavier:
Vivências de um espírito médium do Cristo - 14 reencarnações de Chico Xavier e revelação da próxima
http://www.vinhadeluz.com.br/site/noticia.php?id=1788

Platão, João Evangelista, Francisco de Assis, Allan Kardec e Chico Xavier - cinco personalidades, o mesmo espírito apóstolo do Cristo
http://www.vinhadeluz.com.br/site/noticia.php?id=1787

Allan Kardec é João Evangelista - Indícios consistentes na obra de Allan Kardec e Chico Xavier - conexões com personalidades de Platão, Francisco de Assis, João Huss e Francisco Cândido Xavier
http://www.vinhadeluz.com.br/site/noticia.php?id=2010

Manifestação de Santo Agostinho na FEB em 1919 confirma reencarnação de Allan Kardec no século XX no Brasil
http://www.vinhadeluz.com.br/site/noticia.php?id=2036

A Volta de Allan Kardec - tese de Weimar Muniz de Oliveira