Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Necessidade do trabalho. Limite do trabalho. Repouso

Necessidade do trabalho. Limite do trabalho. Repouso

"O Livro dos Espíritos"
Questões 674 a 685

Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositor: Deise Bianchini
Amambai - MS
05/01/2002

Dirigente do Estudo:

Flavio Mendonça - Mei_PB

Oração Inicial:

<Dourado-sp> Pai Celestial!!!
Agradecemos a Ti, por mais uma vez estarmos presentes aqui em Teu sagrado nome. Muito obrigado por esta oportunidade maravilhosa que nos concedestes Aproveitamos estes momentos de reflexão e Te pedimos Que todos os seres sejam felizes!
Que todos os seres sejam ditosos!
Que todos os seres estejam em Paz!!!
Senhor, nos conceda paz harmonia, e entendimento na noite de hoje. Que possamos encher nosso espírito de amor, de compreensão, de carinho e de entendimento. Que nossos corações possam transbordar nesta noite, enviando energias da mais sublime envergadura a todos os lares dos aqui presentes Pai, retire nestes instantes por intermédio dos teus mensageiros o que de melhor tivermos em nossos corações, e que sejam distribuídos equitativamente a todos os lares desta sala virtual Que todos os lares sejam harmonizados
Que haja luz, esperança e fé em todos os corações aqui presentes Que sejamos felizes para sempre!!!
Que possamos afinar nosso espírito em Teu entendimento e levar a Tua mensagem a todos os cantos e recantos do universo nesta e nas próximas encarnações. Pai, que se perdermos o corpo físico hoje, não percamos o Teu elo nas próximas vidas Assim seja!!!

Mensagem Introdutória:

TRABALHA SERVINDO

A cada momento, o Criador concede a todas as criaturas a bênção do trabalho, como serviço edificante, para que aprendam a criar o bem que lhes cria luminoso caminho para a glória na Criação. Não permitas, portanto, que o repouso excessivo te anule a divina oportunidade. Assim como o relaxamento é ferrugem na enxada, a benefício do joio que te prejudica a seara, o tempo vazio é flagelo na alma, em favor das energias perniciosas que devastam a vida. Não há corrosivo da ociosidade que possa resistir aos antídotos da ação. Não acredites, desse modo, no poder absoluto das circunstâncias adversas, a se mostrarem, constantes, nos eventos da marcha. Se a injúria te persegue, trabalha servindo, e o sarcasmo far-se-á reconhecimento. Se a calúnia te apedreja, trabalha servindo, e a ofensa converter-se-á em louvor. Se a mágoa te alanceia, trabalha servindo, e a dor erguer-se-á por utilidade. Se o obstáculo te aborrece, trabalha servindo, e o embaraço surgirá por lição. No trabalho em que possas fazer o melhor para os outros, encontrarás a quitação do passado, as realizações do presente e os créditos do futuro. E é ainda por ele que conquistarás o respeito dos que te cercam, a riqueza da experiência, a áurea da cultura, o tesouro da simpatia, a solução para o tédio e o socorro a toda dificuldade. Importa anotar, porém, que há trabalho nas faixas superiores e inferiores do mundo. O egoísmo trabalha para si mesmo.
A vaidade trabalha para a ilusão.
A usura trabalha para o azinhavre.
O vício trabalha para o lodo.
A indisciplina trabalha para a desordem. O pessimismo trabalha para o desânimo.
A rebeldia trabalha para a violência.
A cólera trabalha para a loucura.
A crueldade trabalha para a queda.
O crime trabalha para a morte.
Todas essas monstruosidades do campo moral representam fruto amargo e venenoso de audiências da alma com a inteligência das trevas, no palácio deserto das horas perdidas. Todavia, o trabalho dos que trabalham servindo chama-se humildade e benevolência, esperança e otimismo, perdão e desinteresse, bondade e tolerância, caridade e amor, e, somente através dele, o espírito caminha, na senda de ascensão, em harmonia com as leis de Deus.

Emmanuel

Do Livro: Religião dos Espíritos
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Editora: FEB

Exposição:

Deise Bianchini

Boa noite amigos, é um prazer muito grande estar compartilhando esses momentos de aprendizado com vocês O trabalho dignifica o homem, é essencial ao seu aprimoramento , crescimento aprendizagem, subsistência. É uma lei da natureza, por isso mesmo que constitui uma necessidade, e a civilização obriga o homem a trabalhar mais , porque lhe aumenta as necessidades e os prazeres. O espírito trabalha, assim como o corpo, por isso o trabalho não se constitui apenas em ocupações materiais, as atividades podem ser também intelectuais ou morais. Toda ocupação útil é um trabalho, por mais humilde que ele pareça. O trabalho foi imposto ao homem como um meio de aperfeiçoar sua inteligência. "Sem o trabalho, o homem permanece na sua infância intelectual; eis que ele deve a sua alimentação, a sua segurança, e o seu bem-estar ao trabalho e à sua atividade" ("O Livro dos Espíritos", 676) As necessidades básicas de qualquer cidadão provém do trabalho digno, e todos temos direito a ele. A sermos tratados com respeito , como uma força produtiva da sociedade, como seres que trabalham pelo progresso conjunto de nossa cidade e país. Desde os primórdios o homem vem trabalhando, cada qual em suas habilidades, compromissos ou propensões. Do homem da caverna até os nossos dias, homens e mulheres lutando juntos, no início pela sobrevivência física e propagação da espécie, hoje pela dignidade e melhores condições de vida. O trabalho, na Terra, é uma conseqüência da natureza corpórea do homem, podendo ser uma expiação e, ao mesmo tempo, meio de aperfeiçoamento de sua inteligência. Mesmo o homem que possui bens suficientes que lhe assegurem a existência, está obrigado a ser útil ao seu semelhante, conforme os meios de que disponha; é claro que uma privilegiada situação lhe permite ficar dispensado do trabalho mais rude, mas não o dispensa "da obrigação de tornar-se útil na proporção de seus meios, de aperfeiçoar a sua inteligência ou a dos outros, o que é também um trabalho. Se o homem, a quem Deus concedeu bens suficientes para assegurar sua subsistência, não está obrigado a comer o pão com o suor da fronte, a obrigação de ser útil a seus semelhantes é tanto maior para ele, quanto a parte que lhe coube por adiantamento lhe der maior lazer para fazer o bem" ("O Livro dos Espíritos", 679) Não viverá de acordo com as leis de Deus àquele que voluntariamente tornou inútil a sua existência, passando a viver às custas do trabalho dos outros. Os pais devem trabalhar para os filhos e os filhos para os pais, quando estes já não puderem prover seu sustento, mas com o amor filial e não como caridade, com respeito devido àquele que nos deu oportunidade de retomada das experiências terrestres. Daí a importância do honrar pai e mãe. "...Deus fez do amor filial e do amor paterno um sentimento natural, a fim de que, por essa afeição recíproca, os membros de uma mesma família sejam levados a se auxiliarem mutuamente" ("O Livro dos Espíritos", 681) A Doutrina Espírita nos mostra que a maternidade e paternidade são missões, sendo responsabilidade dos pais a formação do caráter dos filhos. Os pais responderão pelo sucesso ou fracasso de seus filhos, em função de seu desempenho na orientação dos Espíritos que deveriam educar. Nos mundos aperfeiçoados também há o trabalho, apenas menos material, porque a natureza do trabalho é relativa à natureza das necessidades de cada um, sendo estas menos materiais menos material será o trabalho; ninguém porém permanece inativo, inútil. Precisamos cuidar também de nosso repouso, pois todo excesso , seja ele qual for, é prejudicial a nós como espíritos encarnados. O repouso é também uma lei da natureza, pois serve para reparar as forças do corpo, e é necessário para dar um pouco mais de liberdade à inteligência a fim de que se eleve acima da matéria. À medida que o homem evolui, tornando-se menos sujeito às necessidades materiais, diminui a necessidade de repouso. O limite do trabalho é o das forças, cabendo ao homem impedir que haja excesso de trabalho por parte de seus inferiores, e proteger-lhes a velhice. Não tendo o velho família deve a sociedade fazer às vezes desta. Deus dá essa liberdade ao homem , mas alguns transgridem esse limite. Não podemos esquecer também o fato de termos de levar uma vida social, isso é, interagir com a sociedade e família. Quantos de nós não se entrega ao trabalho compulsivo e acaba não tendo tempo para os filhos? O trabalho em excesso como o ócio também é prejudicial, temos que encontrar os limites nos quais toda nossa ação será benéfica e nos trará os adiantamentos necessários e pelos quais estamos aqui novamente. "O trabalho é honra, é dignidade, é alavanca que impulsiona o progresso. Certamente, o homem encontra na Doutrina Espírita diretrizes oportunas quanto ao que fazer com o tempo livre, de modo a conciliar o lazer, o descanso, com atividades altruístas, que o engrandeçam espiritualmente." (Curso básico de Espiritismo - FEESP - 2.º ano)

(T)

Perguntas/Respostas:

01. <Setty> sabemos que o trabalho na Terra cansa o corpo e para tanto precisamos do repouso...como sucede no trabalho realizado no plano Espiritual?

<Deise_Bianchini> o trabalho realizado no plano espiritual não cansa o corpo, porque não o temos mais :)))

<Deise_Bianchini> Você está se referindo ao espírito encarnado, nos sonhos, ou ao desencarnado?

<Setty> me refiro ao desencarnado que trabalha...algum desgaste ele teria?{t}

<Deise_Bianchini> Não Setty, ele pode , quando muito, conservar sensações como tristeza , dor, mas não as sente, é como uma lembrança. Não ocorre o cansaço (t)

02. <Moderador_> Bem, também tenho uma curiosidade. Sabendo-se que trabalho é esforço, podemos considerar trabalho apenas os esforços úteis a evolução do Universo?

<Deise_Bianchini> Não Moderador, todo trabalho é importante, mesmo aquele que aparentemente não trará efeitos tão grandes como a evolução do universo. Eu digo aparentemente, porque toda caminhada começa com o primeiro passo. Como termos higiene em nossa cidade, conservarmos a nossa saúde, se não tivermos o humilde trabalhador que recolhe os nossos excessos? Devemos também lembrar que o trabalho pode ser moral (t)

03. <LuFrancis> quando você diz que não há desgaste no trabalho do desencarnado, você se refere aos espíritos já um pouquinho mais evoluídos não é? Pois, se não me engano, AL nos relata que espíritos desencarnados, ainda não muito evoluídos, apesar do trabalho ainda necessitam do repouso... como é que é (seria) isto?

<Deise_Bianchini> O cansaço é físico. O espírito que ainda não atingiu um grau evolutivo que o leve a saber lidar com todas as situações sentirá cansaço, da mesma forma que alguns espíritos sentem frio, fome, calor, sufocamento. Com o aprendizado saberão lidar com essas situações, e não precisarão mais do descanso. Vemos relatos em André Luiz, de sensações fluídicas pesadas, onde o espírito sente extremo desconforto. Ele (nós) aprenderá a lidar com isso > (t)

04. <Setty> Sabemos que não basta se diga ao homem que lhe corre o dever de trabalhar. É preciso que aquele que tem de prover à sua existência por meio do trabalho encontre em que se ocupar, o que nem sempre acontece....como devemos nos colocar diante do desemprego que assola o mundo????

<Deise_Bianchini> Somos pessoas que vivem em sociedade. Assim também somos responsáveis pelo que ocorre na sociedade em que vivemos. Precisamos começar a nos interessar pelo serviço nas entidades filantrópicas. Não o assistencialismo que dá uma cesta básica. Mas utilizarmos de nosso tempo livre, já que tivemos essa oportunidade, para ensinar. Computação, bordado , manicure, o que tivermos habilidade. Ninguém gosta de receber esmolas, elas são humilhantes. Procuremos participar, os próprios CE tem esses trabalhos. Tratemos com carinho nossos subalternos, sabendo da importância do trabalho de cada. Se tivermos oportunidade, vamos dar chance a uma pessoa portadora de necessidades especiais de trabalhar em nossa loja, empresa. Cada um fazendo a sua parte, por menor que seja, conseguiremos mudar esse nosso mundo em espaço mais breve :)) (t)

05. <Dourado-sp> Como entendeis a luz da doutrina, um espírito que quebra uma seqüência hereditária de um trabalho não digno para a elevação dos princípios mais elevados, renunciando os seus direitos e deveres para com a família no sentido de dar continuidade e ficando assim como um renegado perante seus familiares pelo fato de não ter obedecido as tradições hereditárias? Por exemplo: alguém que renuncia um trabalho voltado ao vício do álcool, fumo, vida noturna, atividades correlatas <Dourado-sp> t+

<Deise_Bianchini> A família é alcoólatra e a pessoa deixou de ser?

<Deise_Bianchini> A família tem vícios diversos e a pessoa rompeu esse círculo?

<Moderador_> [Deise_Bianchini] ele se refere a atividades como bares, restaurantes etc

<Dourado-sp> A família trabalha com atividades voltadas a vícis,

<Deise_Bianchini> ah, entendi.
Posso fazer de tudo, mas nem tudo convém que eu faça Se a fortuna familiar veio do incentivo ao vício, em algum momento teremos que responder ao Pai pelo uso que fizemos dos bens que Ele nos emprestou Quanto a esse espírito, ele escolheu seu caminho,como todos nós, e cada um colherá o que plantou (t)

06. <Rodrigo_NG> Eu gostaria de saber algo sobre a nossa vocação profissional à luz do espiritismo... a nossa vocação já é determinada quando da nossa reencarnação? (t)

<Deise_Bianchini> Rodrigo, fazemos determinados planos para servir a nós, em nossa evolução, e àqueles com os quais temos débitos Podemos traçar algo assim, mas nosso livre arbítrio quando encarnados é que vai decidir. Podemos escolher uma profissão, mas por algum descuido nosso, imprevidência, sermos impedidos de exercer Aí vem a parte da humildade, aceitarmos nossos erros, e procurarmos tirar da dor o caminho da nova vida que poderá ser proveitoso, dependendo de nós Vou dar um exemplo a você .
Eu me formei em Agronomia, queria muito trabalhar com pesquisas, mas tive que me mudar para um pequeno Centro, onde não foi possível. Aqui comecei a lecionar, e hoje trabalho com Assistência Social :))) Então veja, será que meus caminhos não acabaram sendo os corretos? Eu sinto-me feliz no meu atual trabalho. São os caminhos que Deus põe a nossa frente, vamos trilhá-los :)) (t)

07. <DaNieeL> Sabemos que o trabalho é um meio que nos é dado para desenvolvermos a nossa inteligência e assim evoluirmos. Deus nos dá as condições necessárias para podermos desenvolver as nossas habilidades, ao meu ver sempre voltadas para o bem próprio e do próximo. Pode haver trabalho com o objetivo de se realizar o mal?

 Deise_Bianchini> O trabalho não necessariamente será voltado para o mal, o que fazemos com ele. Quando os cientistas projetam seus artefatos eles tem uma idéia de seu uso. Mas , em algum momento isso é desvirtuado. Seu trabalho foi mau, ou mau foi o uso que o homem fez dele? Até aprendermos a ter esse respeito pela natureza e pelos seres de Deus teremos de viver em planetas de expiação e provas, ou piores Nós é que devemos dar um fim útil ao que empreendemos (t)

Oração Final:

<Mei_PB>Elevemos nossos pensamentos ao Deus, pai do Universo, causa primaria de tudo....... Agradecendo mais este momento de aprendizado, com base na luz da doutrina renovadora, Doutrina dos Espíritos bem feitores.....

Ao amado Mestre Jesus por sua luz evangelizadora.......

Renovando assim o nosso propósito de servir na seara com amor e dedicação......

Desejando poder faze-lo com a maior boa vontade que nossa compreensão alcança......

Aos amigos espirituais, mais uma vez nossos agradecimentos pelas orientações intuitivas que nos iluminaram a mente e o pensamento..... Aos amigos desencarnados que através de nós, puderam participar deste estudo, ampliando a sua compreensão da vida.... E finalmente a nós servidores da seara do Cristo Redentor...... Que a Paz se faça em nossos corações, e que a possamos seguir o modelo e guia da humanidade com o fervor da fé inabalável estimulada pela Doutrina dos Espíritos. Que assim seja !