Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Depressão e espiritismo

Por Elizete Schazmann

No mês de março o médico psiquiatra goiano e estudioso da Doutrina Espírita, Umberto Ferreira, esteve em Blumenau para proferir palestra em várias Casas Espíritas. Na Sociedade Espírita Nova Era ele falou, para trabalhadores e estudantes do espiritismo, sobre mediunidade e psiquiatria. Em entrevista ao Informativo Nova Era ele respondeu perguntas sobre os caminhos para sair da depressão.

Nova Era - A depressão é um problema físico, espiritual ou ambos?

Umberto Ferreira - De um modo geral nós podemos dizer que a depressão tem os seus aspectos físicos e os seus aspectos espirituais. Nós costumamos dividir a depressão sob o ponto vista espiritual, em quatro categorias diferentes: a primeira é a depressão reativa que não tem propriamente características espirituais, mas que deriva de grandes perdas; a depressão que aparece como característica expiatória ou provacional, neste caso o espírito reencarna numa família com propensão à depressão como forma de resgatar dívidas do passado; nós temos as depressões desencadeadas por influências espirituais, por obsessões, em função da ação obsessiva a pessoa entra em depressão; finalmente nós temos o caso de espíritos que recusam a vida na Terra como se preferissem viver no mundo espiritual ou se recusam a viver em países do terceiro mundo, pois gostariam de estar vivendo no primeiro mundo, e aí ficam num estado melancólico por não aceitar aquela situação. Portanto, a questão é bastante diversificada.

Nova Era - Então depressão requer tratamento físico e espiritual?

Umberto Ferreira - O tratamento ideal para a depressão é aquele que vincule o tratamento médico, com medicamentos antidepressivos, com psicoterapia, principalmente quando o paciente começa a melhorar, para ajudar na melhora, e a assistência espiritual. O ideal é atuar dessas três maneiras.

Nova Era - Qual o papel da família na recuperação desse paciente depressivo?

Umberto Ferreira - Nós dizemos que papel da família é principalmente de dar apoio, de acompanhar, de estimular a melhora, nunca de cobrar. Muitas vezes a família cobra de quem está deprimido no sentido de reagir e essa cobrança só faz piorar porque ninguém melhor que a pessoa que tem depressão, ninguém mais do que ela deseja reagir para sair daquele estagia. Quando as pessoas cobram aumenta mais a angústia de quem já está num desconforto muito grande. A família deve dar esse suporte, incentivar nessa fase mais difícil e apoiá-la quando ela busca os recurso para melhorar.

Nova Era - Qual o papel da Casa Espírita diante da pessoa com depressão?

Umberto Ferreira - De duas maneiras, uma das formas é através da recepção fraterna. Sabendo que pode conversar com um trabalhador da Casa Espírita a pessoa com depressão sentirá apoio e reconforto com essa atitude. Também com as palestras, os estudos que consolam e dão esperança, o passe, a água fluidificada para ajudar a pessoa na sua recuperação e também o cadastramento da pessoa com depressão nos trabalhos de desobsessão para que elas vem a ser beneficiadas, podendo ficar livres de um processo obsessivo.

Nova Era - Na maioria dos casos o processo obsessivo e a questão da depressão estão associados?

Umberto Ferreira - É muito freqüente, pelo seguinte, às vezes a pessoa tem a depressão de ordem orgânica, biológica, como nós temas aquele espíritos que prejudicamos no passado e que esperam o momento adequado para nos cobrar, esse é o momento em que a pessoa fica fragilizada quando eles fazem o sofrimento se agravar e assim exercer a sua pretensa ação de justiça.

Nova Era - Qual a prática fundamental para quem está com depressão e para a sua família?

Umberto Ferreira - É importante sempre procurar cultivar o bom ânimo, tentar fazer atividades em casa, fazer uma caminhada, uma leitura, lago que a pessoa goste porque isso tudo ajuda. No começo, antes que os remédios fazerem efeito, às vezes é difícil, a pessoa quase não obtém resultado, mas é importante quando os remédios começam a fazer efeito, ela começa a melhorar, isso ajuda muito, é fundamental a leitura edificante como a do evangelho para buscar o equilíbrio no ambiente espiritual. Também é importante saber que este quadro é reversível, por isso é preciso cultivar a esperança, pois é uma questão de tempo para encontrar o medicamento, os recursos espirituais, para ela melhorar. Da mesma foram os familiares devem dar suporte e ter paciência de esperar o momento da melhora e depois procurar dar amparo para que aquele que teve depressão não viva situações de stress para evitar novos episódios depressivos.



Fonte: Informativo Nova Era