Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Personalidades do meio espírita de Vitória da Conquista - BA

ALFREDO PRATES FILHO



     Nasceu no dia 6 de agosto de 1908, na fazenda Bem Querer. Filho de Alfredo Prates, fazendeiro e delegado de Conquista e de Dona Joana Fernandes de Oliveira Prates. Dos doze filhos do casal, Filó era o 11º. Dos 12 aos 16 anos, participou ativamente dos movimentos culturais existentes em Conquista participando do Grupo Dramático Castro Alves. Casou-se com Maria Madalena e com esta permaneceu unido até o desencarne da esposa em 30 de outubro de 1994. 65 anos de casados! Com a esposa teve 12 filhos. Conheceu a doutrina espírita por meio do pai e do irmão Alziro Prates. Fundou no dia 30 de setembro de 1947 o grupo Filhos de Maria, que funciona até os dias atuais. Em Assembléia Geral Extraordinária, realizada no dia 22 de agosto de 1998, por unanimidade, a União espírita de Vitória da Conquista o homenageou com o cargo de PRESIDENTE DE HONRA DA INSTITUIÇÃO.
“...Em respeito à grande contribuição pelo querido irmão ao espiritismo em nossa cidade, como por exemplo: a fundação do Centro espírita Humberto de Campos em 1939, o Grupo Espírita Filhos de Maria em 1947, da UEVC em 1951 e da Semana Espírita de Vitória da Conquista em 1953, o seu nome foi indicado e aceito por unanimidade pela Assembléia para ser o primeiro ocupante do referido cargo. O senhor, que já foi até apedrejado no passado de intolerância, manteve acesa a chama e ajudou a consolidar a doutrina espírita em nossa terra”.
    Desencranou no dia.... em Vitória da Conquista.

ALOYSIO PEREIRA DA SILVA

     Iniciou no espiritismo no dia 9 de março de 1940, na cidade de Itabuna. Veio para Conquista onde, entre muitas realizações, fundou o centro de Estudos Espíritas Fabiano de Cristo. Foi presidente do CEHC, da UEVC, diretor do Albergue Nosso Lar, implantou o culto do evangelho no lar no município com penetração na zona rural e, como jornalista e escritor, difundiu a doutrina nesse meio, com vários livros escritos e representando Vitória da Conquista em vário congressos realizados em todo o Estado.

ANÍSIO DE BRITO NEVES

     Fundador do Lar da Criança Meimei no dia 21 de agosto de 1984 e o primeiro presidente dessa instituição. Criador do Clube do Livro Espírita e da Escola de Datilografia Gildete Viana de Andrade e, foi pelos esforços de Anísio que a UEVC tornou-se entidade de Utilidade Pública Federal.
ARIOSVALDO SOUTO DE OLIVEIRA – CABOCLINHO
     Nasceu no dia 11 de maio de 1932 em Vitória da Conquista. Filho de Maximiano Ferreira de Oliveira e de Maria santos Muniz, foi o primeiro de uma família de treze filhos. De família pobre, ficou órfão de pai muito cedo e, como filho mais velho, logo se tornou arrimo da família trabalhando inicialmente como alfaiate. Criança traquina, a mediunidade de vidência se manifestou muito cedo e, constantemente, relatava quadros que só ele via. De família inicialmente católica, começou a sofrer uma perseguição tenaz que ele dizia ser do espírito de uma mulher que morou aqui mesmo em Conquista. Os ataques da obsessora eram tão freqüentes que ele passou por sérias perturbações que deixava toda família preocupada. Certa feita, já na idade adulta, foi surpreendido pelos irmãos dentro do próprio quarto tentando se matar com uma toalha que amarrara no pescoço. Até uma carta de despedida havia deixado para os familiares dizendo não estar suportando mais tanta perseguição. Diante do quadro obsessivo, a família e os amigos realizaram uma vigilância constante, inclusive, levá-lo e buscá-lo do trabalho. 
     Buscou ajuda com uma espírita conhecida como “Maria espírita” que possuía um centro de reuniões mediúnicas privadas próximo a rua Dois de Julho. Lá a entidade foi doutrinada e Caboclinho, aos poucos, encontrou a melhora. Conhecera a doutrina espírita desde cedo e, por meio do Sr. Gildete Viana, foi levado ao Humberto de Campos onde se entregou de corpo e alma ao trabalho de servir, loa permanecendo por 15 anos. Geralmente chegava ao centro às seis da manha, saía para almoçar e jantar e era o último a sair da casa espírita.
     Não se casou, mas adotou três crianças: Rita de Cássia (desencarnada), Nádia Aparecida Menezes de Oliveira e Maria José Souto de Oliveira. Apesar de ser espírita MORRIA DE MEDO DE MORRER e, geralmente, cochilava durante todas as sessões. Amigos diziam que, dormindo, com o espírito mais liberto, ele servia ainda maios aos trabalhos. 
     Desencarnou no dia 17 de abril de 1992, numa sexta feira da paixão. As homenagens que lhe são prestadas são muitas e, de tanto ouvir falar em caboclinho, membros da caravana espírita do Estado de Rondônia que aqui comparecem para prestigiar a Semana espírita, acabaram por construir  um albergue na cidade de Pimenta Bueno (Rondônia) que tem o nome de Ariosvaldo Souto de Oliveira. Uma curiosidade é que, alguns mendigos que buscam ajuda nessa casa, contam que são abordados nas ruas por um home que, fisicamente, se assemelha a Caboclinho.
     Se existisse o título de IRMÃ DULCE CONQUISTE4NSE, certamente caboclinho o receberia por unanimidade. 

DALVA FLORES


 
     Maria Dalva Ferreira Flores Costa, nasceu em 21 de dezembro de 1929, na Fazenda Riacho de Areia, em Vitória da Conquista. Filha de um dos 18 filhos de Olívia Ferreira Flores, senhora que, durante os anos 50 e 60, exerceu forte influência política e social no dia a dia dos conquistenses. Chegou a Conquista em 1941 e matriculou-se no Ginásio de Conquista, dirigido pelo Padre Palmeira. Concluiu o curso ginasial em Salvador no Colégio Nossa Senhora da Salete. Por volta de 1945, apresentou um problema no joelho direito que se agravou de tal forma que uma junta médica chegou a pedir a amputação da perna da jovem moça. Não aceitou a recomendação médica e o problema foi curado aos poucos.
     Começou a trabalhar desde cedo como auxiliar de enfermagem e, de gênio forte dizia: ”é para custear minhas próprias despesas sem ter que pedia nada a ninguém!”. Casou-se aos 23 anos com Ludovico Costa Neto e a família só veio saber do casamento no momento em que este se realizava. Teve quatro filhos: Paulo, Marcos, Lucas e Maria Olivia Ludovico Flores Costa.
     Adepta da doutrina espírita, Dona Dalva passou a freqüentar o CEHC e lá participava de todas as campanhas filantrópicas.   Dedicou 45 anos da vida ao Albergue Nosso Lar atuando sempre como diretora da instituição. Percorria o comércio de Conquista em busca de donativos para a manutenção dos “velhinhos”.
    Dalva Flores fez do “abrigo dos velhinhos” como ela costumava chamar, a razão da sua vida. Muitas vezes, chegou a abdicar do convívio com a própria família para atender às necessidades dos idosos. “O abrigo é minha razão de vida já que meus filhos estão criados” dizia Dona Dalva.  
     Desencarnou no dia 20 de dezembro de 2005 aos 76 anos de idade. 

JOSÉ OLIVEIRA LIMA

Vô Filó e José Oliveira Lima
          Nasceu no dia 14 de junho de 1927 na cidade de Mundo Nono Estado da Bahia. Atuou principalmente em órgãos públicos estaduais e federais ligados ao agronegócio, onde era sempre destacado para reverter às situações criticas, sendo um funcionário de destaque do Banco do Brasil. 
     Onde se encontrava para desempenhar serviços para inúmeras empresas, ao detectar as carências sociais, não cruzava os braços. Aproveitava a oportunidade e fazia brotar a caridade. Entre tantos feitos destacam-se: organizou uma campanha de alimentos para tuberculosos do Vale Jaguaribe; Criou a Sopa do Irmão para atender internos dos presídios e famílias carentes; Instalou uma escola primária com 37 alunos; Instalou uma escola para alfabetização de adultos; Instalou um ambulatório médico/dentário com atendimento gratuito para pessoas carentes; Durante as visitas a zona rural, orientava as famílias da necessidade de construção de banheiros; Construiu o Centro espírita Irmã Sheila (Amargosa) dentre outras ações a serviço do bem. 
     Chegou a Vitória da Conquista em 1972 quando assumiu o cargo de Gerente do Banco do Brasil. O “OQUE DO TIO LIMA” fez o município prosperar! Indústria, comércio e agropecuária deram um salto em qualidade e quantidade. O ex-prefeito Hélio Ribeiro, chegou a afirmar que “a história de Vitória da Conquista está dividida em duas fases: antes e depois de Lima”.     No meio espírita, proferiu centenas de palestras e foi o fundador do Jornal Oásis. 
     Desencarnou no dia 08 de novembro de 1987, devido a problemas no pâncreas.

LUIZ BARRETO VIEIRA

     Nasceu no Ceará, formou-se em medicina na área de oftalmologia. Católico praticante, não tinha nada contra a doutrina ou contra os seus seguidores, até porque, a esposa Anita Assis era espírita atuante. Amigo íntimo de Filó Prates, chegava a travar alguns debates, mas não se convencia até que, no ano de 1952, Barreto ficara sabendo que o jornalista Costa  Freitas, fundara um centro espírita em Governador Valadares onde aconteciam fenômenos de materialização. 
    Curioso para conhecer o fenômeno, convidou os amigos Filó, Alziro Prates, Irênio Santos e Maria Vitória Prates para irem com ele até Governador Valadares. E a comitiva seguiu caminho. 
     Chegando ao destino proposto, surgiu um pequeno problema: havia algumas recomendações da direção da casa para os freqüentadores. Uma delas, que não era permitido na reunião pessoas que tivessem ingerido carne no dia dos trabalhos de materialização. Do grupo, apenas Luiz Barreto não havia ingerido a proteína animal.  Todos ficaram do lado de fora e só ele entrou. 
     Ao sair da reunião Barreto não mentiu! Como a espiritualidade não se encontra a nossa disposição, não havia acontecido o fenômeno de materialização, mas durante os trabalhos, algumas palmas vindas não se sabem de onde, se fizeram ouvir em todo o ambiente.
     Retornava o grupo a Conquista quando, em um restaurante de beira de estrada, Barreto pediu a Filó que ele cedesse uns 10 minutos em uma reunião no Grupo Filhos de Maria, para que ele pudesse contar o que havia acontecido na sessão de materialização. O pedido foi atendido. 
     Foi a primeira palestra de outras centenas que aconteceriam na vida desse novo e ativo espírita que esteve à frente de inúmeras conquistas. No dia 15 de março de 1969, na assembléia geral da UEVC, Filó Prates era empossado presidente. Na oportunidade, o amigo Luiz Barreto Vieira, esposa e filhos, se despediam de todos rumo à cidade de Salvador.  

SAUL QUADROS

     Saul Venâncio de Quadros, nasceu no dia 1º de outubro de 1918 no distrito de Vargem Grande, município de Santo Antônio de Jesus. Filho de João Francisco de Quadros e Emília Venâncio de Almeida Quadros, foi o 14º dos 16 filhos do casal. Não apenas LIA os livros espíritas. ESTUDAVA se tornando uma enciclopédia viva de espiritismo. 
     Casou-se com Maria Luiza Martins na cidade de Castro Alves no dia 16 e janeiro de 1941 com quem teve três filhos: Saul, Nelson e Ruy Quadros. Na forma de educá-los, dizia sempre que primeiro o pai tinha que ser amigo dos filhos, para só depois exercer o papel de pai.
     Em 1949 mudou-se com a família para Conquista onde se dedicou de corpo e alma a doutrina espírita, sendo um dos palestrantes mais solicitados em todo o meio. Quando se tratava de questões referentes ao Livro dos Espíritos, era capaz, não apenas de responder fielmente às perguntas, como também dizer o número e a página onde estava a questão.   
     Escreveu cinco livros pela orientação do espírito “Irmão Raimundo”  intitulados: Mensagens de Paz, Mensagens de Amor, Mensagens de Luz, amor e Sabedoria, Visão Cristã e o último Compilações. 
     Fazia questão de, desde moço usar sempre roupas brancas. Dizia ele que a cor branca era a cor da paz! Fundou em Conquista a casa de repouso Francisco de Assís que funcionou durante 14 anos como um verdadeiro centro de desobsessão. Um detalhe: não havia dia específico para o atendimento! Era a necessidade do paciente que fazia o trabalho acontecer.
    Desencarnou no dia 24 de março de 2007. 

OBS: SOLICITO À TODOS OS QUE TIVEREM ACESSO A ESTA PÁGINA QUE ENVIEM PARA O EMAIL plautoceu@bol.com.br informações sobre outros importantes trabalhadores da doutrina, encarnados ou desencarnados. Se possível, acompanhado de foto do referido homenageado.   


fonte:

http://espiritismoconquista.blogspot.com.br/p/alfredo-prates-filho.html