Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

domingo, 23 de março de 2014

Necessidade do Trabalho

Necessidade do Trabalho

Postado por Romeu Leonilo Wagner em 4 maio 2013 às 9:25Exibir blog



“O trabalho é lei da Natureza, por isso mesmo que constitui uma necessidade, e a civilização obriga o homem a trabalhar mais, porque lhe aumenta as necessidades e os gozos”. (Allan Kardec).
    Após uma jornada longa de trabalho diuturno, por tempo de serviço ou por idade, chega a aposentadoria. Nos primeiros seis meses tudo é felicidade. Ficamos livres da rotina, dos cargos e funções, das responsabilidades e do estresse, que ronda todo ambiente de serviço. Entretanto, logo vem a ociosidade e sentimos a falta da companhia dos amigos de jornada e das coisas relativas àqueles tempos tão agradáveis.
    Por que isso acontece? Porque o trabalho é lei da Natureza, ensinou Kardec e o ser humano não pode viver sem ele. Mesmo que você tenha nascido em berço de ouro, o trabalho se constitui numa necessidade, porque ninguém quer passar pela vida como pessoa inútil, ficando imoto na sua evolução.
    Allan Kardec nos ensinou: “O trabalho se impõe ao homem, por ser uma consequência da sua natureza corpórea. É expiação, ao mesmo tempo, meio de aperfeiçoamento da sua inteligência. Sem o trabalho, o homem permaneceria sempre na infância, quanto à inteligência. Por isso é que seu alimento, sua segurança e seu bem-estar dependem do seu trabalho e da sua atividade. Ao extremamente fraco de corpo outorgou Deus a inteligência  em compensação. Mas é sempre um trabalho”.
   “Tudo em a Natureza trabalha. Como tu, trabalham os animais, mas o trabalho deles é de acordo com a  inteligência de que dispõem e se limita a cuidarem da própria conservação. Daí vem que o do homem visa duplo fim: a conservação do corpo e o desenvolvimento da faculdade de pensar, o que também é uma necessidade e o eleva acima de si mesmo. Quando digo que o trabalho dos animais se cifra no cuidarem da própria conservação, refiro-me ao objetivo com que trabalham. Entretanto, provendo às suas necessidades materiais, eles se constituem, inconscientemente, executores dos desígnios do Criador e, assim, o trabalho que executam também concorre para a realização do objetivo final da Natureza, se bem quase nunca lhe descubrais o resultado imediato”. (Allan Kardec).
    Por isso tudo, é que os governos têm grande responsabilidade em criar políticas que gerem empregos. O homem precisa exercitar sua dignidade, provendo a própria subsistência e a de sua família. As ajudas financeiras mensais podem e devem ser distribuídas aos mais pobres, sim e isso é meritório, todavia, nunca deverá substituir o trabalho. O homem está na Terra, para buscar a felicidade, mesmo que seja relativa, como disse Jesus e essa condição somente será alcançada com um trabalho digno.
Fontes:
Romeu Leonilo Wagner, Belém, Pará;
www.guia.heu.nom.br; conteúdo: Necessidade do Trabalho;
O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, questões 674, 676 e 677.