Estudando o Espiritismo

Observe os links ao lado. Eles podem ter artigos com o mesmo tema que você está pesquisando.

terça-feira, 30 de abril de 2013

O EVANGELHO NO LAR


O EVANGELHO NO LAR
(Emmanuel)

O culto do Evangelho no lar não é uma inovação. É uma necessidade em toda parte onde o Cristianismo lance raízes de aperfeiçoamento e sublimação.
A Boa-Nova seguiu da Manjedoura para a praças públicas e avançou da casa humilde de Simão Pedro para a glorificação no Pentecostes.
A palavra do Senhor soou, primeiramente, sob o teto simples de Nazaré e, certo, se fará ouvir, de novo, por nosso intermédio, antes de tudo, no círculo dos nossos familiares e afeiçoados, com os quais devemos atender às obrigações que nos competem no tempo.
Quando o ensinamento do Mestre vibre entre as quatro paredes de um templo doméstico, os pequeninos sacrifícios tecem a felicidade comum.
A observação impensada é ouvida sem revolta.
A calúnia é isolada no algodão do silêncio.
A enfermidade é recebida com calma.
O erro alheio encontra compaixão.
A maldade não encontra brechas para insinuar-se. E aí, dentro desse paraíso que alguns já estão edificando, a benefício deles e dos outros, o estímulo é um cântico de solidariedade incessante, a bondade é uma fonte inexaurível de paz e entendimento, a gentileza é inspiração de todas as horas, o sorriso é a sombra de cada um e a palavra permanece revestida de luz, vinculada ao amor que o Amigo Celeste nos legou.
Somente depois da experiência evangélica do lar, o coração está realmente habitado para distribuir o pão divino da Boa-Nova, junto da multidão, embora devamos o esclarecimento amigo e o conselho santificante aos companheiros da romagem humana, em todas as circunstâncias.
Não olvidemos, assim, os impositivos da aplicação com o Cristo, no santuário familiar, onde nos cabe o exemplo de paciência, compreensão, fraternidade, serviço, fé e bom ânimo, sob o reinado legítimo do amor, porque, estudando a Palavra do Céu em quatro Evangelhos, que constituem o Testamento da Luz, somos, cada um de nós, o quinto Evangelho inacabado, mas vivo e atuante, que estamos escrevendo com os próprios testemunhos, a fim de que a nossa vida seja uma revelação de Jesus, aberta ao olhar e à apreciação de todos, sem necessidade de utilizarmos muitas palavras na advertência ou na pregação.

(Fonte: XAVIER, Francisco Cândido. Luz no Lar. Por diversos Espíritos. 8. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1997. Cap. 1, p. 11-12. )



>



EVANGELHO NO LAR
"Onde quer que se encontrem duas ou três pessoas reunidas
em meu nome, eu com elas estarei".
Jesus (Mateus, 18:20)



O que é ?
Trata-se de um momento que reservamos à prece e ao estudo metódico dos ensinamentos de Jesus, em nosso próprio lar. O "Culto do Evangelho" não é um ritual de adoração. Foi implantado pela primeira vez por Jesus na casa de Simão Pedro (O livro "Jesus no Lar", de Neio Lúcio, relata 50 Cultos em seu lar). O principal objetivo do Culto é o de incentivar o esforço pessoal para uma reforma íntima consciente, através da compreensão da moral cristã para a nossa própria evolução. Porém, outros ganhos são obtidos com a implantação do Culto: saneamento do ambiente espiritual do lar, fortalecimento perante as dificuldades, melhoria no relacionamento familiar, doutrinação e esclarecimento a espíritos desencarnados. Os benefícios do Culto transcendem o ambiente do lar. Portanto, pela luz do Evangelho, "os dramas passionais, as ocorrências infelizes, os temores e as discórdias cedem lugar à compreensão fraternal, à caridade recíproca, à paciência, ao amor". (Joanna de Angelis)

Quem deve participar?
Parentes, vizinhos e amigos. É importante que o ambiente seja de alegria, mas não de agitação ou bagunça. As discussões devem ser evitadas a todo custo, mas os debates sadios são bem vindos. A participação deve ser livre: não se obriga, tampouco se impede a quem quer que seja, por qualquer motivo. As crianças também devem ser incentivadas a participar e para elas reserva-se um tempo especial para leitura de literatura apropriada, dentro do culto, em função da idade e do amadurecimento delas. Pode ser realizado sozinho. Mesmo estando sozinho, deve ser realizado o Culto sempre em voz audível.

Preparação
Especialmente no dia do Culto, procure manter o equilíbrio físico, mental e espiritual, evitando bebidas alcoólicas, alimentação pesada, fadiga mental, brigas, discussões e condutas inadequadas. Busque na serenidade da prece e na vigilância das atitudes o apoio espiritual que o dia requer. Apesar de realizar o Culto na intimidade doméstica, o ambiente exige o uso de trajes adequados.

Onde e como deve ser o ambiente?
No seu lar, no cômodo onde haja melhor condição de tranqüilidade e concentração. Evite realizar o Culto no terraço, na varanda ou em outro lugar fora das paredes do lar. Se houver enfermo no lar e se ele desejar, o Culto pode ser realizado junto dele. Não há necessidade de enfeites, imagens, velas, roupas desta ou daquela cor e etc. Música suave pode ser usada, se não desviar a atenção dos participantes. Providencie um recipiente com água para ser fluidificada durante o Culto e distribua-a ao final entre os presentes. Havendo enfermo no lar, disponibilize um recipiente com água em separado para ele.

Realização
Escolha um dia da semana e um horário fixo, por consenso familiar para que todos possa participar e que possam ser respeitados sempre. A disciplina do dia e da hora é fundamental para receber o auxilio dos benfeitores espirituais durante o Culto. Evite mudanças de dia e horário o máximo possível; faça-as quando necessário, porém em caráter duradouro. A duração do Culto é de 30 minutos aproximadamente.

Lembretes adicionais
Uma vez iniciado o Culto, evite interrupções. Evite o sono e as dispersões, como atender ao telefone, à chamados da rua e etc. Se resolver atender, avise educadamente que se encontra fazendo o Culto no Lar e que retorna em seguida.

Se um participante chegar atrasado, convide-o a unir-se ao grupo. Se você receber visitas no horário do Culto, convide-as explicando do que se trata. Se por qualquer motivo, elas não quiserem participar, respeite a decisão, mas realize o Culto, afinal são por poucos minutos.

Se estiver viajando no dia do Culto, faça-o, se possível, onde estiver. Se desejar, anote antes do Culto os nomes e os endereços completos das pessoas por quem deseja orar. Se for um desencarnado, anote o seu nome completo e especifique: "desencarnado".

Embora a assistência do Plano Espiritual seja indispensável para o andamento normal do Evangelho no Lar, acautelar-se para não transformar a reunião em trabalho mediúnico. Mediunidade e a Assistência Espiritual devem, sempre que possível, ser praticadas em Centros Espíritas.


Livros
Para os adultos:
"O Evangelho Segundo o Espiritismo" (preferencialmente)
"Jesus no Lar"
E, como leitura complementar, uma mensagem de uma das seguintes obras (todas são interpretações do Novo Testamento, pelo Espírito Emmanuel): "Pão Nosso" "Palavras de Vida Eterna" "Fonte Viva", "Caminho, Verdade e Vida" "Vinha de Luz" "Segue-me"

Para as crianças, livros de moral infantil, como: "Pai Nosso" "A Tartaruguinha Verde" "A Visão de Joaquina" "O Lobo Mau Reencarnado" "O Evangelho Segundo o Espiritismo para a Infância" "Bingo, em vida nova para Zé Mutreta" "Os filhos do Grande Rei" e outros. Para os adolescentes, os livros: "Alvorada Cristã" "Histórias que Jesus Contou" "João Vermelho" e outros. O Culto não é a melhor ocasião para a utilização de livros de estudos filosóficos ou científicos, tais como "O Livro dos Espíritos", "Livro dos Médiuns" ou "A Gênese", tampouco romances, porque o ideal é trabalhar-se aspectos do evangelho, desenvolver o sentimento, consoante nossas experiências do dia-a-dia.

Roteiro
1. Inicie o Culto com uma prece simples.
2. Se houver crianças no lar, comece por elas (dez a quinze minutos), usando livros infantis. Devem ser incentivadas a comentar os trechos lidos e também de fazer preces.
3. Leia "O Evangelho Segundo o Espiritismo" em seqüência, do capítulo 1 ao capítulo 27.
4. Estude pequenos trechos de cada vez, comentando-os, de acordo com o seu entendimento. Os comentários de todos devem se ater aos trechos lidos, se possível com exemplos relativos ao dia a dia.
5. Se você for estudar o livro "Jesus no Lar", estude uma lição por Culto.
6. Respeite sempre a opinião alheia e evite discussões. Pontos de vista conflitantes devem ser abordados com respeito.
7. Uma prece pode ser realizada ao final do Culto em favor de amigos, parentes, enfermos, carentes, desencarnados, pessoas com as quais temos dificuldade de relacionamento, governantes, pelos espíritos que não mais recebem orações, etc...
8. Encerre o Culto com uma prece de agradecimento.
9. Anote em uma folha à parte o ponto do "Evangelho Segundo o Espiritismo" onde parou a leitura, para dar prosseguimento na semana seguinte.
10. Distribua a água fluidificada a todos, guardando o restante no filtro ou na geladeira.
11. Após o término, mantenha a vibração de paz interior, com pensamentos e conversação elevados.