Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Flagelos Destruidores


Amilcar Del Chiaro

Nosso tema de hoje são os flagelos destruidores, os cataclismos, que surpreendem os homens, deixando-os atônitos, com a indagação quase geral: Por que, meu Deus?
A Doutrina Espírita nos explica que Deus é o criador de tudo o que existe, portanto, é o Criador dos seres humanos. Fomos criados simples e ignorantes, a caminho da perfectibilidade. Contudo, porque Deus decidiu assim, ninguém sabe.
Poderia Deus ter criado o homem perfeito, isto é, bom, inteligente, fraterno, solidário? Sim! Não temos dúvidas que Deus poderia e pode, porque Ele é absoluto. Entretanto, se decidiu diferente, certamente sabe o que é melhor para a Sua Criação.
Sempre que acontece algum cataclismo, seja de ordem natural, seja provocada pelo homem, de imediato a solidariedade é mobilizada. Mesmo assim, ficamos a pensar sobre o motivo de tanta dor? E nada dói mais do que a morte de seres queridos. Entretanto, a nossa visão é limitada ao corpo. Quase nunca consideramos o Espírito imortal que teve a sua vestimenta carnal destruída, mas pode fazer da experiência um degrau que o eleve a patamares mais altos.
A pergunta persiste: mas Deus não poderia empregar outros meios menos dolorosos para apressar a evolução? Sim, e assim o faz, dando ao ser humano a condição de conhecer as leis naturais e os valores do bem e do mal. Contudo, como é difícil superar o egoísmo, em nome do Pai, a Natureza corrige o homem com o aparente castigo dos flagelos, como terremotos, maremotos, enchentes, seca, tufões, e, não raro, as disposições maldosas de mentes desequilibradas em atentados terroristas ou guerras.
E o inocente, o homem de bem que também perece? Não é uma injustiça? Aparentemente, sim. Contudo, o que as leis divinas visam, é o progresso material e moral das pessoas e da região. Um flagelo destruidor pode fazer com que os homens progridam muito mais rapidamente. Seus corpos foram destruídos, mas eles não são seus corpos, como o homem não é a sua roupa, ou o soldado a sua farda. Assim como um bom general se preocupa com os seus soldados mais do que com os seus uniformes, o Mundo Maior se preocupa com os Espíritos, muito mais do que com os seus corpos.
Em atentados terroristas, como o recente ocorrido na América do Norte, ou terremotos, incêndios, secas, tufões, parte dos envolvidos pode estar comprometida com a lei de causa e efeito, contudo, os outros envolvidos, com certeza estarão sendo estimulados ao progresso espiritual. Sofreram prejuízo? Materialmente, sim. Espiritualmente, porém, muito pode ter sido o benefício.