Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

PERDAS SÃO APRENDIZADOS

PERDAS SÃO APRENDIZADOS

por Tania Paupitz - tania.paupitz@gmail.com


Todos nós estamos em constante processo de aprendizagem e, como sabemos, as perdas também fazem parte de toda trajetória humana. Aprender a superá-las, eis o nosso grande desafio!
Sempre temos à nossa disposição muitas escolhas através do nosso livre-arbítrio, pois é assim que iremos aprender a lidar com as perdas, seja optando em vencê-las com coragem e obstinação, ou deixando-nos abater pelo desânimo e tristeza.

No fundo, alterando a visão que temos do sofrimento, podemos tirar aprendizados de tudo o que nos acontece, inclusive das coisas que, num primeiro momento, podemos julgar como negativas.
Quando passamos a compreender o sofrimento, aceitando-o como parte do processo natural da vida, ele se torna mais leve e, desta forma, conseguimos fazer com que o mesmo se amenize, possibilitando também um avanço em nosso caminho evolutivo.

As religiões estão aí para ajudar-nos a amenizar grande parte das perdas que sofremos no decorrer de nossas vidas e, dentre tantas filosofias, encontramos o Espiritismo que, nos recomenda a prece pelos entes queridos que partiram, para que seus corações possam se sentir aliviados.

No Livro: "O Evangelho Segundo o Espiritismo", encontramos uma bela coletânea de preces que nos falam da importância da oração pelos entes queridos que acabaram de deixar a Terra, como forma de ajudar no desligamento do espírito, tornando o seu despertar no Além mais tranqüilo e breve.

“Vós que compreendeis a vida espiritual, escutais as pulsações de vosso coração chamando estes bem-amados, e se pedirdes a Deus para os abençoar, sentireis em vós essas poderosas consolações que secam as lágrimas, essas aspirações maravilhosas que vos mostrarão o futuro prometido pelo soberano Senhor”.

O importante é perceber os bons momentos que vivemos com esse ente querido. Além disso, tentar entender que nada acontece por acaso, tudo tem uma finalidade e se a separação ocorre; com certeza, causará um grande impacto, porém, temos que guardar um bom sentimento e sabermos que a caminhada foi importante, enquanto estivemos junto daquela pessoa, acreditando que a separação não é o fim. Sempre existe a possibilidade de reencontro. Aprenderemos a lidar melhor com essa separação se tivermos a certeza de que ela é transitória. Todos nós partiremos um dia para o plano espiritual.

Pensemos que não seremos os únicos a sofrer neste mundo.
Reparemos à nossa volta e encontraremos outros irmãos em dores.
Uns lamentam a enfermidade física. Outros choram o ente querido que a morte o levou.
Muitos se debatem nas aflições ante os imprevistos do mundo. Por enquanto, somos todas criaturas que sofrem, carregando suas cruzes intransferíveis.

"Todavia, se já podes enxergar a vida sob o ângulo luminoso que a Doutrina espírita te oferece - não te lamentes tanto e dedica-te ao trabalho de ajuda ao próximo.
Renova teus pensamentos com a prece e o estudo, auxiliando os irmãos do caminho, porque toda ajuda ao próximo será sempre auxilio para ti mesmo”.
(Scheila/ Claytons B.Levy – A mensagem do Dia).