Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Liberdade de consciência (Estudo 146 de 193)

Liberdade de consciência (Estudo 146 de 193)
         

a) A consciência é um pensamento íntimo, que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.

b) O homem não tem direito de pôr embaraços à liberdade de consciência, assim como à liberdade de pensar. Só a Deus cabe o direito de julgar a consciência, pelas leis da Natureza, que regulam as relações entre ele e o homem.

c) A liberdade de consciência é um dos caracteres da verdadeira civilização e do progresso.  Constranger o homem a proceder em desacordo com o seu modo de pensar é fazê-lo hipócrita.

d) Toda a crença sincera e que conduz à prática do bem deve ser respeitada. As que conduzem ao mal são condenáveis. O desrespeito à crença de outrem é falta de caridade e atenta contra a liberdade de pensamento.

e) A repressão a atos exteriores de uma crença não atenta contra a liberdade de consciência, pois essa se conserva integral, uma vez que é inatingível.

f) É dever de todos trazer ao caminho da verdade aqueles que seguem doutrinas perniciosas ou que atentem contra a liberdade de consciência. Mas isso deve ser feito com brandura e persuasão e não através da força, como ensinou Jesus, pois, do contrário, seria pior do que a crença daquele a quem desejar-se ia convencer. A convicção não se impõe.

g) A doutrina que expressa a verdade será aquela que fizer mais homens de bem e menos hipócritas, pela prática da lei de amor na sua maior pureza e mais ampla aplicação. Esse o sinal para que se reconheça se uma doutrina é boa, porque a que semear a desunião e separar os filhos de Deus será falsa e perniciosa.


QUESTÕES PARA ESTUDO E PARTICIPAÇÃO:

1 - Que elo podemos estabelecer entre a liberdade de pensar e a de consciência?

2 - Pode-se violentar a liberdade de consciência?

3 - Devemos aceitar toda e qualquer crença, em nome da liberdade de consciência?

4 - É condenável o convencimento de outrem a cerca de uma determinada crença, quer filosófica, política
ou religiosa?

5 - Como saber se uma crença determinada está em conformidade com as leis de Deus?