Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

sábado, 27 de setembro de 2014

Convivência pacífica no Lar


Convivência pacífica no Lar



Encontro mostra a necessidade de implementar os ensinamentos do Cristo no santuário familiar a fim de aprender a amar para bem servir

Lílian Reis

Como uma flor que atrai a nossa atenção não só pela beleza, mas pelo perfume, Jesus em nosso Lar é permitir que aspiremos o aroma da felicidade e usufruamos o néctar da paz. O evangelho do Cristo, quando proferido entre as quatro paredes familiares, transforma a casa em santuário de amor. Esses foram os ensinamentos discutidos no 1° Encontro de Implantação do Evangelho no Lar do Grupo Educacional e Assistencial Espírita Fraternidade (GEAEF), realizado no dia 17 de abril, domingo, às 8h45. O evento reuniu mais de 20 pessoas em torno da importância do Evangelho no Lar para o fortalecimento dos laços familiares.


Para Joanna de Ângelis, o Evangelho no Lar é remédio valioso que consegue recompor. “As sementes luminosas da Boa Nova, plantadas na intimidade do conjunto familiar, desdobram-se em embriões de amor que enriquecem os Espíritos de paz, recuperando os homens portadores das enfermidades espirituais de longo curso e medicando-os com as dádivas da saúde.”

Os Espíritos, endividados entre si, reencarnam no mesmo grupo consanguíneo para o necessário reajustamento. A fim de estabelecer a harmonia do lar, é necessário que deixemos o Cristo entrar nele e, assim, Ele modificará a paisagem espiritual do recinto. A vice-presidente de Apoio Doutrinário do GEAEF, Denise Reis, alerta para a importância do tema. “Nós temos que formar uma barreira magnética no nosso lar, por meio do Evangelho no Lar”, disse. A secretária do Departamento de Divulgação do GEAEF, Cleia Belus, ratifica a ideia do Evangelho no Lar ser um recurso de proteção espiritual. “Equipes responsáveis da Espiritualidade se comprometem a visitar a nossa casa no horário do Evangelho para higienizá-la dos maus fluidos”, observou.

Uma das participantes do encontro, Elisete Alves, fala sobre as dificuldades de implantar o Evangelho no Lar, mas alerta para a persistência. “Temos que perseverar! Se eu quero o Cristo na minha casa, eu quero ele sempre, independente das adversidades exteriores”, afirmou. Ao ocorrer essa implantação, aqueles que antes experimentavam repulsa pelo ajuntamento doméstico, agora descobrem necessidades de auxílio mútuo. “Quando Cristo penetra a alma do discípulo, refá-la, quando visita a família em prece, sustenta-a” (Joanna de Ângelis).

O Evangelho no Lar é também a higienização da casa, só que os produtos de limpeza serão oferecidos pelos próprios familiares. Em vista disso, a dinâmica inicial, realizada pelo coordenador do encontro, Joel Oliveira, fez os participantes do evento encontrarem em si esses produtos. Eles tiveram que identificar três características neles que influenciam positivamente a sua família. “Usar a autoavaliação como proposta de impulso ao nosso crescimento”, comentou Joel.

A diretora do Departamento de Formação Doutrinária, Rose Guido, leu com os participantes um texto de Emmanuel o qual reafirma a importância do Culto Cristão no Lar. O autor cita implicitamente os quatro evangelhos canônicos (Marcos, Matheus, Lucas e João) e ressalta “somos, cada um de nós, o quinto Evangelho inacabado”. Analisando esse trecho, Rose complementa: “Temos, cada um de nós, a responsabilidade de entregar a obra pronta dentro da família.”

Por fim, relembremos os ensinamentos de Chico Xavier e Irmão José, respectivamente:

“Nascestes no lar que precisavas, vestiste o corpo físico que merecias, moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.”

“Quem se torna Espírito vitorioso na intimidade doméstica habilita-se a maiores conquistas de natureza espiritual diante da Vida.”