Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 8 de julho de 2014

A visão espírita da depressão


Escrito por Claudio Vieira Melo  
Sex, 17 de Fevereiro de 2012 14:38
O espiritismo, que define o espírito como a essência do próprio ser, explica a depressão como uma doença espiritual, uma fase avançada do processo obsessivo, resultando do assédio persistente de espíritos inferiores sobre a mente do homem e dos que o circundam. Portanto, quem não acredita no Espírito, ou ainda, quem tem pouco conhecimento sobre sua natureza, não esta em condições de conhecer a causa da depressão e muito menos de tratá-la.
A conceituação de depressão para o espiritismo é a mesma que a medicina lhe dá, isto é, o conjunto de sinais e sintomas depressivos (tristeza, falta de prazer, insônia, perda de apetite, choro fácil, etc), que duram mais de duas semanas.
Considerando que todos somos imortais, e que reencarnamos várias vezes para desenvolver nossos potenciais e sempre evoluindo, as causas reais de qualquer doença encontram-se nesta ou numa existência anterior.
Neste sentido, o espírito pode reencarnar com a predisposição adquirida em outra reencarnação, desenvolvendo a depressão. Entretanto, a depressão pode ser adquirida inconscientemente, sem o paciente perceber, na própria reencarnação.
Devemos lembrar que a depressão possui dois componentes geradores de doenças: a influência do próprio espírito encarnado (o paciente) que, através de pensamentos negativos, desenvolve distúrbios orgânicos, e a influência da obsessão.
Segundo Allan Kardec, codificador do Espiritismo, no livro O evangelho segundo o espiritismo, cap. 28, item 81, chama-se obsessão a ação persistente que um mau espírito exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diferentes, que vão desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.
Um espírito obsessor pode ter vários motivos para obsediar um encarnado. Em nossas várias reencarnações criamos numerosos vínculos e afetos, nem sempre saudavelmente, representando essa ação uma semeadura para certamente colhermos mais tarde.
Segundo Osvaldo Shimoda, a obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na medicina como possessão e estado de transe, nos termos do item F.44.3 do CID – Código Internacional de Doenças – que permite o diagnóstico da interferência espiritual obsessora.
E Shimoda finaliza que a psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios e, na prática, “embora o CID seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas.
A obsessão é a ação persistente do mau espírito sobre um indivíduo. Ela apresenta caracteres muito diferentes, desde a simples influência moral , sem sinais sensíveis exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais. A obsessão, de igual modo que as enfermidades e todas as tribulações da vida, deve, pois, ser considerada uma prova ou expiação, e como tal aceita” ( ALLAN KARDEC, em A PRECE, fls. 30, Federação Espírita Brasileira) ´.
Também os profissionais que trabalham com Terapia de Vidas Passadas,ou TVP, afirmam que se torna necessaria a compreensão dos mecanismos causadores da Depressão que envolvem não somente as predisposições hereditárias e as causas psíquico-ambientais, mas também a compreensao de conceitos como KARMA e RE-ENCARNAÇÃO. O conceito de reencarnação firma que os indivíduos vivem múltiplas existências, tantas quantas forem necessárias, para que possam se desenvolver e evoluir plenamente. Já o conceito de Karma significa ação e reação, ou a Lei de Causa e Efeito, onde o indivíduo colhe no presente os resultados positivos ou negativos das ações praticadas em vidas passadas.
Segundo o médico, biólogo, psiquiatra, psicólogo e psicoterapeuta Dr. ALIRIO DE CERQUEIRA FILHO, “dentre todas as demais doenças do espírito, a depressão sempre terá cura dentro de uma visão transcendente, espiritual profunda. Somos espíritos imortais e nos tornaremos completamente saudáveis, à medida que vamos nos educando rumo ao amor, ao bem, ao bom e ao belo, em sucessivas etapas reencarnatorias.
Isso não significa que não possamos minimizar, aqui e agora, as suas causas através de um processo de autoeducação espiritual. Sabemos que essa autoeducação é difícil, mas perfeitamente possível. Quando a pessoa se dispõe a transformar as causas espirituais, todas as demais – energéticas e somáticas – respondem a essa transformação “. (A Cura Espiritual da depressão, fls. 80, ebm editora).
Conforme ensinamentos do citado medico, a rebeldia é o maior fator que leva a essa doença, pois configura-se em um estado de muita miséria interior, pois o indivíduo não aceita as condições da vida. É uma não aceitação da realidade, e o rebelde não está satisfeito com as condições que a vida apresenta, revoltando-se com tudo a sua volta, profundamente egoístico e egocêntrico e se volta para si próprio como se tudo, à sua volta, tivesse que estar a sua disposição e da forma como ele acha que tem que ser.
Entretanto, diferentemente do processo do rebelde, o ser humano pode ser considerado revolucionário, transformador, ou seja, aquele que depois de ter superado o nível de todas as formas, se angelisa.
Para iniciarmos o caminho da cura espiritual, que nos libertará da depressão, precisamos ter como fundamental um trabalho de percepção que nos tornará autoconscientes de nós mesmos, segundo os ensinamentos de Jesus: “CONHECEIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ”
Não existe outro caminho para a libertação do ser deprimido a não ser o do conhecimento da verdade, pelo conhecimento de que ele é portador de depressão.
É indispensável que o depressivo, portanto, tenha uma aceitação de seu estado, essa é a maior dificuldade da pessoa depressiva, que deverá realizar uma reflexão sobre sua vida e sobre o movimento que o leva a se deprimir, alem de adquirir uma atitude de oração para seu anjo da guarda.
Após as reflexões acima, chegou a hora de salientar a tomada da decisão da autotransformação acerca das verdades dos fatos, pois a decisão é importante para se viver em direção àquilo que dizemos querer. Sem essa decisão não podemos curar a depressão.
Para retomar a saúde deve-se atacar diretamente a causa de sua ausência. É um processo de autocura. FORTALECIMENTO MORAL, seu principal elemento, através da transformação das ideias e a PRECE, ação eliminadora de tormentos, constituem-se, pois, nos únicos remédios a combater o que se admite como O Mal dos ultimos tempos.
“Somente em casos complexos e raros - em que a vontade já se encontra comprometida - é que a intervenção de terceiros se faz necessária. E mesmo nesses casos em que a ajuda se resume a orações, o esclarecimento do obsedado e do obsessor em trabalhos mediúnicos se faz obrigatorio: “Não se usa nenhum ingrediente especial. Emprega-se apenas a prece e a conversação persuasiva. Esclarecido o obsessor , atinge-se o obsidiado, e ambos ficam, por assim dizer, vacinados contra novas ocorrências obsessivas , concluiu o filosofo e jornalista J. HERCULANO PIRES, no livro Obsessão, O Passe, a Doutrinação – Universo Espírita n. 33,
O citado autor nos faz também algumas recomendações úteis para aquele que deseja superar os transtornos da obsessão: a obsessão é um estado de sintonia de sua mente com mentes desequilibradas. Corte essa sintonia ligando-se a pensamentos bons e alegres, compreendendo que você nasceu para ser bom e normal.
Vigie os seus sentimentos, pensamentos e palavras nas relações com os outros. O que damos, recebemos de volta.
Não se considere vitima. Você pode estar sendo algoz sem perceber. Pense nisso constantemente, para melhorar as relações com os outros. Viver é permutar. Examine o que você troca com os outros.
Ao se sentir abatido, não entre “na fossa”, porque é difícil sair dela. Lembre-se de que você está vivo, forte, com saúde e dê graças a Deus por isso. Seus males são passageiros, mas se você os alimentar, eles durarão. É você quem sustenta os seus males.
“Para desfazer a sintonia com o obsessor o único meio possível é mudar o padrão de pensamentos e sentimentos, criando novos hábitos, superando as imperfeições. Você é um ser humano adulto e consciente, responsável pelo seu comportamento. Controle suas ideias , rejeite os pensamentos inferiores e perturbações , estimule as suas tendências boas e repila as más. “Ninguém pode livrar você da obsessão se você não quiser livrar-se dela, recomenda HERCULANO PIRES, em Obsessão, o Passe, a Doutrinação.
Tudo o que pedir pela prece lhe será concedido, porque basta pedir para se obter, motivo pelo qual quando tivermos conhecimento de uma pessoa que esteja sofrendo de depressão e não tem conhecimento da doença, devemos ajuda-la, rezando para sair desse estado.
Como as pessoas que possuem depressão normalmente não aceitam que sofrem dessa doença, sugerimos para os que acreditam na cura espiritual a leitura do livro “A PRECE”, conforme o Evangelho segundo o Espiritismo, item 77, preces pelos doentes e pelos obsediados, de autoria de ALLAN KARDEC, editado pela Federação Espírita Brasileira, onde há varias orações que poderão ser rezadas com fé em favor daquelas pessoas que estão em sofrimento profundo.